Acabou o barato

As autoridades municipais de Oslo arrancaram ontem um pé de maconha do jardim que cerca o Palácio Real da Noruega, residência dos reis Harald e Sônia. A prefeitura, que cuida do parque, retirou a planta depois que o jornal Vaart Land publicou a notícia. O jardineiro do Palácio Real, Steinar Volden, contou ao jornal que o pé de maconha foi plantado há um ano aproximadamente. Os arredores do Palácio serviram de ponto de encontro para vários usuários de drogas nos anos 60.

Crédito e impostos
A criação de uma agência de fomento no âmbito estadual para ampliar e baratear o crédito voltado à modernização da produção, beneficiando especialmente as médias e pequenas indústrias; a adoção de um programa de refinanciamento das dívidas fiscais baseado nas condições fixadas recentemente pelo governo de Minas Gerais, facilitando o pagamento de tributos atrasados, tornando os devedores adimplentes perante o governo estadual. Estas foram algumas das propostas apresentadas ontem pelo presidente eleito do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp), Claudio Vaz, ao governador Geraldo Alckmin. A conversa abrangeu também medidas para os problemas no Porto de Santos e a discussão de uma forma de contrapor os incentivos fiscais concedidos pelos governos dos estados vizinhos. Com este encontro, Vaz está demarcando o campo da Ciesp, assumindo uma agenda que até agora era exclusiva da Fiesp, que terá Paulo Skaf como presidente a partir do final deste mês.

Ausência
A ausência da governadora Rosinha Matheus na abertura de um seminário ontem na sede da Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan) azedou as relações entre o governo estadual e a entidade. Eduardo Eugênio Gouvêa Vieira, presidente da Firjan, abriu o evento dizendo que a governadora, apesar de ter confirmado várias vezes sua presença, telefonou no início da manhã afirmando que não compareceria. “A presença da governadora demonstraria sua prioridade em relação ao desenvolvimento do estado. Ela sabe que a Firjan é uma casa apartidária. A ausência mostra que talvez o interesse pelo desenvolvimento do estado não esteja muito profundo em sua mente”. O evento reuniu o ministro da Casa Civil, José Dirceu, e representantes de estatais federais, além de presidentes de empresas privadas.

Esperança
Será lançado amanhã, em Niterói (RJ), o livro Do Terror à Esperança: Auge e Declínio do Neoliberalismo (Idéias & Letras), do professor Theotonio dos Santos, titular da Universidade Federal Fluminense, coordenador da Cátedra e Rede da Unesco e da ONU sobre Economia Global e Desenvolvimento Sustentável. Theotonio, integrante do Conselho Editorial do MM, já publicou 43 livros e participou de outros 80. Seus trabalhos foram publicados em 16 línguas e mais de 50 países. O evento ocorrerá às 18h, no Solar do Jambeiro (R. Presidente Domiciano, 195 – São Domingos).

Funciona
Fruto da falta de investimentos dos últimos anos, a idade média das máquinas no Brasil está em torno de 16 anos. Para o presidente da Associação Brasileira de Manutenção (Abraman), Joubert Fortes Flores Filho, a situação exige um reforço da área de manutenção, que passa a ser responsável não mais pelos reparos, mas pela garantia dos sistemas funcionando de maneira segura e confiável. Nos últimos oito anos, a melhora da disponibilidade operacional “apresentou um crescimento médio de 7%, o que representa um valor de aproximadamente 91% atualmente. É a manutenção voltada para o negócio”, destaca o presidente da Abraman. As empresas aplicam em manutenção mais de 4% de seu faturamento, no Brasil e no mundo.

Na TV
Os passageiros de trem da Central do Brasil vão ter mordomia similar à dos aeroportos. A SuperVia, concessionária de trens urbanos do Rio de Janeiro, implantou monitores eletrônicos de informações sobre os horários de chegada e partida dos trens. Saber qual trem vai para que lugar e quando sempre foi um dos problemas dos passageiros da Central. Agora, só fica faltando a voz da Íris Letieri.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorResistência
Próximo artigoFunciona

Artigos Relacionados

Falta de servidores traz prejuízo, inclusive financeiro

Fila de segurados no INSS vai engrossar precatórios em R$ 11 bilhões.

Desmonte do Estado se dá pelas beiradas

Miçangas e espelhos empurram reformas administrativas nos municípios.

O que vale pros precatórios vale pra dívida interna?

Se calotes são defensáveis, poderiam ser estendidos para os títulos públicos.

Últimas Notícias

Distribuição comercial: quais cláusulas e condições mais importantes?

Por Marina Rossit Timm e Letícia Fontes Lage.

Mercado corre do risco em momento de estresse

Se tem uma coisa que o mercado é previsível é com relação ao seu comportamento em momentos de estresse é aversão ao risco. “Nessa...

Petrobras: mais prazo de inscrição no novo Marco Legal das Startups

Interessados em participar do primeiro edital da Petrobras baseado no novo Marco Legal das Startups (MSL) poderão inscrever-se até o dia 12 de dezembro....

Canal oficial para investidor pessoa física na B3

A partir desta sexta-feira, a nova área logada do investidor da B3, lançada em junho, passa a ser o canal que centraliza todas as...

Fitch Ratings atualiza metodologia de Rating de Seguros

A Fitch Ratings, agência de classificação de risco, publicou nesta sexta-feira relatório de atualização de sua Metodologia de Rating de Seguros. Segundo a agência,...