30.1 C
Rio de Janeiro
sexta-feira, janeiro 15, 2021

Crianças ameaçadas

Mais de 3,5 milhões de crianças têm diabete tipo 2, doença que era desconhecida nesta idade até pouco tempo. Pressão alta, outra enfermidade que atingia apenas adultos, também está se alastrando. Os números avançam de tal forma que a previsão das Nações Unidas de parar a obesidade infantil até 2025 não deve se cumprir. O estudo sobre o assunto, publicado no Pediatric Obesity Journal e repercutido pelo britânico The Guardian, aponta como vilões lanches (junk food) e refrigerantes.

Entre os países mais populosos onde o problema é mais grave estão Egito, no qual mais de um terço (35,5%) das crianças entre 5 e 17 anos estavam com sobrepeso ou obesas; Grécia (31,4%), Arábia Saudita (30,5%), Estados Unidos (29,3%), México (28,9%) e Reino Unido (27,7%). Os números, de 2013, são da Federação Mundial da Obesidade. No Brasil, 34,6% das meninas e 26,7% dos meninos integravam a categoria. O estudo do jornal de Pediatria estima que, em 2025, 268 milhões de crianças e jovens estarão com sobrepeso ou obesos, um salto de 49 milhões sobre os números atuais; 91 milhões serão considerados obesos. O Dia Mundial da Obesidade é em 11 de outubro, próxima terça-feira.

Independente

A praticagem do Brasil deve manter sua independência em relação aos armadores, aos portos, à dragagem e aos canais de acesso, defendeu o diretor-presidente do Conselho Nacional de Praticagem (Conapra), Gustavo Martins, durante o painel “Infraestrutura de Transporte e Logística”, promovido pelo Instituto Legislativo Brasileiro (ILB) em Brasília, esta semana.

Martins respondeu ao diretor da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq), Mário Povia, interessado em saber se a praticagem teria pretensões de entrar para o “negócio de realização de dragagem”. “A praticagem estará sempre pronta para contribuir e colaborar, mas precisa estar independente para zelar pela segurança da navegação”, disse Martins.

Ele disse ainda acreditar que por mais que avance a tecnologia, a presença do prático nas embarcações de grande porte continuará sendo essencial. Citou como exemplo os portos de Roterdã e Singapura que, embora estejam 20 anos à frente dos portos brasileiros em logística e tecnologia, ainda demandam o trabalho dos práticos.

Gustavo Martins pediu ainda aos representantes do setor empenho na aprovação e colocação em prática das novas regras da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), que está em consulta pública até o dia 23 próximo. Para ele, o dispositivo será essencial para melhorar o processo de planejamento portuário. A norma, que adota em sua maioria os preceitos do Pianc (World Association Waterburne Transport Infrastructure) que são as recomendações internacionais para a infraestrutura portuária, passará a ser utilizada, por exemplo, para o planejamento de dragagens e balizamento dos canais.

Outro tema abordado pelo presidente do Conapra é o do descompasso existente hoje entre o tamanho dos navios, que tem aumentado exponencialmente, e a largura dos canais de acesso, que não foram construídos para recebê-los. Segundo ele, os canais foram dimensionados para navios menores e, por essa razão, os portos brasileiros vão demandar muitos investimentos para corrigir o problema.

É fundamental que o canal de acesso seja compatível. A operação tem que ser a mais eficiente possível. E essa eficiência é muito ditada pelas condições do canal de navegação e envolve questões importantes como a preservação do meio ambiente, a segurança da navegação, e a proteção da vida humana”.

Rápidas

Na sexta, 10, foi o Dia Mundial do Sorriso *** Neste sábado, alunos do CST em Design de Moda da Anhanguera de Santana participarão do evento EC-731 Dvys Lampblack, com exposição de modelos de autoria dos universitários. Mais informações em http://migre.me/vaejg *** A fonoaudióloga Karina Braga vai ministrar o Curso Intensivo de Oratória, em 19 de novembro, no Rio de Janeiro. Informações pelos telefones: (21) 2512-3697 / 2529-8104 *** No próximo dia 13, o impacto da reforma trabalhista na retomada brasileira da competitividade será debatido pelos especialistas José Pastore e Octavio de Barros e executivos. O evento é organizado pelas câmaras Britânica, Canadense, Francesa, Espanhola e Portuguesa, no Centro Brasileiro Britânico (Rua Ferreira de Araújo, 741, Pinheiros). Telefone: 96347-1294 *** Entre 11 e 15 de outubro, o Rio de Janeiro sediará o 28º Congresso Brasileiro de Pneumologia e Tisiologia, que debaterá doenças respiratórias como a DPOC, que, apesar de atingir 7 milhões de pessoas no país, um em cada dois brasileiros nunca ouviu falar *** O Passeio Shopping (RJ) preparou um evento especial para celebrar o Dia das Crianças. Nos dias 10 e 11, a garotada que passar pelo shopping poderá fazer maquiagem artística e ainda ganhar uma bola divertida.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Grande produtor rural não paga impostos

Agronegócio alia força política a interesses do mercado financeiro.

Não foi a disrupção que derrotou a Ford

Mercado de automóveis está mudando, mas montadora sucumbiu aos próprios erros e à estagnação que já dura 6 anos.

Quantas mortes pode-se debitar na conta de Bolsonaro?

Se índice de óbitos por Covid-19 no Brasil seguisse a média mundial, teriam sido poupadas 154 mil vidas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Realização de lucros em âmbito global

Bolsas europeias e os índices futuros de NY operam em baixa nesta manhã de sexta-feira.

Desaceleração deve vir no começo do primeiro trimestre

Novo pacote de estímulo fiscal, bem como o avanço da imunização, deve garantir reaceleração em direção ao final do período.

Vendas no varejo surpreenderam negativamente

Surpresa foi tanto no quesito restrito (-0,1%) e no quesito ampliado (+0,6%).

Freio de arrumação

Sabe quando o ônibus está lotado e o motorista pisa fundo no freio? Logo abre espaço para mais gente entrar.

Lewandowski assume tarefa do ministro da Saúde

Supremo quer saber dos estados estoque real de agulhas e seringas.