24.5 C
Rio de Janeiro
sábado, janeiro 16, 2021

AccorHotels se junta a marcas de luxo globais

Após a aprovação dos acionistas, na Assembléia Geral de Acionistas, nesta terça-feira, o Grupo AccorHotels anunciou oficialmente a aquisição do FRHI Hotels & Resorts (FRHI) e suas três prestigiadas marcas de hotéis de luxo: Fairmont, Raffles e Swissôtel.

Esta adição de três marcas notáveis ​​posiciona instantaneamente o grupo como um dos líderes no mercado global de hotéis de luxo, aumentando seu potencial de crescimento a longo prazo e rentabilidade, e expandindo significativamente o alcance da empresa na América do Norte, o maior e mais influente mercado consumidor do mundo.

“Isso abrirá perspectivas de crescimento surpreendentes, alçando a nossa presença internacional a níveis sem precedentes e criando valor a longo prazo”, afirma Sébastien Bazin, presidente do grupo.

Um portfólio de marcas admiradas globalmente está se juntando a rede global do grupo, incluindo a gestão de alguns dos hotéis mais emblemáticos e históricos do mundo, localizados em cidades estratégicas ao redor do mundo, incluindo: Savoy, em Londres; Raffles, em Singapura; Fairmont, em São Francisco; The Plaza, em Nova Iorque; Fairmont Le Château Frontenac, na cidade de Quebec; e o Le Royal Monceau Raffles, em Paris.

“Continuamos comprometidos a oferecer aos nossos clientes um serviço inigualável e, ao mesmo tempo, proporcionando excepcional retorno sobre o investimento para nossos acionistas e proprietários do hotel”. “Ao alavancar as sinergias operacionais entre a rede FRHI e a AccorHotels, estamos bem posicionados para acelerar o crescimento de nossas marcas de luxo e oferecer aos hóspedes escolhas e destinos ainda mais emocionantes”, acrescentou Bazin

Após a aprovação dos acionistas, a transação com a Autoridade de Investimento do Qatar (QIA) e a Kingdom Holding Company (KHC) da Arábia Saudita forneceu US$ 840 milhões (€ 768 milhões) em dinheiro e a emissão de 46,7 milhões em ações da AccorHotels e em consideração com as ações da FRHI já contribuídas. A transação dá, para a QIA e KHC, respectivas participações de 10,5% e de 5,8% no capital social da AccorHotels. Ali Bouzarif e Aziz Aluthman Fakhroo, da QIA, e Sarmad Zok, da KHC, se juntarão ao Conselho Administrativo do Grupo AccorHotels.

O grupo pretende gerar cerca de 65 milhões de euros em receitas e sinergias de custos graças à combinação das marcas, à maximização dos ganhos do hotel, ao aumento da eficiência de marketing, vendas e iniciativas de canais de distribuição e à otimização dos custos de suporte. Melhorias significativas também serão feitas em relação aos dados de clientes, graças à integração da base de clientes da FRHI, que inclui três milhões de associados, dos quais 75% se encontram na América do Norte.

A grande maioria dos 154 hotéis e resorts Fairmont, Raffles e Swissôtel (dos quais mais de 40 estão em desenvolvimento) e com 56 mil quartos, abrangendo 34 países e cinco continentes, são operados sob contratos de gestão a longo prazo, com prazo médio de cerca de 30 anos; seis hotéis são alugados e um hotel é de propriedade própria. As marcas Fairmont, Raffles e Swissôtel empregam mais de 45 mil colaboradores em todo o mundo.

Artigos Relacionados

Inovação no carregamento compartilhado de baterias

Os investimentos na startup não são revelados, mas foram muitos os esforços para chegar a uma solução que atendesse o mercado brasileiro.

MPT reúne-se com a Ford

Grupo atuará para mitigar os impactos decorrentes do encerramento das atividades nas três fábricas no Brasil.

Carrefour pode ser vendido para grupo canadense

Grupo, dono das lojas de conveniência Circle K, é avaliado em aproximadamente US$ 37 bi e tem mais de 2,7 mil unidades na Europa.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Varejo sente redução no auxílio e alta da inflação

Comércio ficou estável em novembro e quebrou sequência de recuperação.

Senado quer que Pazuello se explique

Pedido de convocação para cobrar ação do Ministério da Saúde no Amazonas.

Lenta recuperação na produção industrial dos EUA

Setor ainda está 3,6% abaixo do nível anterior à pandemia.

Realização de lucros em âmbito global

Bolsas europeias e os índices futuros de NY operam em baixa nesta manhã de sexta-feira.

Desaceleração deve vir no começo do primeiro trimestre

Novo pacote de estímulo fiscal, bem como o avanço da imunização, deve garantir reaceleração em direção ao final do período.