Acordo alfandegário de AEO China-Brasil facilita a exportação

No depósito da Jiangxi Jiangling Motors Import & Export, funcionários chineses da alfândega estão inspecionando carros que estão prestes a "cruzar o oceano" para serem exportados para o Brasil. Este é o primeiro lote de carros na Província de Jiangxi que desfruta da política de facilitação comercial desde a implementação do acordo de reconhecimento mútuo do status do Operador Econômico Autorizado (AEO, em inglês) entre as alfândegas da China e do Brasil em 1º de janeiro.

Funcionários da alfândega inspecionam carros que serão exportados para o Brasil, no depósito da Jiangxi Jiangling Motors Import & Export. Este é o primeiro lote de carros na Província de Jiangxi que desfruta da política de facilitação comercial desde a implementação do acordo de reconhecimento mútuo do status do Operador Econômico Autorizado (AEO, em inglês) entre as alfândegas da China e do Brasil em 1º de janeiro. (Alfândega de Nanchang/distribuição via Xinhua)

Xinhua - Silk Road

 

NANCHANG, 5 jan (Xinhua) — No depósito da Jiangxi Jiangling Motors Import & Export, funcionários chineses da alfândega estão inspecionando carros que estão prestes a “cruzar o oceano” para serem exportados para o Brasil. Este é o primeiro lote de carros na Província de Jiangxi que desfruta da política de facilitação comercial desde a implementação do acordo de reconhecimento mútuo do status do Operador Econômico Autorizado (AEO, em inglês) entre as alfândegas da China e do Brasil em 1º de janeiro.

O AEO foi iniciado pela Organização Mundial das Alfândegas. Sob o acordo, as companhias que obtêm o status do AEO nos dois países desfrutarão de procedimentos alfandegários simplificados, como verificação reduzida ou prioridade de desembaraço aduaneiro, quando exportarem produtos para o outro país.

Yao Wei, diretor do Departamento de Gestão Empresarial e de Inspeção da Alfândega de Nanchang, afirmou que o acordo de reconhecimento mútuo do AEO entre a China e o Brasil entrou em vigor a partir do 1º de janeiro. Este é o segundo acordo de reconhecimento mútuo do AEO oficialmente implementado pela China na América do Sul, depois do acordo com o Chile.

“O acordo de reconhecimento mútuo do AEO estabeleceu um ‘canal verde’ mais conveniente para as exportações de automóveis”, assinalou Ma Jun, diretor responsável pelo comércio exterior da Jiangxi Jiangling Motors Import & Export, acrescentando que uma série de medidas de facilitação aumentarão efetivamente a rotatividade dos recursos das empresas e reduzirão os custos operacionais.

O acordo de reconhecimento mútuo do AEO é considerado um “cartão dourado” para desalfandegamento de mercadorias de importação e exportação. No processo, as alfândegas da China e do Brasil proporcionarão às empresas do AEO uma série de medidas de facilitação, incluindo aplicar uma taxa mais baixa de revisão de documentos; reduzir a taxa de inspeção para bens de importação e exportação; dar prioridade para a inspeção de mercadorias que requerem inspeção física; designar funcionários alfandegários de ligação responsáveis por comunicar e resolver problemas encontrados pelas empresas do AEO no processo; assim como desfrutar da prioridade de desembaraço aduaneiro após a retomada comercial posterior à interrupção do comércio internacional devido ao aumento do nível de alerta de segurança, fechamento de fronteiras, desastres naturais, emergências perigosas ou outros graves acidentes.

Como a única empresa automotiva na Província de Jiangxi que obteve a certificação avançada do AEO, a Jiangxi Jiangling Motors Import & Export dedica-se principalmente à importação e exportação de autopeças e automóveis completos, com negócios em mais de 110 países e regiões ao redor do mundo. Em 2021, a empresa exportou 30.962 veículos no valor de 3,3 bilhões de yuans (US$ 515,6 milhões), um aumento de 66,5% em relação a 2020, dos quais 1.450 veículos foram exportados para o Brasil, com o valor de 160 milhões de yuans.

A fim de apoiar a exportação de automóveis “Made in Jiangxi”, a Alfândega do Lago Qingshan afiliada à Alfândega de Nanchang, na capital provincial de Jiangxi, implementou com precisão a formação empresarial, orientou as empresas a melhorar continuamente sua própria gestão por meio de aconselhamento de campo “um para um”, a fim de ajudá-las a obterem a certificação alfandegária do AEO.

A introdução da política de facilitação do comércio acelerou o ritmo de globalização das empresas. “O acordo de reconhecimento mútuo do AEO ajuda a melhorar a reputação internacional da nossa empresa e fortalece nossa confiança e segurança na exploração do mercado brasileiro”, disse Ma Jun. Fim

Funcionários da alfândega inspecionam carros que serão exportados para o Brasil, no depósito da Jiangxi Jiangling Motors Import & Export. Este é o primeiro lote de carros na Província de Jiangxi que desfruta da política de facilitação comercial desde a implementação do acordo de reconhecimento mútuo do status do Operador Econômico Autorizado (AEO, em inglês) entre as alfândegas da China e do Brasil em 1º de janeiro. (Alfândega de Nanchang/distribuição via Xinhua)

Funcionários da alfândega inspecionam carros que serão exportados para o Brasil, no depósito da Jiangxi Jiangling Motors Import & Export. Este é o primeiro lote de carros na Província de Jiangxi que desfruta da política de facilitação comercial desde a implementação do acordo de reconhecimento mútuo do status do Operador Econômico Autorizado (AEO, em inglês) entre as alfândegas da China e do Brasil em 1º de janeiro. (Alfândega de Nanchang/distribuição via Xinhua)

Funcionários da alfândega inspecionam carros que serão exportados para o Brasil, no depósito da Jiangxi Jiangling Motors Import & Export. Este é o primeiro lote de carros na Província de Jiangxi que desfruta da política de facilitação comercial desde a implementação do acordo de reconhecimento mútuo do status do Operador Econômico Autorizado (AEO, em inglês) entre as alfândegas da China e do Brasil em 1º de janeiro. (Alfândega de Nanchang/distribuição via Xinhua)

Xinhua Silk Road
Agência de notícias oficial do governo da República Popular da China.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

CMOC gastará US$ 1,826 bilhão no projeto de KFM em Congo

O CMOC Group Limited (603993.SH, 03993.HK) anunciou nesta quinta-feira que investirá cerca de 1,826 bilhão de dólares na fase I do desenvolvimento do projeto da mina de cobre-cobalto de Kisanfu (KFM), na República Democrática do Congo (RDC).

Banco central da China injeta liquidez via recompra reversa

O Banco Central da China injetou nesta sexta-feira 10 bilhões de yuans (cerca de 1,5 bilhões de dólares) de recompra reversa, visando manter a liquidez do sistema bancário.

O mercado de pequenos artigos chineses é inaugurado em Dubai

O mercado de Yiwu, um centro de compras para pequenas mercadorias chinesas, foi inaugurado nesta quinta-feira em Dubai, oferecendo uma alternativa de mercado para compradores estrangeiros adquirirem produtos fabricados na China, informou Chinanews.com.

Últimas Notícias

Diminuem os homicídios, mas ainda há muito a se fazer

Por Dirceu Cardoso Gonçalves.

Ford Brasil: Centro global de exportação de serviços de engenharia

Projetos de ponta voltados ao futuro da mobilidade, como veículos elétricos, autônomos e conectados. 

Senado vai analisar vetos na Lei Aldir Blanc

Existe uma fila de 36 vetos aguardando votação dos senadores e deputados

Caixa: desconto de até 44% para regularizar penhor em atraso

As unidades com serviço de penhor disponível podem ser consultadas no site da Caixa

Índice de Preços ao Produtor (IPP) sobe 1,83% em maio

Das 24 atividades analisadas, 21 tiveram alta de preços