Alerj discute multa para discriminação religiosa na administração

Projeto tem por objetivo suprir a principal lacuna na legislação.

O presidente da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), deputado André Ceciliano (PT), é o autor do projeto de lei que prevê multas a infrações administrativas por condutas contrárias à liberdade religiosa no âmbito do Estado do Rio de Janeiro, que podem chegar a 5 mil Ufirs-RJ. Segundo Ceciliano, o Projeto de Lei tem por objetivo suprir a principal lacuna na legislação estadual sobre o tema da liberdade religiosa, a saber, a ausência de previsão de infrações administrativas e respectivas sanções. O projeto ainda vai ser votado no plenário da Alerj.

 

Ceciliano com dupla jornada

O deputado André Ceciliano vai se dividir nos próximos meses entre a presidência da Alerj e a campanha para uma vaga no Senado. Ele diz que não abre mão do duplo desafio e que em nenhum momento cogitou não concorrer ao Senado, mesmo com os obstáculos surgidos nas últimas semanas envolvendo quebra de acordos partidários.

 

Melhor garantir a cadeira

Ao contrário de Ceciliano, o ex-prefeito Marcelo Crivella (PRB) desistiu da disputa por uma vaga no Senado ou a governador. Não foi o único. Figurinhas carimbadas da política fluminense, como Garotinho (União), Lindbergh Farias (PT) e Jandira Feglali (PCdoB) passaram ao largo da disputa por cargos majoritários este ano. Acham mais viável garantir uma cadeira no Legislativo.

Daniel Luiz Martins e deputado Luiz Martins (fotos divulgação e Alerj)
Daniel Luiz Martins e deputado Luiz Martins (fotos divulgação e Alerj)

Luiz Martins desiste e vai apoiar o filho

O veterano deputado Luiz Martins (União) decidiu não concorrer à reeleição. Ele alegou problemas pessoais para deixar a política, mas tem um sucesso na família. Martins vai apoiar a eleição do filho, Daniel Luiz Martins, que já exerceu o mandato de vereador no Rio, foi secretário de Turismo em Nova Iguaçu e tem propostas para a área de esportes.

 

Eles estão desesperados

Na sessão de reabertura da Alerj, esta semana, o deputado Val Ceasa (Patriota) encontrou outros dois parlamentares que perguntaram como estava a base dele em Paraty. Val disse que teve 8.100 votos lá na última eleição e poderia passá-los a seus interlocutores para ajudá-los nesta eleição. Surpreso, um perguntou: “Os 8 mil?” e Val disse que “não, apenas 100”. A gargalhada foi geral. E não é que um deles aceitou a oferta! “A campanha está tão complicada este ano que esses 100 votos vão me ajudar muito.”

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Jurançon e seus encantadores vinhos brancos

Doces e secos com equilíbrio ímpar dulçor/acidez e envolvente perfil aromático.

Ameaça de demissões expõe crise na Saúde

Piso de menos de 4 SM para enfermagem revela desvalorização.

O que já sabemos sobre o novo SUV Fastback

Modelo será posicionado acima do Pulse

Últimas Notícias

Fiagros têm captação líquida satisfatória até junho

Esses fundos entraram em operação em agosto de 2021

Vendas financiadas de veículos leves e pesados crescem pouco

Em relação a julho de 2021, no entanto, queda é de 18,8%

Índices influenciaram o mercado nesta semana

Ibovespa encerrou nesta sexta-feira com alta de 2,33%

Petrobras informa sobre venda de direitos minerários de potássio

A Petrobras informa que iniciou a etapa de divulgação da oportunidade (teaser), referente à venda de seus direitos minerários para pesquisa e lavra de...

China aposta no controle da inflação este ano

BPC: condições favoráveis para manter os preços geralmente estáveis