Alemanha prevê sair das energias fósseis este ano

247
Poluição (Foto: Nikola Belopitov/Pixabay)
Poluição (Foto: Nikola Belopitov/Pixabay)

As emissões de gases de efeito estufa da Alemanha estagnaram em cerca de 761 milhões de toneladas métricas de CO2 em 2022. Pelo segundo ano consecutivo, o país não atingiu sua meta de redução de 40% em comparação com o ano de referência de 1990.

O consumo total de energia do país europeu em 2022 caiu 4,7% em relação ao ano anterior como resultado de muitos aumentos nos preços do gás natural e eletricidade, além de temperaturas amenas durante a estação de aquecimento, de acordo com um estudo do think tank, agora Energiewende. publicado na quarta-feira (4).

As emissões de gases de efeito estufa do país estagnaram em cerca de 761 milhões de toneladas métricas de CO2, segundo a avaliação. Pelo segundo ano consecutivo, a Alemanha não atingiu sua meta de redução de 40% em comparação com o ano de referência de 1990. “Em 2023, o governo deve reverter a tendência: sair das energias fósseis e consistentemente para as renováveis”, disse Simon Mueller, diretor da Agora Energiewende na Alemanha, em um comunicado.

Para garantir a segurança do abastecimento sem o gás russo, o governo alemão permitiu que as usinas movidas a carvão fossem temporariamente reativadas. A primeira usina foi reconectada à rede no início de agosto.

Espaço Publicitáriocnseg

De acordo com os últimos números oficiais, mais de um terço da geração de eletricidade da Alemanha foi gerada por carvão no terceiro trimestre de 2022. Mesmo durante o verão ensolarado do ano passado, quando as energias renováveis, como solar e eólica, normalmente geram mais, o carvão continuou sendo a maior fonte de energia.

Meta

Segundo a Agência Xinhua, a Alemanha pretende reduzir suas emissões de gases de efeito estufa em 65% até 2030 em comparação com os níveis de 1990 e ser neutra em termos climáticos até 2045, cinco anos à frente da União Europeia (UE), que busca ser a primeira a atingir emissões

No entanto, a maior economia da Europa ainda está longe de atingir suas metas climáticas de médio prazo, alertou o Conselho de Especialistas em Mudanças Climáticas do governo alemão em um relatório no final do ano passado.

As taxas de redução de emissões alcançadas até agora estão longe de serem suficientes para cumprir as metas de proteção climática para 2030”, disse o membro do Conselho Thomas Heimer. “A redução anual de emissões precisaria dobrar em relação ao desenvolvimento histórico dos últimos 10 anoa”, acrescentou..

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui