A lição que fica na retomada das atividades

Shoppings primeiro, escolas depois.

Fatos e Comentários / 19:08 - 2 de jun de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

O fim do isolamento no Rio e em São Paulo está ocorrendo debaixo da pressão de diversos setores empresariais, asfixiados pela crise e pela inoperância – ou falta de vontade – do governo central em reduzir os danos. A principal pressão vem das administradoras de shopping centers. Não há sentido em reabrir centros comerciais – locais, em 99% dos casos, fechados – e deixar lojas de ruas com as portas cerradas, como propõe o prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella.

O presidente do CDLRio e do SindilojasRio, Aldo Gonçalves, junto com outras entidades representativas do comércio carioca, questionam por que a Prefeitura deixou para a última fase, daqui há um mês, o comércio varejista de rua, que compõe a grande maioria dos estabelecimentos comerciais da cidade.

A reabertura prioritária de shoppings levanta outras questões mais de fundo: por que abrir lojas e deixar escolas fechadas? Não há uma inversão de prioridades? Educação é algo secundário? Como ficam as mães que trabalham? Com quem vão deixar os filhos?

A lição que fica é que o consumo – o vil metal – vem na frente. As cidades que estão levantando as restrições tinham obrigação de divulgar como está sendo a transmissão da doença nos municípios que voltaram antes à normalidade. São Paulo bateu nesta terça recorde de casos e mortes. Mas esta preocupação parece minguar na mesma proporção em que diminuem os casos de Covid-19 nas áreas mais abastadas e os hospitais particulares ganham folga. A periferia que se vire.

 

Mil na fila

A reabertura do comércio em Paris provocou filas nas lojas de roupas de grife e em outras menos chiques, como a Zara. O fim do lockdown levou milhares de pessoas às ruas em São Luís (Maranhão), muitos – muitos mesmo – sem máscaras.

Na Inglaterra, os compradores voltaram às lojas na segunda-feira, com a reabertura de revendedoras de automóveis, mercados e outros comércios. O número de compradores saltou 31%, em comparação com o feriado bancário da segunda-feira da semana passada, segundo analistas da Springboard citados pelo jornal The Guardian. Em todo o Reino Unido, o número de compradores aumentou 28%.

Havia fila em frente à Ikea (espécie de Tok&Stok) a partir das 5h30, com relatos de mil pessoas do lado de fora da loja Warrington e outras esperando várias horas para fazer compras em Croydon, sul de Londres. Mesmo com essa compulsão, o número de compradores em todos os destinos de varejo ainda estava mais de 60% abaixo do mesmo período do ano passado.

O número de passageiros que usam o metrô de Londres aumentou cerca de 20% na segunda-feira em relação à semana passada. A viagem no pico da manhã foi de cerca de 11% dos níveis pré-coronavírus.

 

Destino

Bolsonaro lamenta todas os mortos, “mas é o destino de todos”. É uma filosofia de vida que explica não só o pouco-caso do presidente com Saúde, mas também Educação, Economia… Com este governo, a morte da Nação é a única certeza.

 

Vírus estadunidense

A Espanha leva a culpa, mas a gripe que leva o nome do país europeu surgiu nos Estados Unidos. Será o mesmo caso agora, em que a extrema-direita insiste em chamar a Covid-19 de “vírus chinês”?

 

Rápidas

Nesta quarta-feira, às 17h, a CEO da M2Trade, Michelle Fernandes, recebe Paula Mark Sady, diretora-executiva da Câmara AEB de Mediação de Conflitos em Comércio Exterior. Acesse no Instagram *** Também nesta quarta, às 17h, acontece o “Tem Mulher na Roda”, com a ativista social Janaina Bemvindo, do grupo A Liga, que recebe convidados ao vivo para falar sobre a violência doméstica. A live será realizada no Facebook @janainabemvindo *** Outra opção desta quarta é o webinar “Como ficam as relações de trabalho pós-pandemia?”, às 10h, pela FGV Educação Executiva, no YouTube. Inscrições aqui *** Rony Jabour, especialista internacional em segurança do trabalho, realiza live sobre novos protocolos no retorno às atividades, nesta quarta, às 15h, no YouTube Zurich Termoplásticos *** Ainda na quarta, às 10h30, o superintendente de Leitura da Secretaria do Rio, Pedro Gerolimich, bate papo com a professora Fernanda Paschoal sobre a importância de Feiras Literárias na Escola, no Insta @pedro.do.livro

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor