3 micos para evitar ao investir, ou: chame as vacas

Seguir recomendações nem sempre é caminho garantido para o paraíso.

Em 2016, um programa de uma TV norueguesa apresentou um quadro em que pretendia saber quem se saía melhor na bolsa de valores: um astrólogo, dois influencers que nem conheciam o nome de alguma empresa com ações na bolsa, dois profissionais do mercado de capitais e um punhado de vacas (como elas escolheram as ações? Um pasto foi dividido em 25 partes, cada uma representando uma ação do principal índice da Bolsa da Noruega – OBX; o ponto em que a vaca “adubasse”, significava ordem de compra; se repetisse no mesmo local, venda).

O astrólogo, que consultou as estrelas, perdeu 2% após três meses de aplicações; os profissionais alcançaram rentabilidade de 7,28%, acima dos 5% do OBX. Ficaram empatados com… as vacas, que performaram 7,26%. Na ponta, os influencers, com 10,4%.

Moral da história: especular no mercado carrega uma dose de sorte (que pode virar azar). “Especialistas” com dicas na internet tendem a valorizar seus acertos e esconder os erros (e ganham dinheiro vendendo cursos).

No Brasil, a fintech SmartBrain divulgou ano passado, mês a mês, as aplicações favoritas dos investidores dos segmentos alta renda e private, que possuem mais de R$ 300 mil investidos e que são atendidos por assessores de investimentos independentes.

No final do ano, fez um ranking com a posição média que cada ativo teve nos levantamentos mensais ponderada pela quantidade de meses em que apareceu nas listas dos mais aplicados. Assim, os ativos tinham que aparecer consistentemente entre os mais recomendados pelos profissionais de investimentos e atrair, de fato, os investidores. O resultado? Bem…

Entre as ações, as mais recomendadas e que mereceram investimentos foram Petrobras PN (alta de 36,84% em 2019), Vale ON (6,85%) e Via Varejo ON (154,4%). Apenas esta última apareceu entre as que tiveram maior valorização. À frente delas, Qualicorp ON (241,2%) e BTG ON (232,9%). Aqui, vale a observação: Qualicorp entra na categoria de alto risco especulativo; só para corações fortes. Porém, quem deixasse de lado as indicações dos profissionais e colocasse seu dinheiro num simples fundo de ações teria um desempenho superior às recomendações, com menos risco.

Entre fundos de ações, lideraram o ranking dos segmentos de alta renda o Moat Capital FIC FIA (valorização de 43,8% no ano passado), Alaska Black BDR Nível 1 (36,4%) e Equitas Selection (59,8%). Todos acima do Índice Bovespa (+31,5%). O campeão no segmento livre, porém, teve alta de 278,71%, e 18 fundos alcançaram rentabilidade superior a 100% em 2019. As vacas não fariam feio aqui.

O pior desempenho ficou na categoria de fundos multimercados. Os campeões de recomendações e investimento foram, pela ordem, AZ Quest Mistral (5,6%), Pacífico Macro (11,5%) e Exploritas Alpha AL (13,3%). Até mesmo fundo de renda fixa conservador de bancos de varejo conseguiram superar o líder do ranking. Na categoria de fundos multimercados livres, o campeão obteve, em 2019, valorização de espantosos 2.067%; 17 ganharam acima de 100%. Chame um influencer.

 

Os males do Brasil são

Paulo Guedes compara o trabalhador do setor público a um parasita. Como ele é atualmente ministro, também um agente público, ofendeu a si próprio. Rindo, os colegas do mercado financeiro, parasitas que sugam centenas de bilhões dos cofres da Viúva.

 

Rápidas

O Arquivo Nacional do Brasil será uma das sedes do Open Data Day, em 6 de março, comemoração anual sobre dados abertos realizada em diversas instituições no mundo. Inscrições em bit.ly/39dLWen e programação completa em bit.ly/399f6ep *** Na programação carnavalesca do Caxias Shoppings, shows de Samba, nos dias 14 e 21, bailinho pré-carnavalesco dias 15 e 16, e bailinhos de Carnaval nos dias 22, 23 e 24 *** O Shopping Jardim Guadalupe terá, a partir de fevereiro, sessões mensais da iniciativa CineMaterna, voltada para as clientes com bebês de até 18 meses. A primeira sessão será realizada nesta quarta, às 14h. Detalhes em cinematerna.org.br *** O Ibajud – Instituto Brasileiro da Insolvência preparou um curso sobre insolvência internacional e reorganização empresarial que será ministrado de 8 a 11 de junho na Fordham University, em Nova York. Detalhes aqui.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

No privatizado Texas, falta luz no inverno e no verão

Apagões servem de alerta para quem insistem em privatizar a Eletrobras.

A rota do ‘Titanic’: ameaça de apagão não é de agora

‘Por incrível que pareça, no Brasil, térmicas caras esvaziam reservatórios!’

TCU confirma que União paga R$ 3,8 bi de juros e amortização por dia

Mais de ¼ dos títulos da dívida pública vencem em 12 meses.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Objetos do Coração ajuda o Pró Criança Cardíaca

E-commerce que vende objetos para casa e decoração exclusivamente em formato ou com estampa de coração vai doar 10% da venda de produtos selecionados...

Empresa Fácil oferece estudo de viabilidade a novos empreendedores  

Sistema permite a emissão do Alvará Provisório em 24h.

Fatores comportamentais podem influenciar nos acidentes de trabalho

Psicóloga e uma assistente social e também técnica de segurança do trabalho criaram o jogo Conversa Segura.

Reclamações sobre serviços de telecom caem 28,4% em maio

O número de reclamações de usuários dos serviços de telecomunicações caiu 28,4% em maio de 2021 na comparação com maio do ano passado, segundo...

EMS explica faturamento com o ‘kit Covid’

farmacêutica brasileira EMS informou à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pandemia que faturou R$ 142 milhões com medicamentos do kit Covid-19 em 2020,...