Ações subiram mais de 10% e fundos terão de fazer ajuste

Redução das carteiras será de cerca de US$ 200 bilhões.

Acredite se Puder / 19:27 - 16 de set de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Esse será o ajuste trimestral mais negativo desde o início da pandemia, pois os fundos de pensão os soberanos terão de reduzir suas carteiras em cerca de US$ 200 bilhões em ações para reequilibrar os portfólios, e isso significará um risco para os mercados de ações em todo o mundo, segundo o JPMorgan Chase. Esse será o mais negativo ajuste da pandemia, pois o número total reflete cálculos que abrangem carteiras de benefício definido dos Estados Unidos, do Fundo de Investimento de Pensões do Governo do Japão e do fundo de petróleo da Noruega.

As instituições tendem a ajustar as suas carteiras a cada trimestre para manter a meta de alocação de ativos. O indicador de ações globais subiu cerca de 10% desde o fim de junho, superando os retornos de títulos de renda fixa e apontando para a necessidade de alguns fundos ajustarem o mix de investimentos de volta aos limites preferenciais. A revisão é um dos muitos riscos que o mercado enfrenta, depois do poderoso rally face aos mínimos de março ter estagnado este mês. Outros incluem avaliações muito altas para empresas de alguns segmentos, recuperação econômica instável, possível volatilidade em torno das eleições nos EUA e dependência do apoio de bancos centrais aos mercados financeiros. Ainda assim, no geral, os analistas do JPMorgan estão otimistas quanto às perspectivas para o mercado acionário e escreveram no relatório que, no médio e longo prazo, ainda existe muito potencial de alta, pois o posicionamento geral das ações ainda baixo.

 

Bradesco recomenda compra de Duratex

O Bradesco BBI está recomendando a compra das ações da Duratex e seus analistas admitem um potencial de valorização de 21% e o preço-alvo em R$ 21. Em relatório, explicaram que a recuperação da demanda continua muito forte, com alta nos preços, gerando crescimento do Ebitda em 2020. Além disso, a ação opera a um múltiplo de EV (Valor de mercado)/ Ebitda de 9,7 vezes, abaixo do nível justo deste momento, que seria de 10 a 12 vezes. O Ebitda deve passar de R$ 1 bilhão em 2020 e chegar a R$ 1,45 bilhão em 2021. No terceiro trimestre, o Ebitda deve chegar ao recorde de R$ 395 milhões, com expansão de volumes e margens em todas as divisões. Além disso, esperam confiantes o crescimento dos lucros da Duratex, cuja ação já subiu 125% desde abril. Em 2021, mesmo com o fim do auxílio emergencial, o banco espera volumes adicionais devido à maior demanda do setor de construção. Para o período entre 2020 e 2013, o BBI prevê crescimento de 60% do Ebitda.

 

B3 recebe pequena multa da CVM

A B3 foi responsabilizada por sua irresponsabilidade de não verificar diariamente o grau de concentração no mercado de derivativos por grupos de investidores, entre maio de 2013 e janeiro de 2019. A Comissão de Valores Mobiliários foi por demais indulgente com a bolsa ao aceitar um acordo de apenas R$ 6,3 milhões, num processo que provou que a B3 não aplicou as medidas de desconcentração previstas em seu regulamento. Inconcebível foi a punição de Cícero Augusto Vieira Neto, vice-presidente de Operações, Clearing e Depositária da B3, e André Monteiro, diretor de Administração de Riscos, que vão pagar R$ 350 mil cada um. A pena desses dois executivos tinha de ser muito maior.

 

Preço-alvo do IRB continua em R$ 6

O BTG Pactual reavaliou a situação do IRB e sua equipe de análise passou a acredita que a pior parte da crise já passou, mas a jornada, no entanto, provavelmente será longa e esperam que a companhia apresente prejuízo líquido de R$ 810 milhões em 2020. Devido à combinação de uma receita líquida mais fraca, um índice de perda mais alto e uma maior contagem de ações (aumento de capital), a estimativa de EPS para 2021 e 2022 diminuirá 64% e 51% e o ROE será de ~ 6% em 2021, 9% em 2022 e 12% em 2023.

De acordo com seus analisas, a empresa realiza um processo de limpeza da casa nos próximos meses, com o objetivo de conseguir melhores resultados no longo prazo. Além disso, mudará seu foco para o setor premium no Brasil, onde sua vantagem competitiva é maior, respaldada por um vasto banco de dados histórico e expertise técnica, e reduzirá a exposição ao portfólio internacional. A visibilidade continua baixa, mas a companhia definitivamente parece em muito melhor forma hoje, pois o aumento de capital foi muito bem-sucedido, considerando todos os aspectos, e a lacuna de liquidez regulatória parece estar a caminho de ser 100% resolvida em um futuro não muito distante. Mantiveram, no entanto, recomendação neutra para as ações, com preço-alvo de R$ 6

 

Raia Drogasil aprova desdobramento

A Raia Drogasil aprovou o desdobramento das suas ações, na proporção de 5 ações ordinárias para cada uma o acionista receberá mais 4 ações da mesma espécie. Como consequência do desdobramento, o número de ações ordinárias passou de 330.386.000 ações para 1.651.930.000 ações. As ações passarão a ser negociadas “ex” desdobramento a partir de 21 de setembro de 2020. As quatro novas ações adicionais serão creditadas em favor dos acionistas em 23 de setembro de 2020.

 

Sally afeta produção americana de petróleo

O furacão Sally afetou a produção norte-americana de petróleo, pois atingiu o Alabama e provocou a paralisação de mais de um quarto da produção offshore de petróleo no Golfo do México. Com isso, os contratos futuros de petróleo WTI e Brent subiram mais de 3%.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor