Acordo Paulista: São Paulo lança edital para renegociação de dívidas do ICMS

Renegociação de dívidas também abrangerá outros impostos, inclusive IPVA, mas editais virão depois. Por Gilmara Santos

374
Aperto de mão, acordo
Aperto de mão (foto: divulgação)

O Governo de São Paulo publicou nesta quarta-feira resolução que prevê o parcelamento de dívidas estaduais. Chamado de Acordo Paulista, o programa prevê a possibilidade de o cidadão acertar as contas de ICMS, ITCMD e demais impostos estaduais. A resolução prevê o parcelamento dos débitos em até 120 vezes e descontos que podem chegar a 100% nos juros de mora.

Para Mariana Galvão, sócia do escritório SouzaOkawa Advogados, a resolução esclarece alguns pontos que estavam obscuros na Lei 17.843/23, como o conceito de inadimplentes sistemáticos e os critérios para classificação dos créditos.

“Neste momento, o edital vai permitir apenas o ICMS já inscrito em dívida ativa”, explica José Luiz de Souza Moraes, presidente da Associação dos Procuradores do Estado de São Paulo (Apesp). Focado no ICMS, o governo joga no mercado seu primeiro edital, que além de prometer eliminar 100% dos juros de mora, ainda dá um desconto de 50% nas multas e a possibilidade de quitar dívidas utilizando precatórios e créditos de ICMS acumulados.

“O Acordo Paulista surge não apenas como uma estratégia para incentivar a regularização fiscal dos contribuintes, mas também como um potencial impulso ao desenvolvimento econômico do Estado. E a expectativa é um aumento considerável na arrecadação já em 2024”, avalia Jean Paolo Simei e Silva, sócio do escritório Fonseca Brasil Advogados.

Espaço Publicitáriocnseg

Leia também:

Transação tributária: pode ser a solução de problemas financeiros?

O Acordo Paulista, regulamentado nesta quarta-feira pelo Governo do Estado de São Paulo, permitirá inadimplentes renegociarem suas dívidas com todos os impostos estaduais. No primeiro edital, o foco é o ICMS. Todos os débitos de ICMS inscritos na dívida ativa agora têm uma chance de redenção. A adesão ao programa de transação excepcional pode ser feita pelo site oficial, com prazo estendido de 7/2/2024 até 30/4/2024.

Acordo Paulista: site para renegociação de dívidas no Estado de São Paulo

Renegociação de dívidas limita descontos para inadimplentes sistemáticos

O advogado Carlos Marcelo Gouveia, sócio da área tributária do escritório Almeida Prado & Hoffmann Advogados, considera interessante destacar que a Resolução PGE 6/24 veda a concessão de descontos para os denominados “inadimplentes sistemáticos”, que são os contribuintes que, nos últimos cinco anos, apresentem inadimplemento de 50% ou mais de suas obrigações vencidas e inscritas em dívida ativa. “Para esses contribuintes, será possível apenas o parcelamento”, diz Gouveia.

Mariana Galvão destaca que a solução definiu que os créditos acumulados e de ressarcimento de ICMS (inclusive ICMS-ST e produtor rural), e, bem como, os créditos oriundos de precatórios (líquidos, certos e exigíveis, próprios ou adquiridos de terceiros, decorrentes de decisões judiciais transitadas em julgado e não mais passíveis de medida de defesa ou desconstituição, conforme reconhecidos pelo Estado) poderão ser utilizados para liquidação de até 75% do saldo remanescente de ICMS, multa e juros (após incidência dos descontos).

“Foi possibilitada a transação individual para os devedores com saldo devedor consolidado superior a R$ 10 milhões; na hipótese de transação individual simplificada, o valor consolidado pode ser superior a 1 milhão”, diz.

Mais editais virão, incluindo para IPVA

Jean Paolo Simei e Silva lembra que a PGE/SP promete mais editais, expandindo o leque de débitos elegíveis para negociação. “E para aqueles casos mais ‘especiais’, o Acordo Paulista mantém a porta aberta para transações individuais, sob medida para cada contribuinte, vinculados a apresentação de garantias como o depósito judicial, fiança bancária, seguro-garantia entre outras modalidades (art. 8º Resolução PGE 6/2024)”, comenta.

De acordo com José Luiz de Souza Moraes, o IPVA, que é uma grande dúvida da população, também entrará num próximo edital do Acordo Paulista.

“Esse imposto não entrou agora, mas haverá campanhas e editais que vão permitir o parcelamento também para o IPVA. Posteriormente, vai ser aberta a possibilidade de parcelamento e descontos também para esses outros impostos, de compra e venda, e vai também incluir o ITCMD, relacionado a caso de morte, sucessões ou doações”, afirma Moraes.

“Ainda que esse primeiro edital disponibilizado pela PGE-SP se revele tímido em termos de abrangência de débitos elegíveis, pode-se considerar uma oportunidade interessante para contribuintes que eventualmente ainda discutam administrativa ou judicialmente a limitação da taxa de juros anteriormente exigida pelo estado de São Paulo em débitos originados antes da Lei 16.497/2017”, finaliza o advogado Rodrigo Minhoto, do escritório FCR Law.

Por Gilmara Santos, especial para o Monitor

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui