Sudeste teve a gasolina mais cara do país em abril

697
Bomba de combustível (Foto: Marcelo Camargo/ABr)
Bomba de combustível (Foto: Marcelo Camargo/ABr)

De acordo com o mais recente levantamento do Índice de Preços Ticket Log (IPTL), os postos da Região Sudeste comercializaram a gasolina mais cara do país em abril, com preço médio de R$ 5,803, após novo aumento na comparação com o mês anterior, de 0,28%. Já o etanol apresentou valor médio de R$ 4,384, e o maior recuo entre as regiões brasileiras, de 4,47%.

“O preço médio do etanol em abril esteve abaixo do registrado em março em todos os estados da região. Já o litro da gasolina aumentou em Minas Gerais e no Rio de Janeiro”, destaca Douglas Pina, Head de Mercado Urbano da Edenred Brasil.

Nos postos mineiros, a gasolina avançou 1,03% e foi comercializada a R$ 5,968. No Rio de Janeiro, o combustível teve aumento de 0,16% e foi encontrado nas bombas dos postos a R$ 6,138, o segundo valor médio por litro mais caro do país, atrás apenas do Acre. Em São Paulo e no Espírito Santo, os preços registrados em abril foram muito semelhantes aos de março, e foram encontrados 0,04% e 0,07% abaixo, respectivamente.

Além da gasolina, o Rio de Janeiro registrou o etanol mais caro da Região Sudeste, a R$ 4,929, após o recuo de 5,27% no valor médio, na comparação com o mês anterior. Minas Gerais e São Paulo também apresentaram redução de preços acima de 5%. Nos postos mineiros, o etanol recuou 5,55%, e nos paulistas, 6,33%. São Paulo registrou o preço médio mais baixo do país, a R$ 3,657.

Espaço Publicitáriocnseg

O Espírito Santo registrou redução de preços do etanol muito diferente dos demais estados. Nos postos capixabas, o combustível recuou 1,14%. Já o diesel e o diesel S-10 foram encontrados com o maior recuo no estado, na comparação com março. O tipo comum foi comercializado a R$ 4,200, baixa de 2,10%, e o tipo S-10, a R$ 4,317, após redução de 1,73% nos preços.

O diesel comum e o diesel S-10 mais baratos da Região Sudeste foram comercializados em São Paulo, a R$ 4,185 e R$ 4,241, respectivamente. Minas Gerais registrou os combustíveis mais caros, e também os menores recuos de preços. O tipo comum nos postos mineiros foi encontrado a R$ 4,373, baixa de 0,77%, e o tipo S-10, a R$ 4,428, após recuo de 0,83%.

“Assim como nas demais regiões do país, o diesel e o diesel S-10 no Sudeste apresentaram redução nos preços em relação ao mês anterior. O tipo comum recuou 1,30% e foi encontrado a R$ 4,262. Já o tipo S-10, com baixa de 1,21%, foi comercializado a R$ 4,337”, pontua Pina.

Já levantamento da ValeCard, empresa especializada em soluções de gestão de frotas, mostra que naquele mês, pelo 11º mês consecutivo, o preço médio da gasolina registrou variação positiva. Desta vez, a oscilação foi bem menor do que a verificada no mês anterior, quando o valor saltou 10,94% em relação a fevereiro. Com a alta de 0,18% em abril, o valor do litro foi vendido, em média, a R$ 5,737.

Obtidos por meio do registro das transações realizadas entre os dias 1º e 29 de abril com o cartão de abastecimento da ValeCard em cerca de 25 mil estabelecimentos credenciados, os dados mostram que as maiores altas foram registradas em Amazonas (2,91%) e Acre (1,53%). Por outro lado, 10 Estados registraram queda do preço médio do combustível. As maiores reduções ocorreram em Santa Catarina (-3,07%) e na Bahia (-2,96%).

As capitais do Acre (R$ 6,181) e Rio de Janeiro (R$ 6,164) foram as que apresentaram maiores preços médios em março. Já Florianópolis (R$ 5,109) e Salvador (R$ 5,250) registraram os menores valores.

Rio de Janeiro (R$ 4,962) e Espírito Santo (R$ 4,936) registraram os maiores preços médios do etanol em abril. Conforme o levantamento, em apenas quatro Estados (São Paulo, Goiás, Minas Gerais e Mato Grosso) compensa abastecer o veículo com etanol – a opção só é vantajosa quando o litro do derivado da cana-de-açúcar custar 70% (ou menos) do que o litro da gasolina.

Leia também:

Rio tem a gasolina mais cara do Sudeste

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui