Agro paulista tem superávit de US$ 12,15 bi de janeiro até outubro

Exportações têm crescimento de 10%; grupo sucroalcooleiro e complexo soja se destacam.

De janeiro a outubro deste ano, o agro de São Paulo alcançou U$S 15,87 bilhões nas exportações, registrando aumento de 10% na comparação com o mesmo período de 2020. Os dados fazem parte da nova edição da Balança Comercial dos Agronegócios Paulista e Brasileiro, realizada mensalmente pelo Instituto de Economia Agrícola (IEA-APTA), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de SP. Também houve aumento de 10,4% nas importações estaduais, que somaram US$ 3,72 bilhões no período, contabilizando superávit de US$ 12,15 bilhões no setor – aumento de 9,9% em relação aos dez primeiros meses do ano passado. O mês de outubro registrou, isoladamente, saldo positivo de US$ 1,06 bilhão.

Segundo apontam os pesquisadores do IEA José Alberto Angelo, Marli Dias Mascarenhas de Oliveira e Carlos Nabil Ghobril, responsáveis pelo estudo, o agronegócio perfez 36,3% do total exportado pelo estado, enquanto as importações do setor representaram 6,7%.

Dentre os principais grupos de produtos exportados pelo agro, o complexo sucroalcooleiro segue sendo o mais representativo, com US$ 5,42 bilhões (34% do total do setor), seguido pelo complexo soja (US$ 2,31 bilhões) e setor de carnes (US$ 2,18). O grupo de sucos (US$ 1,34 bilhão) e os produtos florestais (US$1,33 bilhão) fecham a lista dos cinco maiores, cujo agregado correspondeu a 79,2% do total exportado pelo agro paulista de janeiro a outubro. Quanto às variações observadas, o complexo soja, com 21,5%, sucos (18,4%) e carnes (16,6%) apresentaram maiores aumentos nas vendas externas.

Os principais compradores do agro paulista, de acordo com os grupos mais expressivos, foram a China, no caso do sucroalcooleiro, complexo soja e carnes, e a União Europeia, no que se refere aos sucos e produtos florestais. Quanto às importações feitas pelo estado, os maiores valores registrados foram de papel (US$ 284,37 milhões), trigo (US$ 276,15 milhões) e salmões (US$ 250,34 milhões).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Economia no Governo Bolsonaro é a pior em 4 décadas

PIB do País crescerá menos que na década perdida.

Sobra água no Norte e Nordeste, mas ONS despacha térmicas caras

Usinas não conseguem utilizar linhas de transmissão.

Material escolar pode ter crescimento de 7,6% nas vendas

Segmento foi um dos mais impactados com a pandemia, mas a perspectiva de melhora entre 2022 e 2023 vem atrelada a aumento de preços.

Últimas Notícias

Valor da internet em Portugal está mais barato

Dados recentes do Eurostat, Serviço de Estatística da União Europeia, referentes a dezembro de 2021, mostra que Portugal lidera na descida de preços dos...

Modal finaliza aquisição da integralidade do banco digital LiveOn

O Modal, banco de investimento, fechou a aquisição de 100% da infratech LiveOn, operação divulgada em outubro de 2021, e só agora aprovada pelo...

Fitch afirma IDRs BB’ e rating nacional ‘AAA do Itaú Unibanco

A Fitch Ratings afirmou nesta segunda-feira os IDRs (Issuer Default Ratings - Ratings de Inadimplência do Emissor) de Longo Prazo em Moedas Estrangeira e...

Balança comercial registra déficit de US$ 117 milhões

A corrente de comércio (soma de exportações e importações) brasileira cresceu 28% e fechou a terceira semana de janeiro em US$ 28,91 bilhões. Os...

Subida de juros assusta investidores

A segunda-feira (24) foi marcada como um dia de aversão a risco com fortes quedas nas bolsas internacionais, observou Jansen Costa, sócio-fundador da Fatorial...