ADRs da Petrobras podem subir 77% em 12 meses

Credit Suisse avalia que os efeitos da crise não foram tão profundos.

Acredite se Puder / 17:15 - 2 de jul de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Os American Depositary Receipts da Petrobras, negociados na Bolsa de Nova York, podem ter valorização de 77% nos próximos 12 meses, caso a pandemia de coronavírus permaneça como está e o Brasil e o mundo não enfrentem uma segunda grande onda de contágios. A avaliação é do Credit Suisse, que em relatório enviado aos clientes nesta quinta-feira recomenda a compra de tais títulos. O banco elevou o preço-alvo dos ADRs de US$ 14 para US$ 15 e reiterou a recomendação de outperform (desempenho esperado acima da média do mercado) para o papel, que fechou o pregão de ontem cotado a US$ 8,515. No documento consta que os efeitos da crise não foram tão profundos, nem tão prolongados, quanto todos temiam no começo. Assim, o banco ajusta suas projeções, principalmente para o preço do petróleo e para a produção da Petrobras em 2020, para refletir a realidade menos severa.

Os analistas do Credit Suisse, que consideram a possibilidade de uma maior produção neste ano e a cotação do barril de petróleo em nível mais elevado, estabeleceram o preço de US$ 41 em 2020 e US$ 50 em 2021, o que permitirá um avanço de 41% no Ebitda deste ano e de 10% no próximo. Assim, as iniciativas para o corte de Opex (despesas operacionais) e também de Capex (investimentos em bens de capital) dentro de uma realidade de menor geração de caixa deveriam ser vistas como um ótimo sinal. Além disso, os índices de utilização das refinarias também se mostraram bastante resilientes.

 

Volume de combustíveis não aumentará

Os analistas, de uma hora para outra, passaram a considerar que, num cenário de curto prazo, no Brasil será mais difícil o aumento de volumes de combustíveis, reduzindo as estimativas deste ano e prevendo uma queda de 3% no próximo, quando anteriormente esperavam crescimento de 1%. Isso, no entanto, não significa que se tornaram pessimistas, pois sabem que à medida em que a quarentena for mais flexibilizada, o segmento deve estar entre os primeiros a se beneficiar, pois a demanda por diesel tem melhorado significativamente, já estando em 90% da média diária dos níveis pré-Covid, enquanto ainda existe bastante espaço para recuperação de volume de combustíveis leves, que sofreram redução de 30% a 40% durante a pandemia.

O Bradesco BBI revisou o setor e manteve a recomendação de compra para as ações da BR Distribuidora, com objetivo em R$ 28, e da Ultrapar, com preço-alvo elevado de R$ 21 para R$ 23. A preferência é pelas ações da BR Distribuidora, cujo balanço estará em melhor situação e por ter melhor expectativa de crescimento de lucro por ação em 2021.

 

Cade obriga Hypera a vender Neocopan

A superintendência do Conselho Administrativo de Defesa Econômica viu com preocupação o aumento na concentração do segmento do mercado de antiespasmódicos combinados com analgésicos. Por essa razão, o Cade apesar de ter recomendado a aprovação, estabeleceu como condicionante a venda de um dos medicamentos da Hypera que, no ano passado, comprou diversos ativos da Boehringer Ingelheim por R$ 1,3 bilhão, entre eles as marcas Buscopan e Buscofem. O interessante é que o parecer anterior da superintendência-geral do Cade não viu risco de concentração no segmento de analgésicos isentos de prescrição médica, por considerar que não chegaria a 30%. Porém, a Hypera, nesse segmento, atuava com o Neocopan Composto. Agora, para evitar danos a concorrência, o Conselho recomendou a venda dessa marca, e a Hypera já a negociou para a Neoquímica. O ato de concentração será agora analisado pelo tribunal da autarquia.

 

Anima vai pagar até R$ 174 mi pela Insegnare

A aquisição de 50,01% da Insegnare Educacional, mantenedora da UniFG, de Guanambi (BA), pelo valor de R$ 57,5 milhões é uma operação estrategicamente complementar e financeiramente atraente. A aquisição da UniFG foi mais uma etapa positiva no aumento do foco da Anima na vertical da escola de medicina, segundo a avaliação dos analistas do Itaú BBA. O interessante é que essa merreca poderá chegar a um elevado valor, pois a Anima Holding já pagou R$ 20 milhões; uma parcela de R$ 26 milhões será quitada em dez dias úteis contados a partir de assembleia da compradora e, por último, R$ 11,5 milhões em dez dias úteis após a apresentação, pelos vendedores, do balanço auditado do mês de junho deste ano. Porém, outros valores serão pagos de acordo com resultados futuros e mais uma parcela referente a 4,99% do capital da UniFG que será utilizado, entre outras itens, para o pagamento de dividendos aos vendedores. Com isso, o valor da aquisição pode chegar a R$ R$ 174 milhões.

 

IRB: ação para quem tem nervos fortes

Após três sessões de ganhos pela expectativa dos resultados, as ações do IRB abriram em queda, de até 5,54%, entraram em leilão e viraram para alta acima de 4%. Contudo, minutos depois, voltaram a cair e de tarde perderam mais de 10%.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor