Alta na cesta básica preocupa setor supermercadista do Rio

Segundo associação, alta se deve a aumento das exportações de itens e matérias-prima e diminuição de importações dessas mercadorias.

Rio de Janeiro / 15:34 - 8 de set de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Em nota oficial, a Associação de Supermercados do Estado do Rio de Janeiro (Asserj) "mostra preocupação com o elevado preço de alguns produtos, em especial os que compõem a cesta básica da população brasileira, que vem sendo fortemente impactados em função de alguns fatores, como o aumento do dólar e a sazonalidade."

Segundo a entidade, o setor supermercadista do Estado do Rio de Janeiro "é um dos que tem sofrido grande pressão de aumento nos preços de forma generalizada repassados pelas indústrias e fornecedores. Reconhecemos o importante papel que o setor agrícola e suas exportações têm desempenhado na economia brasileira. Mas alertamos para o desequilíbrio entre a oferta e a demanda no mercado interno para evitar impactos no abastecimento da população, principalmente em momento de pandemia do novo coronavírus".

A alta no preço desses produtos se deve a alguns fatores, como o aumento das exportações destes itens e sua matéria-prima e a diminuição das importações dessas mercadorias, motivadas pela mudança na taxa de câmbio que provocou a valorização do dólar frente ao real. A sazonalidade também tem impacto direto no valor dos produtos. Somando-se a isso também tem a política fiscal de incentivo às exportações, e o crescimento da demanda interna impulsionado pelo auxílio emergencial do Governo Federal.

"A Asserj tem se esforçado para manter os preços normalizados no estado do Rio e vem garantindo o abastecimento regular desde o início da pandemia em todas as redes associadas. Desde março, a Associação tem estreitado ainda mais parcerias com fornecedores e representantes de todos os elos da cadeia de abastecimento para antecipar os pedidos de compras e garantir um melhor abastecimento para a sociedade. Apoiamos o sistema econômico baseado na livre iniciativa, e somos contra às práticas abusivas de preço, que impactam negativamente no controle de volume de compras, na inflação, e geram tensões negociais e de ordem pública. É importante destacar que aumentos excessivos no preço de mercadorias devem ser denunciados ao Procon-RJ. A Associação de Supermercados do Estado do Rio continuará buscando oferecer aos consumidores opções de substituição dos produtos mais impactados por esses aumentos."

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor