3 aspectos muito negativos na Política de Defesa

Ministério olha para o passado e quer garantir recursos sem explicar para quê.

Três aspectos muito negativos chamam imediatamente a atenção de quem analisa os textos da Política Nacional de Defesa (PND), da Estratégia Nacional de Defesa (END) e do Livro Branco da Defesa Nacional (LBDN), entregues pelo ministro da Defesa, general Fernando Azevedo e Silva, ao Congresso Nacional em 22 de julho, assinala o UFFDefesa – Núcleo de Estudos de Defesa, Inovação, Capacitação e Competitividade Industrial:

1) Não apresentam orçamentos para os projetos propostos pelas FFAA e, muito menos, sua distribuição ao longo do tempo. O Livro Branco olha apenas para o passado e não para o futuro, como são os livros brancos de todos os países. A única alternativa considerada é pedir mais recursos (2% do PIB), sem definir bem para quê.

2) Não existe indicação de prioridades.

3) Não existe um Plano B, que considere a hipótese (“altamente provável”) de não ser possível aumentar o orçamento.

O UFFDefesa, núcleo vinculado ao Departamento de Engenharia de Produção da Escola de Engenharia da Universidade Federal Fluminense, fez uma análise abrangente dos documentos e aponta que, além desses, “existem inúmeros problemas muito graves nesses documentos, que poderão levar a grandes desperdícios de recursos públicos e, o que é pior, a um efeito contrário ao pretendido. Em lugar do fortalecimento, resultará no enfraquecimento da capacidade de defesa do Brasil a médio e longos prazos”.

Os especialistas da UFF defendem urgentes reformas institucionais, “essenciais para colocar o Brasil em pé de igualdade com as boas práticas internacionais”, e alertam para “um atraso que pode se estender a mais de uma década” se os planos apresentados forem aprovados sem a necessária discussão. “Assim, urge que o Poder Legislativo assuma sua responsabilidade em relação à defesa e, em caráter de urgência, convoque a sociedade para um amplo debate sobre o conteúdo desses documentos”, demanda o UFFDefesa.

 

História ao vivo

Vale ler na imprensa britânica as notícias sobre o depoimento – que permaneceu inédito por longos anos – de um espião do MI6 que esteve à frente da operação que derrubou o primeiro-ministro do Irã Mohammed Mossadegh, em 19 de agosto de 1953 – completam-se 67 anos nesta quarta-feira – numa trama que agregou a CIA e a filha do Xá.

O espião se gaba de ter gasto “apenas £ 700 milhões” (valor da época) para financiar o golpe contra Mossadegh, visto com o símbolo na luta anti-imperialista e que nacionalizou o petróleo no Irã, expulsando a companhia que viria a se chamar BP.

Assunto sempre atual, neste momento de agitação no Líbano e Belarus e cerco ao Irã.

 

Decepção

Gilmar Mendes costuma ser criticado (não só) pelos bolsonaristas. Nesse caso, seria o habeas corpus do Queiroz cortesia, ou atitude patriota? Seja o que for, mal deu tempo da esquerda brasileira namorar o “Gilmar Guerreiro do Povo Brasileiro”.

 

Rápidas

O Instituto Doméstica Legal lançou a campanha “Solidariedade Legal com sua ex-empregada doméstica ou sua ex-diarista”. Com base na Pnad Contínua do IBGE, o Brasil perdeu 1.540.000 postos no trabalho doméstico no segundo trimestre *** Nesta terça-feira, David Zee, oceanógrafo e vice-presidente da Câmara Comunitária da Barra da Tijuca, participará de live com o administrador e conselheiro federal pelo CRA-RJ Wagner Siqueira para falar sobre recuperação econômica e aproveitamento dos recursos naturais, na página AdmWagnerSiqueira no Facebook *** O CAMP Centro – Centro De Aprendizagem e Melhoramento Profissional anuncia parceria com o Grande Oriente de São Paulo para promover a assistência social e integração da juventude em condições de vulnerabilidade social *** A programação de eventos desta semana do IAB tem os webinars “Vulnerabilidade física e social, desastres e reparação” (terça, 10h), “Direito de autor na pandemia” (quarta, 11h) e “Ciclo de palestras de Direito Ambiental – Status da política ambiental nos estados efetividade dos instrumentos” (sexta, 12h). Todos serão transmitidos no canal TVIAB no YouTube *** A YES! Idiomas reabre em cidades que já permitiram a flexibilização. Os alunos que desejarem poderão continuar no modelo online *** “Nacionalismo x Falso patriotismo bolsonarista” é o tema de palestra nesta terça-feira, 20h, com Luiz Eduardo Motta, professor de Ciência Política da UFRJ, ao vivo no Face Noticias da Terra Redonda.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Bolsonaro invade TV Brasil

Programação foi interrompida 208 vezes em 1 ano para transmissão ao vivo com o presidente.

FMI: 4 fatores ameaçam inflação

Fundo acredita que preços deem uma trégua no primeiro semestre de 2022, mas...

Pandora Papers: novos atores nos mesmos papéis

Investigação mostra que pouco – ou nada – mudou desde 2016.

Últimas Notícias

Rio Indústria apoia lei que desburocratiza e facilita novos negócios

Em audiência pública realizada nesta quinta-feira (14), na Câmara Municipal do Rio, sobre o Projeto de Lei Complementar nº 43/2021 que regulamenta a Declaração...

Ciência: entidades pedem liberação de recursos

Organizações questionam redirecionamento para outras áreas de R$ 515 milhões, que eram do CNPq.

Rating da EDP BR não muda com aquisição da Celg-T

Para a Fitch Ratings, a qualidade de crédito da EDP Energias do Brasil S.A. (EDP BR, Rating Nacional de Longo Prazo ‘AAA (bra)’, Perspectiva...

Tesouro: Queda do investimento líquido em ativos não financeiros

O Tesouro Nacional informou nesta sexta-feira que no 2º trimestre de 2021, a necessidade líquida de financiamento do Governo Geral alcançou 7,1% do PIB,...

Leilão de Excedentes da Cessão Onerosa terá sucesso?

Após a realização da 17ª Rodada de Licitações de Blocos para exploração e produção de petróleo e gás natural no último dia 7, considerado...