A reforma do Imposto de Renda

As últimas novidades sobre a Reforma do Imposto de Renda no Brasil e seu impacto na economia. Por Marina Alana Chaves.

112

Ao longo do ano de 2023, diversas mudanças foram realizadas em âmbito tributário no Brasil, não apenas de cunho especialmente arrecadatório, como a aprovação da normativa que instituiu a tributação de offshores e fundos de investimentos (Lei 14.711/2023), mas também a aprovação, enfim, da tão esperada Reforma Tributária, que altera a tributação sobre o consumo (EC 132/2023).

Ao apagar das luzes de 2023, também houve uma relevante alteração promovida pela Lei 14.879/13, que mudou a sistemática do aproveitamento de subvenções para investimento, inviabilizando o aproveitamento de benefício que por muitos anos ajudou o empresariado a reduzir de forma relevante o IR devido.

Nessa toada, o próximo passo seria a reforma do imposto sobre a renda, que vem sendo tangenciada pelo governo desde o início de 2023, em meio às demais medidas citadas. Diferentemente da reforma sobre o consumo recém-aprovada, que impactará de forma distinta os diversos segmentos de atividades, a reforma do Imposto de Renda impactará o empresariado como um todo, já que temas como tributação de dividendos, JCP e alteração de alíquotas são gerais.

Contudo, apesar da pressa para submeter normativas deste tipo à votação junto ao Poder Legislativo, acredita-se que somente a partir de 2025 essa pauta deve de fato ser apreciada pelo Congresso, à medida em que, ao longo deste ano de 2024, muitas outras decisões precisarão ser tomadas sob o ponto de vista fiscal.

Espaço Publicitáriocnseg

Isso porque, com a aprovação da reforma tributária via Emenda Constitucional, está pendente a criação e aprovação de Lei Complementar para definir os novos parâmetros da tributação, que já precisam estar operando em regime de transição a partir de 2026.

É um volume considerável de textos a serem redigidos e decisões a serem tomadas, que implicarão em diversos debates dos congressistas não apenas entre si, mas também com todos os setores da economia. É um momento de decisões delicadas e importantes para a efetividade e o bom funcionamento da reforma tributária aprovada.

Isso sem falar que o Congresso não é exclusivamente atrelado aos temas fiscais, mas também possui outras pautas para analisar em diversos outros setores, como saúde, educação, segurança.

É dizer, será bastante trabalho, em um ano que promete grandes movimentos na vida tributária do País, mas, ao que tudo indica, ao menos por enquanto, a reforma do imposto de renda seguirá na lista de espera.

Marina Alana Chaves é advogada associada do escritório Briganti Advogados, especialista em direito tributário.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui