Além de CNPJs, Bolsonaro destruiu carteiras e empregos

Política econômica de Paulo Guedes precarizou trabalho e aumento desocupação.

Bolsonaro levou 1 ano e 5 meses para manifestar preocupação com trabalhadores informais. Na intenção de atribuir aos governadores a culpa pelo fracasso da política econômica do Governo Federal, disse que as restrições à mobilidade prejudicam os sem carteira e autônomos. Levasse esta preocupação a sério, não teria vetado a ampliação da renda básica emergencial para um punhado desses trabalhadores, começando por motoristas de aplicativo e manicures, passando por agricultores.

O que se constata nestes 504 dias de governo é o resultado de uma política que fez regredir o emprego, não só em quantidade, como em qualidade. Vejamos alguns dados do IBGE (Pnad Contínua – Trimestral), comparando o último trimestre de 2018 (outubro, novembro, dezembro), ainda com Temer, e o primeiro trimestre de 2020 (janeiro, fevereiro, março):

Pessoas com 14 anos ou mais ocupadas na semana de referência como empregados

2018: 62,283 milhões

2020: 61,742 milhões (menos 540 mil pessoas com emprego)

Empregado por conta própria

2018: 23,775 milhões

2020: 24,159 milhões (mais 400 mil autônomos)

Pessoas de 14 anos ou mais de idade, desocupadas na semana de referência

2018: 12,152 milhões

2020: 12,850 milhões (mais 700 mil)

Pessoas de 14 anos ou mais de idade, fora da força de trabalho, na semana de referência

2018: 65,133 milhões

2020: 67,281 milhões (mais 2,1 milhões)

Pessoas de 14 anos ou mais de idade desocupadas ou subocupadas por insuficiência de horas trabalhadas ou na força de trabalho potencial, na semana de referência

2018: 26,828 milhões

2020: 27,620 milhões (mais 800 mil)

Pessoas de 14 anos ou mais de idade desalentadas, na semana de referência

2018: 4,663 milhões

2020: 4,770 milhões (mais 110 mil)

Nível de ocupação das pessoas com 14 anos ou mais na semana de referência

2018: 54,5%

2020: 53,5% (queda de 1 ponto percentual)

Taxa de desocupação das pessoas com 14 anos ou mais na semana de referência

2018: 11,6%

2020: 12,2% (alta de 0,6 ponto percentual)

Taxa composta de subutilização da força de trabalho das pessoas de 14 anos ou mais de idade, na semana de referência

2018: 24,2%

2020: 24,4% (alta de 0,2 ponto percentual)

Vimos o milagre da multiplicação do desemprego e da precarização do trabalho. Este é o resultado da política econômica de Paulo Guedes. O resto é conversa para gado mugir.

 

Conhecimento

Com os negócios fechados ou limitados pela quarentena, diversos empreendedores decidiram compartilhar experiências com aqueles que pensam em uma recolocação profissional pós-pandemia. Com mais de 25 anos atuando na área de gastronomia e entretenimento, o empresário João Diniz lançou um serviço gratuito de mentoria profissional.

Eu e minha equipe fazemos um diagnóstico sobre o negócio, com propostas de soluções e melhorias que podem ajudar às empresas”, explica João, que também oferece consultoria para desenvolvimento de novos projetos.

 

Não bate

Em 1º de abril e 12 de maio, a cidade do Rio enterrou 7.500 corpos a mais que em igual período de 2019. Como houve redução em mortes no trânsito e possivelmente de homicídios, resta a explicação da Covid. Mas dados oficiais mostram somente 2.438 mortos desde o início da pandemia.

 

Rápidas

O Instituto Preservale e o Vale do Café Convention And Visitors Bureau acabam de firmar um convênio de cooperação técnica para o desenvolvimento de projetos em conjunto. Entre eles, capacitação turística e a comercialização conjunta das fazendas através de roteiros integrados *** Nesta terça-feira, às 17h, a CEO da M2Trade, Michelle Fernandes, recebe para o “Café com Comex”, no Instagram, o diretor-presidente da Max Linker, Carlos Portella, para bate papo sobre comércio exterior *** A OAB Nacional realizará nesta terça-feira, às 17h, live no Youtube para debater o voto de qualidade no Carf *** A Associação dos Advogados (Aasp) realizará nesta terça o webinar gratuito “A crise e as empresas (Direito Concursal), soluções no Direito brasileiro e português”, com participação de profissionais de Portugal. Inscrições aqui *** A PwC Brasil realizará nesta quarta-feira o webcast “Novas perspectivas em tempos de coronavírus”. A transmissão, gratuita, ocorrerá das 9h às 11h em bit.ly/2zBOLJD

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Commodities voltam a subir e ameaçam inflação

Brasil dependerá, mais que nunca, do comportamento do real frente ao dólar.

Rio manda R$ 2,4 tri para União e só recebe R$ 171 milhões

Estado é um dos mais prejudicados da Federação.

Não, a Petrobras não quebrou

Na época em que os preços dos combustíveis não eram descontrolados, caixa da estatal era superior ao atual.

Últimas Notícias

Valor da internet em Portugal está mais barato

Dados recentes do Eurostat, Serviço de Estatística da União Europeia, referentes a dezembro de 2021, mostra que Portugal lidera na descida de preços dos...

Modal finaliza aquisição da integralidade do banco digital LiveOn

O Modal, banco de investimento, fechou a aquisição de 100% da infratech LiveOn, operação divulgada em outubro de 2021, e só agora aprovada pelo...

Fitch afirma IDRs BB’ e rating nacional ‘AAA do Itaú Unibanco

A Fitch Ratings afirmou nesta segunda-feira os IDRs (Issuer Default Ratings - Ratings de Inadimplência do Emissor) de Longo Prazo em Moedas Estrangeira e...

Balança comercial registra déficit de US$ 117 milhões

A corrente de comércio (soma de exportações e importações) brasileira cresceu 28% e fechou a terceira semana de janeiro em US$ 28,91 bilhões. Os...

Subida de juros assusta investidores

A segunda-feira (24) foi marcada como um dia de aversão a risco com fortes quedas nas bolsas internacionais, observou Jansen Costa, sócio-fundador da Fatorial...