A importância da cybersegurança durante a pandemia

Fernando Vieira: as recomendações do isolamento social contribuíram para o crescimento da procura pelo seguro cyber risk.

Seguros / 23:59 - 16 de set de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

A crescente dependência das sociedades em relação às ferramentas digitais traz um tema no qual mantém o destaque durante a pandemia do coronavírus: o aumento na incidência dos ataques cibernéticos. Com o home office como recurso para o trabalho e a segurança de todos, a dependência da comunicação digital se multiplica.

Atualmente, a internet é o meio mais eficaz e o principal caminho para boa parte das empresas, darem continuidade as suas atividades. Devido a esses aspectos tomarem uma proporção maior, a Vieira Corretora de Seguros ampliou o atendimento aos seus segurados, no que diz respeito ao seguro cibernético, que gera segurança para diversos usuários no Brasil e no mundo.

De acordo com Fernando Vieira, as recomendações do isolamento social contribuíram para o crescimento da procura pelo seguro cyber risk. “Iniciamos um trabalho na corretora, onde foi feito um levantamento a respeito desse seguro, para gerar mais segurança para as empresas nas quais atendemos atualmente, Com a recomendação global, o home Office virou regra e as interações se dão bem mais por chamadas de vídeo, voz e posts nas mídias sociais. Essa disseminação por estar no ambiente digital em grandes proporções, ficou nítida a procura por essa modalidade de seguro e assim nos planejamos, munidos de conhecimentos sobre as coberturas e as suas particularidades, para atender os nossos clientes. No pior dos casos, ataques cibernéticos de base ampla pode gerar muitos transtornos, dentre um deles é a falha de infraestrutura generalizada, que deixam comunidades ou cidades inteiras offline. Fora a perda de informações, ataques virtuais, entre outros acontecimentos”, explicou.

A situação tende a ficar ainda grave à medida que a situação de crise se prolonga, porque as pessoas tendem a cometer erros que elas não cometeriam em outras ocasiões. Falando de ambientes online, cometer um erro em termos de qual link uma pessoa clica ou a quem confia seus dados pode custar muito caro. Confiram alguns detalhes que podem auxiliar a evitar os ataques:

Intensifique seus “padrões de higiene” de cibersegurança - Além de lavar as mãos após cada contato físico e usar uma solução de limpeza à base de álcool no telefone, teclado, controles de jogos e controles remotos, reserve um tempo para revisar seus hábitos de “higiene digital”. Verifique se você possui uma senha longa e complexa do roteador para o seu Wi-Fi doméstico e se os firewalls do sistema estão ativos no seu roteador. Verifique se você não está reutilizando senhas na web (um gerenciador de senhas é um ótimo investimento) e use uma VPN (rede privada virtual) confiável para acesso à internet sempre que possível.

Seja extremamente vigilante na verificação - Tenha muito mais cuidado do que o habitual ao instalar softwares e fornecer qualquer informação pessoal. Não clique nos links do e-mail. Ao se inscrever em novos serviços, verifique a fonte de cada URL e verifique se os programas ou aplicativos instalados são as versões originais de uma fonte confiável. Os vírus digitais se espalham como os físicos e seus possíveis erros online podem muito bem contaminar outras pessoas da sua organização, um catálogo de endereços ou a comunidade em geral.

Siga as atualizações oficiais: assim como você presta atenção a fontes confiáveis de dados sobre a disseminação e o impacto do Covid-19, atualize regularmente o software e os aplicativos do sistema para corrigir eventuais pontos fracos que possam ser explorados; se, em algum momento, você achar que o conselho que lhe está sendo dado parece bizarro - seja a ameaça do vírus offline ou digital - pesquise na internet para ver se outras pessoas têm preocupações semelhantes e procure um site conhecido que possa ajudar a verificar a legitimidade da informação.


 

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor