Alerj economizou quase R$ 500 milhões em 2020

Foram repassados 60% da sobra para estado pagar 13º dos servidores.

O presidente da Alerj, deputado André Ceciliano (PT), disse que em 2020 a Alerj manteve uma gestão austera e responsável com o dinheiro público, economizando quase R$ 500 milhões do seu orçamento anual. Desse total, R$ 300 milhões foram repassados ao Estado para pagamento do 13º salário dos servidores.

 

Marca histórica de produtividade

Em meio à crise da pandemia do coronavírus, a Alerj atingiu marcas históricas de produtividade. Foram mais de 350 sessões extraordinárias, 872% a mais que em 2019, além de 1.600 projetos de lei apresentados, a maioria com relação a crise social e econômica por conta da pandemia. Desse total, 435 já são leis estaduais. Já as comissões temáticas da Alerj realizaram 318 reuniões.

 

Esforço em ano atípico

O deputado André Ceciliano lembrou que 2020 foi um ano atípico, mas mostrou que o parlamento cumpre o seu papel. “Este ano foi atípico para todo mundo. Perdemos amigos, mas renascemos. A Alerj uniu forças com todos os setores públicos e privados para auxiliar o povo nessa luta, que foi a luta em defesa da vida”, destacou o deputado.

 

Homenagem por programa de fisioterapia

O presidente da Alerj, André Ceciliano, foi homenageado esta semana pelo Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional da Segunda Região por conta da implantação do programa de fisioterapia no Posto de Saúde da Família de Paracambi, quando comandou o município. Ceciliano foi prefeito de Paracambi entre 2001 e 2009, cumprindo dois mandatos consecutivos.

Rosane Felix (foto: Alerj)
Rosane Felix (foto: Alerj)

Saída estruturada dos abrigos

O Governo do Estado instituiu o Programa de Transição de Acolhimento, para assegurar educação e formação voltada ao mercado de trabalho aos jovens abrigados em instituições. A Lei 9152/2020, proposta pela deputada estadual Rosane Felix (PSD), foi sancionada pelo governador em exercício, Cláudio Castro (PSC), e publicada no Diário Oficial. Objetivo é dar condições dignas aos adolescentes visando à saída das instituições, ao completarem 18 anos.

 

Fim da prisão administrativa de PMs

O governador em exercício, Cláudio Castro (PSC), vai editar um decreto no qual será extinta a prisão administrativa na Polícia Militar e no Corpo de Bombeiros do Estado do Rio de Janeiro. O mecanismo é utilizado para punir agentes da segurança pública que cometem infrações disciplinares. O conteúdo do decreto já está em estudo, informou o deputado federal Sargento Gurgel (PSL-RJ), que esteve reunido com o governador na semana passada para tratar do assunto.

Leia mais:

Alerj aprova parecer prévio da LOA 2021

Alerj mobiliza Rio para evitar perda catastrófica de royalties

Artigos Relacionados

Empresa pode dar justa causa a quem não se vacinar?

Advogado afirma que companhias são responsáveis pela saúde no ambiente de trabalho.

Água, saneamento e crescimento para todos

Há pouco tempo para implantação das metas do novo marco legal.

Brasileiros protestam em Portugal

São 50 mil que aguardam autorização de residência no país.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

A cabeça do dragão

Por Gustavo Miotti.

Portugueses pedem extensão das moratórias bancárias

A Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP) está pleiteando a prorrogação das moratórias bancárias até 31 de março de 2022”. O...

China libera reservas de metais não ferrosos para reduzir custos

A China disse que continuará a liberar suas reservas estatais de cobre, alumínio e zinco para garantir preços estáveis para as commodities e aliviar...