A nova Vitrine do Exportador

A Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (Mdic) lançará, em julho, a nova versão do site Vitrine do Exportador. Entre as novidades da futura página, haverá uma ferramenta que permitirá montar um perfil (vitrine virtual) personalizado do exportador, em que poderão ser incluídos fotos, vídeos, dados comerciais, geolocalização e texto sobre a empresa. O acesso para construção desta vitrine virtual será por senha individualizada, em ambiente seguro, administrado pela equipe da Vitrine do Exportador. Todos os serviços serão gratuitos, inclusive a tradução de conteúdo para os idiomas inglês e espanhol.
Haverá também um espaço de marketplace, em que importadores estrangeiros poderão estabelecer contatos com empresas brasileiras habilitadas. Outra vantagem é que a base de informações terá atualização mensal de novos exportadores, uma vez que estará interligada aos sistemas estatísticos da Secex. Empresas ainda não exportadoras também poderão participar, mediante solicitação de adesão. O site é www.vitrinedoexportador.gov.br

Facilidade: declaração eletrônica
Uma novidade tecnológica que entrará em vigor no próximo mês ajudará a resolver um dos principais problemas das empresas exportadoras: a demora na devolução dos créditos do PIS e da Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins). Segundo a Receita Federal, a declaração eletrônica dos dois tributos tornará o ressarcimento automático, sem a necessidade de espera. Como nenhum país pode exportar impostos, os tributos pagos nas matérias-primas usadas pelas empresas que vendem ao exterior são devolvidos. Atualmente, a Receita paga metade desses créditos tributários em 90 dias. A outra metade, no entanto, leva até cinco anos por causa da burocracia e da verificação de documentos e das notas fiscais pelos auditores.

Rússia faz ameaça
Pode aumentar o número de empresas brasileiras afetadas pela proibição de exportar carne para a Rússia. A advertência foi feita por Sergey Dankvert, diretor da Inspeção Sanitária Agrícola da Rússia. Dankvert alertou mais uma vez que, caso o Brasil não se ajuste às exigências russas para a conservação da carne, outras empresas serão afetadas pelas restrições já impostas a 89 frigoríficos, dos Estados de Mato Grosso, Paraná e Rio Grande do Sul. Esta semana, a ministra da Agricultura da Rússia, Yelena Skrinnik, deverá conversar com os técnicos da Secretaria de Defesa Agropecuária do Ministério da Agricultura do Brasil que estão em Moscou tentando obter do governo russo a retomada plena das importações da carne brasileira.
O Brasil é um dos principais fornecedores dom produto para a Rússia, país para o qual envia 45% da sua carne bovina, 35% da suína e 19% da carne de frango, segundo o Instituto de Marketing Agrícola de Rússia.

Seminário sobre Comércio Exterior
Estão abertas as inscrições para o quarto Seminário de Operações de Comércio Exterior deste ano, que será realizado no dia 28 de junho. As palestras serão sobre os temas: Novoex – Siscomex Exportação Web – Módulo Comercial; Licenças de Importação de máquinas e equipamentos novos e usados; Drawback Integrado nas Modalidades Suspensão e Isenção; Cotas – Informações Gerais. Os interessados devem se inscrever enviando mensagem para o e-mail: seminario.com.ext@mdic.gov.br, informando nome completo, empresa ou órgão, cargo ou função, telefone e e-mail para contato

Vinhos brasileiros no exterior
As sete vinícolas brasileiras presentes na Vinexpo 2011, em Bordeaux, na França, encerram sua participação no evento comemorando sua entrada em dez novos países, além da ampliação das vendas em mercados que já importavam seus produtos. Diante dos ótimos resultados obtidos, a previsão é de que, neste ano, o Brasil ultrapasse a meta inicial de aumentar em 90% suas exportações de vinhos em relação ao ano passado. Com os negócios fechados na Vinexpo, oito países passam a contar com novas vinícolas brasileiras em seus mercados: China, Suécia, Dinamarca, Finlândia, Bélgica, Luxemburgo, Estônia e Canadá. Além disso, pela primeira vez, os vinhos do Brasil serão vendidos no México e na Venezuela, aumentando de 27 para 29 o total de países para onde a produção brasileira é exportada.

Grupo JBS comemora liderança
O grupo JBS está comemorado. Manteve a primeira posição no ranking de receita com exportações entre as companhias de carne brasileiras no acumulado do ano até maio. As vendas externas do grupo no período totalizaram US$ 1,090 bilhão, avanço de 166,80% ante os US$ 408,795 milhões de igual intervalo do ano passado. O Bertin, incorporado em setembro de 2009 pelo grupo, cujos números ainda são divulgados separadamente pela Secex, não figurou na lista de maio. Com esse resultado, a JBS ficou na oitava posição no ranking geral das 40 principais empresas brasileiras em exportação nos cinco primeiros meses do ano, mesma colocação obtida no levantamento anterior.

Dificuldades do setor têxtil
Indústria têxtil e de confecção nacional vem enfrentado dificuldades de concorrer com os produtos acabados importados da China. A balança comercial do setor apresenta saldo negativo. A previsão é de US$ 5,5 bilhões para este ano.

Déficit no balanço de pagamentos
Merece atenção a notícia que o balanço de pagamentos registrou superávit de US$ 5,2 bilhões em maio. As transações correntes apresentaram déficit de US$ 4,1 bilhões, acumulando nos últimos 12 meses US$ 51 bilhões, equivalentes a 2,29% do PIB, segundo informações divulgadas nesta segunda-feira pelo Banco Central (BC). A balança comercial foi superavitária em US$ 3,5 bilhões. A conta financeira registrou ingressos líquidos de US$ 8,8 bilhões, com destaque para os investimentos estrangeiros diretos, US$ 4 bilhões, e para as captações líquidas de títulos privados no mercado externo, US$ 1,6 bilhão, que diminuíram 43,9% em relação a abril. A conta de serviços apresentou déficit de US$ 3,7 bilhões no mês, 46,9% acima do registrado em maio de 2010.

Balança na sexta-feira
O Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) divulga, nesta sexta-feira (1º/7), os dados da balança comercial do mês de junho. Os números da última semana do mês serão também apresentados nesta data. A partir das 11h, as informações preliminares estarão disponíveis no site do MDIC e, às 15h30, haverá entrevista coletiva para comentar os resultados no auditório do Ministério.

Antonio Pietrobelli
editor@exportnews.com.br

Artigos Relacionados

Indústria pede R$ 1,6 bi para Proex Equalização

A cada US$ 1 alocado no programa, são gerados US$ 25,7 em exportações de alto valor agregado

Eliminada exigência de licença para importação de 210 produtos

A Secretaria de Comércio Exterior do Ministério da Economia (Secex/ME) eliminou a exigência de licenças automáticas de importação para 88 produtos e...

China garante o superávit da balança comercial do Brasil

A China foi a principal fonte de contribuição para o superávit da balança comercial do Brasil, com importações de US$ 4,5 bilhões...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Preços dos carros mais vendidos subiram 9,4% em média em um ano

Com 18,23% de variação, Renault Kwid foi o que mais subiu de preço entre os 13 mais vendidos.

PEC Emergencial pode sair da pauta do Senado desta quinta

Parlamentares resistem a cortes na saúde e educação e propõem votar apenas questão do auxílio emergencial.

Desdobramentos da intervenção na Petrobras

Percepção é de que o 'superministro' de Bolsonaro pode estar ficando cada vez mais isolado.

IPCA-15 de fevereiro ficou abaixo da expectativa

Índice mostra variação mais fraca que o esperado em alimentação, educação; já saúde e transportes vieram mais fortes que a expectativa.

Tentativa de superação

Ontem foi dia de recuperação da Bovespa, liderada pelas ações da Petrobras, Eletrobrás e setor bancário.