África do Sul chama de volta seus diplomatas em Israel

África do Sul retira diplomatas de Israel, denunciando ataques em Gaza. Outros países também condenam violência na região.

104
Protesto na Africa do Sul em favor da palestina e contra ataque de Israel
Protesto Africa do Sul apoio Palestina (Foto: Forum Afropalestino)

O gabinete da África do Sul decidiu chamar de volta seus diplomatas em Israel para futuras consultas sobre a situação em Gaza. “O governo sul-africano decidiu retirar todos os seus diplomatas em Tel Aviv para consulta. A convocação para consulta é um sinal sério de que a África do Sul tem uma visão muito sombria da situação que permeia aquela parte do mundo”, disse Khumbudzo Ntshavheni, ministro da Presidência, numa conferência de imprensa.

Ntshavheni disse que a África do Sul está desapontada com o contínuo bombardeio de escolas e clínicas em Gaza por parte de Israel e com o encerramento de passagens humanitárias.

“O Gabinete também notou os contínuos comentários depreciativos do embaixador israelense na África do Sul sobre aqueles que se opõem às atrocidades e ao genocídio do governo israelita”, anotou o ministro.

“A posição do embaixador israelense na África do Sul está se tornando muito insustentável, e o Gabinete decidiu instruir o Departamento de Relações Internacionais e Cooperação a tomar as medidas necessárias dentro dos canais e protocolos diplomáticos para lidar com a conduta do embaixador de Israel na África do Sul”, disse Ntshavheni.

Espaço Publicitáriocnseg

Na semana passada, a Bolívia rompeu relações com Israel, acusando o país de cometer crimes contra a humanidade na Faixa de Gaza. Colômbia chamou de volta seu embaixador em Israel por causa da ofensiva em Gaza. O Chile também decidiu, na semana passada, chamar de volta o seu embaixador em Israel para consultas sobre a violação do direito humanitário internacional.

O número total de mortes palestinas em Gaza ultrapassou 10 mil desde 7 de outubro, disse o Ministério da Saúde palestino em Gaza nesta segunda-feira.

O porta-voz do Ministério, Ashraf Al-Qudra, afirmou em uma conferência de imprensa na Cidade de Gaza que o número total de mortos subiu para 10.022, incluindo 4.104 crianças e 2.641 mulheres, enquanto os feridos chegaram a 25.408.

Al-Qudra disse que nas últimas horas o exército israelense cometeu 19 grandes massacres que levaram à morte de 252 pessoas.

Com Agência Xinhua

Leia também:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui