A centenária marca italiana Fila ganha nova vida na China

A marca italiana de roupas esportivas Fila ganhou nova vida na China, com sua receita operacional atingindo um recorde de 21,82 bilhões de yuans (cerca de 3,37 bilhões de dólares americanos) em 2021, de acordo com suas demonstrações financeiras.

Coleções de Fila são exibidas no museu Anta em Jinjiang, província de Fujian, sudeste da China, em 16 de maio de 2022. (Foto de Zhou Yi/Xinhua)

Xinhua - Silk Road

 

Fuzhou, 26 mai (Xinhua) — A marca italiana de roupas esportivas Fila ganhou nova vida na China, com sua receita operacional atingindo um recorde de 21,82 bilhões de yuans (cerca de 3,37 bilhões de dólares americanos) em 2021, de acordo com suas demonstrações financeiras.

O rápido desenvolvimento do mercado chinês de roupas esportivas e a forte cadeia industrial na China permitiram que a Fila crescesse, passando de uma marca com prejuízo para uma com receita de mais de 20 bilhões de yuans. A maior empresa de roupas esportivas da China, Anta Sports, adquiriu franquias para as marcas registradas do Fila Group na parte continental da China, bem como em Hong Kong e Macau em 2009.

Após a aquisição, a Fila ganhou sua posição como uma marca de roupas de moda esportiva de alto padrão na China, conquistando os consumidores chineses com sua combinação única de uma imagem elegante e esportiva, também apelidada de “athleisure”.

“Percebemos que a demanda dos consumidores chineses pela moda e individualidade vem aumentando”, disse Li Ling, vice-presidente do Anta Group.

Ao abraçar a última moda entre a geração jovem da China e ter cooperação cruzada com designers de renome mundial, a Fila ganhou notoriedade no mercado chinês, no qual os consumidores dificilmente conseguem relacionar a marca com uma que estava em déficit há uma dúzia de anos.

De acordo com Yao Weixiong, presidente da Fila Greater China, seus designers visitam regularmente o Fila Museum em Biella, cidade natal da marca, onde estão armazenados mais de 100.000 esboços e amostras de designs da marca.

“Os designers se inspiram nos mais de 100 anos de história da marca e depois criam coleções baseadas nos estilos que atendem aos consumidores chineses”, disse Yao.

De acordo com a Euromonitor, uma empresa global de pesquisa de mercado, o tamanho do varejo do mercado chinês de roupas esportivas cresceu de 79 bilhões de yuans em 2007 para 371,8 bilhões de yuans em 2021. Estima-se que chegue a 600 bilhões de yuans em 2026.

O crescente mercado consumidor da China oferece à Fila mais possibilidades, enquanto uma cadeia industrial madura também garante sua produção.

A sede da Anta está situada em Jinjiang, província de Fujian, leste da China. Jinjiang é apelidado como “a maior base de produção de tênis do mundo”. Mais de 40% dos calçados esportivos do país e 20% dos do mundo foram feitos na cidade. Ali também foi instalada a linha de produção da Fila, garantindo sua eficiência produtiva.

“A empresa continuará a crescer na robusta cadeia de suprimentos de roupas esportivas em Fujian e cooperará mais com pessoal de P&D para melhor atender à crescente demanda dos consumidores chineses à medida que sua qualidade de vida melhorando cada vez mais “, disse Li Ling, vice-presidente da Anta. Fim

 

Trabalhadores ocupados em produção de calçados, em uma oficina da sede da Anta em Jinjiang, província de Fujian, sudeste da China, em 17 de maio de 2022. (Foto de Zhou Yi/Xinhua)

Tênis da Fila são exibidos no museu Anta em Jinjiang, província de Fujian, sudeste da China, em 16 de maio de 2022. (Foto de Zhou Yi/Xinhua)

Leia também:

Saudi Telecom faz parceria com Alibaba em serviços de nuvem

Xinhua Silk Road
Agência de notícias oficial do governo da República Popular da China.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

CMOC gastará US$ 1,826 bilhão no projeto de KFM em Congo

O CMOC Group Limited (603993.SH, 03993.HK) anunciou nesta quinta-feira que investirá cerca de 1,826 bilhão de dólares na fase I do desenvolvimento do projeto da mina de cobre-cobalto de Kisanfu (KFM), na República Democrática do Congo (RDC).

Banco central da China injeta liquidez via recompra reversa

O Banco Central da China injetou nesta sexta-feira 10 bilhões de yuans (cerca de 1,5 bilhões de dólares) de recompra reversa, visando manter a liquidez do sistema bancário.

O mercado de pequenos artigos chineses é inaugurado em Dubai

O mercado de Yiwu, um centro de compras para pequenas mercadorias chinesas, foi inaugurado nesta quinta-feira em Dubai, oferecendo uma alternativa de mercado para compradores estrangeiros adquirirem produtos fabricados na China, informou Chinanews.com.

Últimas Notícias

Ford Brasil: Centro global de exportação de serviços de engenharia

Projetos de ponta voltados ao futuro da mobilidade, como veículos elétricos, autônomos e conectados. 

Senado vai analisar vetos na Lei Aldir Blanc

Existe uma fila de 36 vetos aguardando votação dos senadores e deputados

Caixa: desconto de até 44% para regularizar penhor em atraso

As unidades com serviço de penhor disponível podem ser consultadas no site da Caixa

Índice de Preços ao Produtor (IPP) sobe 1,83% em maio

Das 24 atividades analisadas, 21 tiveram alta de preços

Acqio inclui transações via Pix em suas soluções de pagamento

Em abril os pagamentos feitos via Pix atingiram a marca histórica de 11,5%, no comércio eletrônico