Ações das farmacêuticas disparam na Nyse

Os acionistas de oito farmacêuticas envolvidas no desenvolvimento das vacinas contra a Covid-19 já estão colhendo frutos monetários com a valorização bilionária das ações dessas empresas. Isso porque o valor de mercado de cada uma subiu expressivamente. A Novavax lidera o ranking de melhor retorno ao acionista, acima dos 1.500% desde fevereiro de 2020.

“Empresas farmacêuticas que se dedicaram à pesquisa de vacinas contra o coronavírus colheram valorizações bilionárias na bolsa de valores de Nova York (Nyse)”, de acordo com levantamento da consultoria Economatica, provedora de informações financeiras. Não foram incluídas na relação da consultoria as chinesas Sinovac e Sinopharm, que têm capital aberto em bolsas asiáticas.

A Novavax teve alta de 1.558%, a US$ 8,1 bilhões; a Moderna subiu 585%, a US$ 49,4 bilhões; a BioNTech regristou alta de 223%, a US$ 24,3 bilhões; a Regeneron Pharmaceuticals teve alta de 32,4%, a US$ 56,9 bilhões; a Johnson&Johnson subiu 11,5%, a US$ 428 bilhões; a AstraZeneca alcançou alta de 6,7%, a US$ 133 bilhões; a Pfizer subiu 5,9%, a US$ 204 bilhões; e a Sanofi registrou alta de 3%, a US$ 126 bilhões.

A Economatica realizou o levantamento com base em ações e ADRs negociadas na NYSE e na Nasdaq. O conceito de “!retorno ao acionista” soma a valorização das cotas com distribuição de dividendos. Para se ter ideia do tamanho da valorização, a Novavax, por exemplo, de fevereiro a março de 2020 registrou alta de 39%. A empresa, que acumulava, em fevereiro, cerca de US$ 205 milhões em valor de mercado, bateu esta semana a marca de US$ 8 bilhões.

A Moderna vem em seguida. A empresa passou de US$ 6 bilhões para mais de US$ 49 bilhões. A Pfizer, parceira de vacina da alemã BioNTech, subiu 5% entre fevereiro do ano passado e janeiro de 2021, chegando a US$ 204 bilhões. A AstraZeneca, que desenvolveu vacina em parceria com a Universidade de Oxford, avançou 6%, a US$ 133 bilhões. A Johnson&Johnson teve alta de 11%, e passou a valer US$ 428 bilhões.

Leia mais:

Itaú está entre os líderes em ranking de reclamações do BC

Bancos não ajudaram as empresas durante 2020

 

Artigos Relacionados

Método de Qualidade de Gestão de Investimentos não altera ratings

A agência de classificação de riscos Fitch Ratings atualizou sua metodologia de Qualidade de Gestão de Investimentos. As mudanças não alteram os atuais ratings,...

CVM abre série de debates na próxima semana

O Diretor da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), Alexandre Rangel será o convidado da próxima Live CVM. O evento será realizado no dia 4...

Empréstimo de estado e município só até R$ 20 bi

Estados e municípios poderão contrair R$ 20 bilhões em empréstimos no sistema financeiro. O Conselho Monetário Nacional (CMN) aprovou nesta sexta-feira o limite de...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Presidente do Banco do Brasil joga a toalha

Centrão tem interesse no cargo.

Imóveis comerciais tiveram estabilidade em janeiro

Nos últimos 12 meses, entretanto, preços de venda e locação do segmento acumulam quedas de 1,32% e 1,18%, respectivamente.

Contas públicas têm superávit de R$ 58,4 bilhões em janeiro

Dívida bruta atinge 89,7% do PIB, o maior percentual da história.

Presidente do Inep é exonerado do cargo

Medida foi publicada no Diário Oficial de hoje; até o momento, não foi anunciado o nome de quem o substituirá.

Primeiro caso de Covid-19 no Brasil completa um ano

Brasil tem novo recorde de mortes diárias, diz Fiocruz; boletim informa que houve ontem 1.148 mortes.