AES lucrou US$ 34 milhões no Brasil

Acredite se Puder / 15:34 - 19 de jun de 2001

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Recentemente, a AES Corp. anunciou a suspensão de seus investimentos no Brasil, por considerar que ainda não foi adotada política sensata para o setor de energia elétrica. Agora, a empresa norte-americana foi obrigada a revelar para os órgãos governamentais do seu país que suas filiais brasileiras obtiveram receita líquida de US$ 609 milhões e lucro líquido de US$ 34 milhões até o final do mês de abril. A AES, no entanto, "perdeu" devido à desvalorização do real. No quarto trimestre, encerrado no dia 31 de março, a companhia apresentou perdas de aproximadamente US$ 59 milhões devido às transações com divisas com suas filiais brasileiras. Por causa dessa estranha contabilidade, pode-se concluir que a AES está sem dinheiro para novos investimentos. A verdade começa a aparecer Afonso Henriques, secretário nacional de Energia Elétrica, anunciou a necessidade de investimentos de que US$ 6 bilhões no setor elétrico nos próximos dois anos, para reduzir os riscos de novas crises energéticas. E que o governo terá de participar com 30%, ficando os restantes 70% com o setor privado. Elegantemente afirmou que não se deve iludir o consumidor e passar a divulgar que haverá, inevitavelmente, o aumento das tarifas de energia elétrica. Apesar de tanta sinceridade, no entanto, não revelou qual será o percentual desse reajuste. Lucros do Lehman Brothers superam expectativas O Lehman Brothers Holdings Inc. anunciou que seus lucros líquidos subiram 14% no segundo trimestre e atingiram US$ 430 milhões, ou US$ 1,38 por ação. Os resultados incluem os custos de pagamento sobre as ações preferenciais para a American Express Co., que foi a controladora da instituição até 1994; mas, excluindo-se tal pagamento, o banco registrou um ganho de US$ 1,57 por ação. As receitas líquidas do grupo, no trimestre terminado em 31 de maio, subiram de US$ 1,8 bilhão para US$ 2 bilhões. O banco revelou que as receitas de suas principais transações avançaram de US$ 870 milhões para US$ 984 milhões, enquanto as receitas provenientes de comissões passaram de US$ 226 milhões para US$ 295 milhões. Os analistas, todavia, esperavam que o Lehman Brothers registrasse um ganho de US$ 1,14 por ação. Arthur Andersen multada em US$ 7 milhões A Arthur Andersen, uma das maiores firmas de contabilidade do mundo, concordou em pagar multa de US$ 7 milhões para chegar a um acordo com relação a acusações federais de que teria concordado com as declarações financeiras falsas e enganosas apresentadas pela Waste Management Inc. A multa foi a maior já aplicada a uma das cinco maiores firmas de contabilidade do mundo. De acordo com a Security Exchance Comission, a Arthur Andersen declarou US$ 1 bilhão a mais que os lucros obtidos pela companhia.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor