Ações que não pagam dividendos

Segundo Sandra Peres, do PagBank, antes de se investir numa ação que não paga dividendos, é preciso analisar se isso se deve a um prejuízo ou a um reinvestimento.

316

Conversamos com Sandra Peres, especialista de investimentos do PagBank, sobre ações que não pagam dividendos.


Como deve ser interpretado o fato de uma companhia não pagar dividendos?

Muitos investidores visam as empresas que pagam dividendos porque eles gostam da renda extra, sem contar que é mais tranquilo de entendê-las porque, geralmente, elas são mais maduras, possuem previsibilidade de caixa e não têm muita volatilidade.

No caso das empresas que não pagam dividendos, é preciso entender os motivos pelas quais isso ocorre. Pode ser que a empresa gere prejuízo. Pode ser que ela reinvista em si própria para crescer, o que pode ser feito através da compra de maquinário ou de outras empresas. Nesse caso, essas empresas são um pouco mais arriscadas, já que não possuem uma certa maturidade por estarem em crescimento.

Leia também:
Ações que pagam dividendos

Espaço Publicitáriocnseg

Quando vale a pena investir ou não numa companhia que não paga dividendos?

Aqui entra a questão do analista. Se a empresa teve lucro, mas não pagou dividendos, isso não quer dizer, necessariamente, que ela não deva receber o investimento de uma pessoa física. Da mesma forma, se uma empresa teve prejuízo, é preciso entender o motivo que levou a isso, pois, às vezes, ele não é recorrente e também não significa que a empresa está quebrando.

Existem empresas que geram prejuízos, mas por conta de alguma coisa que aconteceu num período, como a quebra de uma safra ou o desligamento de um alto-forno. Isso não é recorrente. Por outro lado, grande parte dos prejuízos são de empresas que estão em default ou endividadas, o que acaba sendo prejudicial para o investidor. É preciso analisar se a empresa não paga dividendos por conta de um prejuízo consistente.

A empresa também pode ter prejuízo por ter comprado outra empresa, pois, no primeiro momento da aquisição, ela vai incorrer em mais custos em relação a receita. Como ela não vai usufruir das receitas em decorrência da aquisição até ter a consolidação da empresa como um todo, ela vai ter prejuízo nesse período.

Nesse caso, mesmo que a empresa não pague dividendos por conta do prejuízo, pode ser que ela seja uma boa opção de investimento, pois suas projeções podem ser elevadas. Como, provavelmente, o seu resultado futuro será maior, isso vai fazer com que as projeções indiquem um preço alvo mais elevado.

Agora, no caso de uma empresa que tem lucro, mas que não paga dividendos porque vai reinvestir, isso é bem mais interessante. Se a empresa está reinvestindo para crescer, seus resultados futuros podem vir a ser maiores, então eu coloco isso na minha projeção.


O fato de uma companhia não pagar dividendos compromete, de alguma forma, a sua análise?

Existem algumas formas de se fazer as projeções para se chegar ao preço alvo da ação, como o fluxo de caixa descontado, dividendos e múltiplos. Quando se utiliza o fluxo de caixa descontado, isso não depende tanto dos dividendos, pois se pega o resultado final da empresa e se vai projetando. Se a empresa não está pagando dividendos, pois está reinvestindo no seu crescimento, eu vou embutir essa consideração na minha projeção. 


No caso de uma empresa que se comprometeu a reter seus lucros para reinvestir, mas os rumos não estão saindo como esperado, quando você decide sair dela?

Aqui entra, novamente, o trabalho do analista. Se a empresa investiu e deu errado, e mesmo dando errado ela quer investir de novo, ela tem que avisar o mercado. O analista vai ter que entrar em contato com a companhia e analisar o motivo pelo qual o projeto não deu certo e o motivo pelo qual o novo investimento daria certo.

Não há como cravar se o investimento de uma empresa vai dar certo ou não. Esse é um trabalho de formiguinha do analista, que tem que tirar informações dos fatos relevantes, conversar com a companhia e analisar seus números recentes e os números dos seus concorrentes para fazer comparações. Assim, pode-se verificar se isso faz sentido e se conseguimos embutir essa informação na projeção para modificar ou não o parecer daquela empresa.


Considerando a conversa que tivemos, você vê mais algum ponto importante para trazermos para essa entrevista?

Com relação ao universo contrário, o das empresas que pagam dividendos, nós não podemos levar a ferro e fogo a visão de que todas as ações dessas empresas são boas. Não necessariamente. Existem empresas que estão com grande dificuldades, mas que querem captar investidores, e, naquele período, de repente, pagam uma enxurrada de dividendos. Contudo, se olharmos o histórico dessa empresa, vamos ver que ela nunca pagou esse montante de dividendos. Pelo contrário, ela tem problemas e está fragilizada financeiramente. É preciso tomar cuidado com isso.

Não se pode fazer um investimento, simplesmente, por um indicador. Se o investidor é mais conservador e quer comprar empresas que pagam bons dividendos, ele não pode pegar apenas o dividend yield. O investidor tem que ver quanto a empresa deu de dividendos anteriormente, analisar se seus pares pagam ou não e se a empresa tem solidez e caixa recorrente.

É preciso olhar outros fatores, e não apenas um, da mesma forma que no caso das empresas que não pagam dividendos, onde um investidor é forçado a analisar mais fatores e mais indicadores.

*Atualização em 14/11/2023 às 19:54

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui