Abrir a porteira

O comércio lojista vibra com a restituição do Imposto de Renda, que a partir de 16 de novembro vai colocar no mercado R$ 1,96 bilhão nas ruas. De acordo com o presidente da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), Roque Pellizzaro Junior, “há uma demanda reprimida que vai ser impulsionada com os recursos em breve liberados pela Receita Federal. Esse dinheiro vai também ter impactos positivos da redução da inadimplência. A tendência é o cliente aproveitar a restituição do IR e o 13 º salário para honrar seus compromissos financeiros e ter condições de voltar a consumir”.
As vendas do comércio no fim do ano, na avaliação do presidente da CNDL, vão crescer 9% em relação a 2008. O valor médio da compra será levemente maior este ano, R$ 170.

Vantagem
De acordo com estudo realizado pelo Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT), realizado a partir da análise de 1.260 débitos de empresas e pessoas físicas, são grandes as vantagens de adesão ao Refis da Crise. Para pessoas físicas, o novo parcelamento é vantajoso em 95% dos casos. Já migrar do Paes para o novo Refis não apresenta vantagens, já que o saldo do Paes é corrigido pela TJLP, enquanto no parcelamento atual será usada a Selic, que chega a ser 60% maior.

Antecipação
Para as pessoas jurídicas, o Refis da Crise apresenta benefícios em 80% dos casos analisados pelo IBPT, mas as micro e pequenas empresas que participam do primeiro Refis e as que estejam no Paex de 130 de meses não terão vantagens em migrar.
Segundo presidente do IBPT, Gilberto Luiz do Amaral, o novo Refis é o melhor programa de parcelamento de dívidas tributárias que o governo elaborou. Ele recomenda que contribuintes que tenham débitos não declarados provenientes da omissão de receita ou de dívidas previdenciárias de reclamatórias trabalhistas devem se antecipar a uma possível ação do Fisco e aderir ao programa, “afastando, assim, possíveis sanções penais”.

Última chamada
Atenção para o prazo: a adesão ao Refis da Crise irá só até o final deste mês, alerta a vice-presidente do Sindicato das Empresas de Serviços Contábeis (Sescon-RJ). Ela concorda que a lei é uma excelente oportunidade para as empresas acertarem sua situação com o fisco e não deve ser desperdiçada.

Rumo ao Natal
Cresce o número de consumidores que quitaram suas dívidas em atraso com o comércio lojista da Cidade do Rio de Janeiro. Em outubro, o índice cresceu 4,8% em relação ao mesmo mês do ano passado, o maior aumento do ano, de acordo com os registros do SPC do CDL-Rio. No acumulado janeiro/outubro, houve um aumento de 1% em comparação com o mesmo período de 2008. A inadimplência teve crescimento de 0,7% em relação a outubro de 2008. No acumulado do ano, alta de 2,6%.

Engenharia
Ciência, tecnologia, ambiente e sociedade estão em pauta, até esta quinta, no V Seminário Internacional da Rede Internacional para a Educação de Engenheiros (Riei), iniciado segunda-feira. Entre os palestrantes, o professor Luiz Pinguelli Rosa, ex-presidente da Eletrobrás, e o presidente do Conselho Estadual de Educação, Paulo Alcântara Gomes.

Caso de polícia
Sem resposta dos patrões sobre a implantação do cartão de ponto em suas redações, jornalistas da Editora O Dia e da Infoglobo, editora das publicação da Globo, reúnem-se, nesta quarta-feira, às 12h30, na… Academia de Polícia (Acadepol), na Rua Frei Caneca 162 (ao lado do Batalhão da PM).

Casa dos delegados
Para quem achar inusitado o local escolhido para sediar uma assembléia de jornalistas, acrescente-se que, em contrapartida, os delegados associados à Acadepol costumam realizar seus principais eventos na… Associação Brasileira de Imprensa (ABI).

Vem chegando o verão
O consumo de sorvetes no país atingiu 954 milhões de litros por ano e o consumo por habitante teve alta de 23,27%. A Associação Brasileira das Indústrias de Sorvetes prevê, para os próximos dez anos, necessidade de investimentos no desenvolvimento tecnológico e em novos estudos nutricionais para manter o mercado aquecido. A Nestlé dá sua contribuição com os lançamentos do sorvete de creme em pote Tupperware de 3 litros, do sorvete Chamyto e dos picolés Molico e Nestlé Diplomata.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorCrise global
Próximo artigoEspecialista

Artigos Relacionados

Bolsonaro invade TV Brasil

Programação foi interrompida 208 vezes em 1 ano para transmissão ao vivo com o presidente.

FMI: 4 fatores ameaçam inflação

Fundo acredita que preços deem uma trégua no primeiro semestre de 2022, mas...

Pandora Papers: novos atores nos mesmos papéis

Investigação mostra que pouco – ou nada – mudou desde 2016.

Últimas Notícias

Receita: brasileiros movimentaram R$ 127 bi em criptomoedas em 2020

O subsecretário de Fiscalização da Receita Federal, Jonathan de Oliveira, disse, nesta quarta-feira em audiência na Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara...

Elevar Selic para 7,75% será eficaz no combate à inflação?

Analistas prevêem taxa de 11% em maio de 2022.

Carteira da massa falida do Banco Cruzeiro do Sul

Por Antonio Pietrobelli.

Vencimento de título corrigido pela Selic puxa queda da Dívida Pública

O vencimento de mais de R$ 200 bilhões em títulos públicos vinculados à taxa Selic (juros básicos da economia) fez a Dívida Pública Federal...

Quase 80% pretendem fazer compras no período da Black Friday

Varejo eletrônico gasta mais com publicidade para a data do que para o Natal.