Acabou a trégua: Biden terá que dizer a que veio

Definida a eleição de Joe Biden, acaba a trégua dentro do Partido Democrata. Diferente do que aconteceu com Hillary Clinton, em 2016, o partido se uniu para derrotar Donald Trump. Agora, a disputa começa para se definir que mudanças prometidas serão realmente feitas. O alerta foi feito pela deputada por Nova York Alexandria Ocasio-Cortez. Reeleita com tranquilidade, com as outras 3 democratas que integram “o esquadrão”, pelotão de frente da esquerda no Congresso, AOC, como é conhecida, cobra do partido o reconhecimento de que foi o desejo por mudanças que levou à vitória; e essa alteração deve ser ampla, da forma como os democratas se comunicam às políticas públicas e à economia. Não fosse a crise trazida pela pandemia, provavelmente seriam os republicanos comemorando.

Qualquer análise do resultado das eleições norte-americanas mostra um país dividido. E uma olhada mais de perto revela que, se foi o elevado comparecimento às runas, especialmente de jovens e negros, que fez a diferença em estados que foram decisivos para a eleição de Biden, a campanha democrata ficou longe de atrair o que podemos chamar de “cidadão médio”, o eleitor (e eleitora) branco, que mora fora dos grandes centros.

O presidente eleito conseguiu algum sucesso em virar os votos nos subúrbios, onde, 4 anos atrás, Trump venceu por larga margem. Mas o norte-americano que votou pela reeleição – majoritariamente homem, branco, de nível educacional médio e do interior – pertence à classe trabalhadora. “Trump chegou à presidência em 2016 tecendo uma colcha de retalhos de eleitores da classe trabalhadora na América rural. Esses eleitores compareceram em números ainda maiores para Trump em 2020, mas isso não foi suficiente para compensar o aumento da participação em áreas com mais pessoas com ensino superior”, apontam números em análise feita pelo jornal britânico The Guardian.

Não se trata de fenômeno restrito aos EUA. Pode ser visto em dezenas de países. Tirar Trump funcionou como um catalisador para parte da população. Mas se Biden pretende realmente unir o país – e que não o faça atacando Venezuela ou Irã – deve ficar atento ao que dizem AOC e outros personagens importantes. Uma tarefa para 4 anos, mas cujo primeiro passo será já em janeiro: se pretende alcançar maioria (mínima) no Senado, o presidente eleito terá que conquistar os eleitores da Geórgia no segundo turno para 2 vagas de senadores. Nesse estado, o alto comparecimento de jovens e negros fez a eleição pender para Biden (o resultado final ainda depende da recontagem). Vamos ver se conseguirá aumentar o número de votos com propostas que atraiam o eleitor, e não apenas com a vantagem de presidente eleito.

Ideologia

Deu no G1: “Vacina da Pfizer e BoiNTech é mais de 90% eficaz, aponta análise preliminar”. Logo abaixo: “Sem estudos, Rússia diz que Sputnik V também tem ‘mais de 90%’ de eficácia”.

Em ambos os casos, o desenvolvimento das vacinas encontra-se na fase 3, e ainda não foram divulgados os resultados em publicações especializadas. A diferença que levou o G1 a destacar o “sem estudos” na notícia do medicamento da Rússia? Exatamente esta palavra: “Rússia”.

Marcha à ré

Anos de políticas ultraneoliberais, agora com Paulo Guedes à frente, levaram a economia do Brasil a afundar: em 2020, deve sair do grupo dos 10 maiores, depois de ser o 6º maior em 2011 e almejar a 5ª colocação. O Brasil dever ser ultrapassado por Canadá, Coreia e Rússia.

Rápidas

O Instituto dos Advogados Brasileiros (IAB) promoverá o lançamento dos livros Terras indígenas: a indiferença dos tribunais do Brasil Destruição dos princípios liberais: o suicídio da elite brasileira, do diretor Jorge Rubem Folena de Oliveira, nesta terça, às 18h, no canal TVIAB no YouTube *** Nesta terça, 14h, Luiz Edgard Montaury Pimenta, sócio da banca Montaury Pimenta Machado e Vieira de Mello, será o palestrante do painel “Trade Dress de Estabelecimentos Comerciais – Interseção entre moda, arquitetura e direito” no V Congresso Internacional de Direito da Moda, organizado pela OAB-RJ. Inscrições aqui *** IGE Brasil e Sports Value promovem o Curso Gestão e Marketing Esportivo na Era Digital. As aulas vão de 10 de novembro a 8 de dezembro. Inscrições aqui.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Bolsonaro invade TV Brasil

Programação foi interrompida 208 vezes em 1 ano para transmissão ao vivo com o presidente.

FMI: 4 fatores ameaçam inflação

Fundo acredita que preços deem uma trégua no primeiro semestre de 2022, mas...

Pandora Papers: novos atores nos mesmos papéis

Investigação mostra que pouco – ou nada – mudou desde 2016.

Últimas Notícias

Rio Indústria apoia lei que desburocratiza e facilita novos negócios

Em audiência pública realizada nesta quinta-feira (14), na Câmara Municipal do Rio, sobre o Projeto de Lei Complementar nº 43/2021 que regulamenta a Declaração...

Ciência: entidades pedem liberação de recursos

Organizações questionam redirecionamento para outras áreas de R$ 515 milhões, que eram do CNPq.

Rating da EDP BR não muda com aquisição da Celg-T

Para a Fitch Ratings, a qualidade de crédito da EDP Energias do Brasil S.A. (EDP BR, Rating Nacional de Longo Prazo ‘AAA (bra)’, Perspectiva...

Tesouro: Queda do investimento líquido em ativos não financeiros

O Tesouro Nacional informou nesta sexta-feira que no 2º trimestre de 2021, a necessidade líquida de financiamento do Governo Geral alcançou 7,1% do PIB,...

Leilão de Excedentes da Cessão Onerosa terá sucesso?

Após a realização da 17ª Rodada de Licitações de Blocos para exploração e produção de petróleo e gás natural no último dia 7, considerado...