30.1 C
Rio de Janeiro
domingo, janeiro 17, 2021

“Adviser”

Segundo relato do líder do PSDB no Senado, Artur Virgílio, sobre sua conversa, quarta-feira, na Câmara dos Deputados, com o ministro da Fazenda, “Palocci deu a entender que não tem apego ao cargo”. O tucano disse ainda estar convencido de que “mais que uma carreira no governo, Palocci começou a pavimentar um caminho para uma vida nova”: “Politicamente, ele pode sair bem e se tornar um conferencista”, antecipa Virgílio, um dos tucanos mais próximos do (ainda) ministro.
Caso a previsão do senador se cumpra, não será o primeiro ministro da Fazenda que, quando no poder, oferecia mediocridade ao grande público, e, et por cause, ao deixar o cargo se torna um dos quindins – e mais bem remunerados – do mercado financeiro.

Destino
O presidente do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), Mário Santos, deve assumir alto cargo na espanhola Endesa. Santos abriu mão de mais uns cinco meses de régio salário no ONS, espécie de empresa bancada pelo Estado mas comandada pelo setor privado. Hermes Chip vai assumir a presidência interinamente. O PT já está de olho no cargo, mas a briga com o PMDB promete.

Autocrítica
Esta coluna antecipou, dois dias antes dos demais jornais, a saída de Mário Santos do ONS.

Almoço
Segunda-feira, após insistentes convites do presidente da Eletrobrás, Aloisio Vasconcelos, ex-presidentes da estatal – como Luiz Pinguelli Rosa, Mário Behring, Mário Santos e até Silas Rondeau, que deixou a empresa para assumir o Ministério de Minas e Energia – foram almoçar no restaurante da empresa, no Rio. Pelo semblante dos comensais, o regabofe rendeu pouco além do tédio. A estatal prepara-se para a festa de entrega do Prêmio Procel, dia 5 de dezembro – por coincidência, data de aniversário de Vasconcelos.

Macho
“O Copom não reduziu mais (os juros) para não demonstrar que está cedendo frente à pressão política”, analisa a Confederação Nacional Dirigentes Lojistas (CNDL), que via espaço para uma redução de um ponto percentual.

Outra via
O Partido Socialista Brasileiro promove nesta sexta o seminário Alternativas à Política Econômica Brasileira (na sede do partido, SCLN 304, bloco A, 1º andar, em Brasília), das 9h às 18h. Estão previstas as presenças do vice-presidente da República, José Alencar, e dos economistas Carlos Lessa (UFRJ), Luciano Coutinho (Unicamp) e Paulo Nogueira Batista Júnior (FGV-SP), além do líder do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), João Pedro Stédile. A programação do seminário pode ser encontrada em www.materiasespeciais.com.br/psb/programacao.htm

Pré
O governador paulista Geraldo Alckmin aproveita cerimônia de entrega da Medalha Pedro Ernesto, maior comenda do Município do Rio de Janeiro, para lançar sua pré-candidatura à presidência da República. Marcada para 14h, a solenidade será na Associação Comercial do Rio (Rua da Candelária 9).

Irrigação
Quem passava embaixo do edifício do Ministério da Fazenda, na Avenida Antônio Carlos, no Centro do Rio, era brindado com uma chuva de… urina. Isso mesmo, enquanto o ministro Antônio Palocci fecha as torneiras para os setores não-financeiros, mal-educados irrigavam o público do alto do prédio da Fazenda.

À espera do Leão
A chuva de urina não é a única purgação a que está sujeito quem precisa, por motivos variados, se dirigir ao prédio da Fazenda, no Centro do Rio, no qual também funcionam unidades da Receita Federal, responsável pela solução de problemas como CPF e Imposto de Renda, entre outros que afligem os brasileiros. Embora a distribuição de senha comece às 10h, às 4h de quinta-feira cerca de 50 pessoas já esperavam o atendimento, que começa apenas às 11h, quando o número na fila já alcança 500 pessoas.

Artigo anteriorMedíocre
Próximo artigoSinal amarelo
Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Grande produtor rural não paga impostos

Agronegócio alia força política a interesses do mercado financeiro.

Não foi a disrupção que derrotou a Ford

Mercado de automóveis está mudando, mas montadora sucumbiu aos próprios erros e à estagnação que já dura 6 anos.

Quantas mortes pode-se debitar na conta de Bolsonaro?

Se índice de óbitos por Covid-19 no Brasil seguisse a média mundial, teriam sido poupadas 154 mil vidas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Varejo sente redução no auxílio e alta da inflação

Comércio ficou estável em novembro e quebrou sequência de recuperação.

Senado quer que Pazuello se explique

Pedido de convocação para cobrar ação do Ministério da Saúde no Amazonas.

Lenta recuperação na produção industrial dos EUA

Setor ainda está 3,6% abaixo do nível anterior à pandemia.

Realização de lucros em âmbito global

Bolsas europeias e os índices futuros de NY operam em baixa nesta manhã de sexta-feira.

Desaceleração deve vir no começo do primeiro trimestre

Novo pacote de estímulo fiscal, bem como o avanço da imunização, deve garantir reaceleração em direção ao final do período.