A difícil e custosa transição energética

Apenas 13% das empresas alemãs veem impacto positivo da transição energética

96
Energia eólica
Energia eólica (Foto: Pixabay)

As empresas alemãs perderam a paciência com a política de transição energética do país, já que os altos custos da energia estão prejudicando a produção e o investimento, mostrou uma pesquisa publicada nesta terça-feira.

Mais da metade (52%) das 3.572 empresas inquiridas pela Associação das Câmaras Alemãs de Indústria e Comércio (DIHK) afirmaram que a transição energética, que visa a neutralidade climática, tem um impacto negativo ou muito negativo nos seus negócios; apenas 13% veem sob uma luz positiva.

A DIHK calcula, desde 2012, o barômetro de transição energética, que marcou -27 pontos, um nível mínimo recorde. O barômetro varia de +100 a -100.

No geral, uma grande parte da economia está preocupada com o fornecimento inadequado de energia a médio e longo prazo e considera-o um desenvolvimento preocupante que deve ser levado a sério, disse Achim Dercks, vice-gerente geral da associação.

Espaço Publicitáriocnseg

“Do ponto de vista das empresas, a falta de previsibilidade e confiabilidade na política energética está no topo das barreiras à transformação”, afirmou o DIHK.

Transição energética provoca êxodo

Três quartos das empresas reduziram os seus investimentos e quase metade com utilização intensiva de energia restringiram os investimentos em áreas centrais.

O êxodo de empresas alemãs que desejam reduzir os seus custos energéticos aumentou: 32% planejam deslocalizar parte da produção para o estrangeiro ou reduzir sua presença na Alemanha. É uma alta de 16 pontos percentuais em relação ao ano anterior.

A indústria alemã vem sofrendo com outras restrições além da transição energética. Anos de cortes em investimentos públicos levaram a infraestrutura degradada, conectividade muito inferior à de países concorrentes e precarização do sistema educacional. A redução da proteção social e a desregulamentação do trabalho completaram o quadro.

Universidade, empresas e inovação

A Agência de Inovação da Unicamp (Inova Unicamp) acaba de publicar o seu Relatório Anual referente a suas atividades e resultados em 2022. Entre os destaques, a Universidade:

  • Bateu recorde em valor de P&D com empresas em mais R$ 249 milhões
  • Total de 73 convênios de P&D assinados com empresas
  • 100 patentes concedidas pelo INPI
  • 88 comunicações de invenções da Unicamp

Rápidas

Este sábado marca os 5 anos do incêndio que atingiu o Museu Nacional. No domingo, acontecerá o Festival Museu Nacional Vive, a partir das 10h, com atrações científicas, culturais e gastronômicas *** A artista plástica e fotógrafa Andréa Brêtas abre a exposição África no Feminino, trazendo fotos p&b de mulheres africanas na Bafka Galleria, Fábrica Bhering, no dia 9, às 15h *** O Américas Shopping apresenta, neste domingo, às 17h, a peça infantil Rapunzel *** Neste sábado, o Shopping Jardim Guadalupe promove o Torneio Guada Games, competição entre os fãs de jogos de videogames *** O IV Evento Eco Gaia de Portas Abertas traz manifestações sobre a cultura afro-brasileira, neste domingo, em Niterói (RJ).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui