Além do aperto de mão

O histórico aperto de mão entre os líderes da Coreia do Sul, Moon Jae-in, e da Coreia do Norte, Kim Jong-un, representou um duro golpe na ideologia belicista que domina os Estados Unidos. Se por sorte ou por arte, o fato é que o presidente estadunidense, Donald Trump, colhe um resultado surpreendente, quando considerados os ataques verbais após assumir seu mandato. Tudo parece caminhar para novo momento simbólico, quando Trump e Kim Jong-un se reunirão, em maio.

Não se espere que os falcões de Washington assimilem a derrota sem resistência. A verborragia da mídia dos EUA e de seus subordinados – jornalões brasileiros incluídos – mostra que não faltarão tentativas de sabotar o diálogo.

O fato é que, de uma forma ou de outra, Trump vai surpreendendo os que se rendem às críticas rasas ao seu comportamento tosco. No recente caso da Síria, deu – para o público interno – uma demonstração de força após a provocação de um suposto ataque químico. O fato é que o bombardeio foi lucrativo para o fabricante dos mísseis norte-americanos, sem causar prejuízos significativos na Síria.

(Cabe aqui um parêntese: a mídia ocidental deixou de se interessar pela missão da Organização para a Proibição de Armas Químicas – Opaq no país do Oriente Médio depois que começaram os desmentidos do ataque e da produção de armas químicas em Damasco).

A selvageria dos ataques dos Estados Unidos à Coreia do Norte, durante a guerra – na qual, frise-se, os estadunidenses abusaram do bombardeio com napalm, arma química – deixou cicatrizes que, passados 65 anos, podem estar sendo superadas. O mundo agradece.

 

Quatro anos

Seguindo o Regime de Recuperação estabelecido com o Governo Federal, o Estado do Rio de Janeiro equilibra suas contas em três ou quatro anos, revelou o secretário de Fazenda, Luiz Cláudio Fernandes Lourenço Gomes, em palestra na Associação Comercial do Rio de Janeiro (ACRJ), nesta quinta-feira.

Ele abordou o aumento do desconto previdenciário, que passou de 11% para 14%. “A alíquota de 14% já é uma realidade para uma parcela grande dos funcionários estaduais. Em maio já teremos toda a folha com contribuição de 14%. O impacto é importante: será o aumento de R$ 35 milhões por mês”, analisou.

Otimista, o secretário ainda comentou sobre aspectos positivos da Petrobras. “Nove sistemas produtores de petróleo vão entrar em operação este ano. Isso vai significar não só a ampliação na arrecadação da Repetro, mas no aumento da produção desse ativo”, explicou.

As informações não chegam a ser um alívio. Do jeito que o Rio vai, mais três ou quatro anos significam uma pesada realidade para empresas e população. Para sorte do estado, há as eleições no final do ano. Um novo governo local vai contribuir para aumentar a confiança; e um governo nacional comprometido com o país pode encurtar o período de recuperação.

 

Direto da China

Na próxima quarta-feira, 13 dirigentes do turismo do Estado de Shanxi, na China, comandados pelo vice-governador Zhang Fuming, se encontrarão com Nilo Sergio Felix, secretário de Turismo do Estado do Rio de Janeiro, para assinar um acordo de intercâmbio. São 130 milhões de chineses viajando anualmente pelo mundo, e apenas pouco mais de 50 mil vêm para o Brasil.

 

Rápidas

Budistas e a cultura da paz” é o tema do evento que o Instituto dos Advogados Brasileiros (IAB) realizará na próxima quarta-feira, das 15h às 18h, na Biblioteca Daniel Aarão Reis do IAB, no Centro do Rio. Inscrições em www.iabnacional.org.br/eventos *** Em maio e junho, a atração do Clubinho do Carioca Shopping será o Clubinho da Bola *** O diretor executivo da BRA Certificadora, Tiago Martins, abrirá, 17 de maio, no Centro Empresarial Mourisco (RJ), o fórum Compliance e Governança na Saúde *** Neste domingo, o Center Shopping Rio apresenta contação de história A Festa do Quaquá, a partir das 17h *** O curso de Jornalismo da Unisuam realiza na próxima quarta, às 19h, um encontro com profissionais da imprensa para discutir as notícias falsas. Será no Auditório Amarina Motta – Unidade Bonsucesso (Av. Paris, 84, Rio de Janeiro) *** Os associados da Associação Brasileira dos Promotores de Eventos (Abrape) Regional Minas Gerais informam que, a partir do dia 1º de maio, pagarão o licenciamento das obras musicais utilizadas nos seus eventos apenas por meio de depósito judicial.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Juntar 2 meses e meio de auxílio para comprar cesta básica

Não só a pandemia, mas inflação é ameaça às pretensões de Bolsonaro.

Se mirar Nordeste, Bolsonaro atingirá o próprio pé

Região tem menor média de casos e óbitos causados pela Covid.

Neodefensores do trabalhador ignoraram crise

Desemprego já era estratosférico em 2019, e apoiadores de Guedes nem ligavam.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Campos marítimos do pós-sal estão em decadência

Os campos marítimos do pós-sal já produziram cerca de 16 bilhões de barris de óleo equivalente ao longo de sua história, ou seja, 63%...

Motoboys protestam em São Paulo

Entregadores tomaram ruas de São Paulo contra baixa remuneração e péssimas condições de trabalho

BC altera norma para segunda fase do open banking

Medida complementa regulamentação que estabelece requisitos técnicos de fase que vai permitir compartilhamento de dados e transações de clientes.

Confiança do consumidor medida por Michigan ficou abaixo do esperado

Índice registrou leitura de 86,5 na prévia de abril e o esperado era 89.

Escolha de conselheiros da ANPD preocupa por conflito de interesses

Entre os indicados há diretores e encarregados de dados pessoais de grandes empresas da internet.