Ações A da China se tornam mais viáveis para investidores globais

O mercado de ações A da China se tornou mais acessível para o investimento por investidores globais, informou o Securities Daily, citando um relatório de pesquisa divulgado nesta segunda-feira por uma equipe de análise de estratégia do banco de investimentos líder global, Goldman Sachs.

Foto tirada em 14 de novembro de 2021 mostra a vista externa do prédio de escritórios da Bolsa de Valores de Beijing, em Beijing, capital da China. (Xinhua/Li Xin)

Xinhua - Silk Road

 

Beijing, 23 fev (Xinhua) — O mercado de ações A da China se tornou mais acessível para o investimento por investidores globais, informou o Securities Daily, citando um relatório de pesquisa divulgado nesta segunda-feira por uma equipe de análise de estratégia do banco de investimentos líder global, Goldman Sachs.

A reforma contínua e a abertura do mercado de capitais chinês, a ampliação dos canais de investimento, a riqueza de produtos e a evolução da estrutura de mercado contribuem para essa tendência, aponta o relatório.

O mercado de ações A da China vale 14 trilhões de dólares, com um volume médio diário de negociação de 188 bilhões de dólares, ocupando o segundo lugar global em termos de tamanho e atividade comercial. O mercado é de grande importância para os investidores globais pelo grande potencial de crescimento.

Nos últimos anos, a China realizou vários ajustes regulatórios para melhorar a eficiência, a estrutura de governança, a assimetria de informações e a proteção do investidor do mercado de ações A, para melhor atender aos padrões internacionais.

Com a criação da bolsa de Inovação Científica e Tecnológica e da Bolsa de Valores de Beijing, importantes macropolíticas foram implementadas sucessivamente, incluindo o apoio às pequenas e médias empresas, financiamento direto, desalavancagem, incentivo à inovação e estímulo à concorrência leal.

O relatório acredita que o novo mecanismo de listagem e negociações pode facilitar o envolvimento de empresas de rápido crescimento no mercado de capitais e otimizar ainda mais o essencial das ações A.

O mercado de ações A continua lucrativo para investidores que buscam oportunidades de crescimento estrutural ou endógeno e, de acordo com a classificação da equipe de análise de estratégia do Goldman Sachs, as empresas chinesas representam cerca de 40% das empresas globais com altas perspectivas de crescimento, segundo o relatório.

O relatório também identifica meio ambiente, sociedade e governança (ESG, sigla em inglês) como a iniciativa de ação e tema de investimento mais significativo globalmente, e observa que o Goldman Sachs espera que os gastos de “capital verde” da China atinjam 16 trilhões de dólares nos próximos 40 anos.

A equipe de análise de estratégia do Goldman Sachs acredita que a prosperidade comum, relacionada ao ESG, será o princípio orientador para o desenvolvimento futuro da China e, de acordo com seus cálculos, 68% do valor de mercado das ações A está relacionado a esse abrangente conceito de desenvolvimento, observa o relatório. Fim

Leia também:

Investidores globais injetam dinheiro no mercado de capital chinês

Xinhua Silk Road
Agência de notícias oficial do governo da República Popular da China.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Banco central da China injeta liquidez via recompra reversa

O Banco Central da China injetou na sexta-feira 10 bilhões de yuans (cerca de 1,48 bilhões de dólares) de recompra reversa, visando manter a liquidez do sistema bancário.

Representante chinês pede coordenação e estabilidade sobre alimentação

Um representante chinês pediu na quinta-feira para que a comunidade internacional trabalhe em conjunto, no objetivo de estabilizar o mercado global de alimentos, garantir suprimentos diversos de alimentos e facilitar globalmente o comércio agrícola.

Envios de celulares na China alcançam 69,35 milhões de unidades no Q1

As remessas de telefones celulares da China tiveram uma queda anual de 29,2%, chegando cerca de 69,35 milhões de unidades no primeiro trimestre deste ano, de acordo com um relatório da Academia Chinesa de Tecnologia da Informação e Comunicações (CAICT, sigla em inglês).

Últimas Notícias

Rio, petróleo e prosperidade

Por Ranulfo Vidigal.

Baixas temperaturas e geadas trazem prejuízos a agricultores

Balança comercial do agro, entretanto, apresentou superávit de US$ 43,7 bilhões no acumulado do ano, de janeiro a abril.

A pandemia do burnout

Por César Griebeler.

OIT: crises geraram déficit de 112 milhões de empregos no mundo

Guy Ryder: 'efeitos sobre os trabalhadores e suas famílias, particularmente nos países em desenvolvimento, serão devastadores.'

Banco central da China injeta liquidez via recompra reversa

O Banco Central da China injetou na sexta-feira 10 bilhões de yuans (cerca de 1,48 bilhões de dólares) de recompra reversa, visando manter a liquidez do sistema bancário.