AES inicia oferta de US$ 1,4 bi pela CANTV amanhã

Acredite se Puder / 14:56 - 24 de set de 2001

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

A gigante norte-americana de energia AES Corp. iniciará a oferta hostil de US$ 1,4 bilhão para adquirir 43,2% da CANTV, companhia venezuelana de telecomunicações. A Comissão Nacional de Segurança da Venezuela aprovou a oferta no final da semana passada e concedeu prazo à gigante norte-americana de energia de no mínimo 20 dias úteis e no máximo 30 dias para a conclusão da operação que será na base de US$ 3,43 por ação. A AES Communications da Venezuela publicará hoje o edital da sua oferta nos jornais dos Estados Unidos e Venezuela De acordo com dados da Economática e publicados na edição de sexta-feira do MONITOR FINANCEIRO, a AES Corporation possui dívida financeira de US$ 21,22 bilhões, a maior apresentada por empresa do setor de energia. Recentemente, anunciou que não faria mais investimentos nas suas filiais brasileiras. A propósito, a Compania Anonima Telefónos de Venezuela tem patrimônio líquido de US$ 4,63 bilhões e endividamento financeiro da ordem de R$ 521,25 milhões. Light, a super-endividada Na relação publicada consta que a Light é a 20ª empresa mais endividada do setor elétrico. Na semana passada, seus dirigentes já começaram a pedir que os usuários de energia paguem maiores tarifas, num esforço para compensar a mania de grandeza dos majoritários. Ninguém tem culpa se os donos da Light contraíram empréstimos externos para adquirir o controle da Eletropaulo e, pouco tempo depois, enfrentaram a forte desvalorização do real. A parte da dívida da Light referente a investimentos foi quase insignificante. Varig vai se adequar à crise A Varig informou aos acionistas as medidas que pretende tomar para enfrentar a crise do setor de aviação. Como todas as companhias áreas, fará corte de 10% na quantidade de funcionários, mas apresentou tal informação da seguinte forma: ajustar sua folha de pagamentos de pessoal, reduzindo aproximadamente em 10% os gastos com pessoal. As demais não são tão impopulares, pois se referem a interrupção de imediato das operações de 13 aviões de sua frota de narrow bodies, ou seja, 14% do total, completando esta ação dentro dos próximos dois meses e a redução, também de imediato, de 8% da frota de wide bodies. A diretoria espera que tais medidas provocarão significativa redução nos custos operacionais e maximização na utilização dos equipamentos de vôo. US Airways vai fechar MetroJet A US Airways vai fechar a MetroJet, unidade de operações de baixo custo localizada no Aeroporto Internacional de Washington. A companhia anunciou a decisão em uma mensagem telefônica gravada para cada um dos funcionários e vai eliminar sua frota de jatos velhos 737-200, que são aviões usados nas rotas para 19 cidades no Leste e no Meio-Oeste dos Estados Unidos em 182 vôos diários. Na semana passada, a US Airways anunciara a demissão de 11 mil funcionários, ou 23% de sua força de trabalho.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor