31.6 C
Rio de Janeiro
sábado, janeiro 23, 2021

Alta sem empolgação

O dia de ontem foi de alta nos mercados asiáticos, começou assim na também na Europa, mas terminou com quedas e mercados americanos oscilando entre positivo e negativo durante quase todo o dia. Aqui, tivemos raro momento negativo ao longo da sessão, mas a alta mantida durante todo o dia não chegou a empolgar, até por conta da fraca performance da líder Vale.

Ainda existem muitas incertezas, e isso ficou expresso não só em declarações de dirigentes, como também pelas preocupações com a expansão da Covid-19 e suas variantes encontradas em diferentes países. A primeira ministra da Alemanha, Angela Merkel, sugeriu lockdown (confinamento) até o mês de abril. Na Espanha, tivemos recorde de contágio e aqui estamos superatrasados em tudo e com mortes e infecção crescentes.

Nos EUA, Janet Yellen deve ser confirmada no Tesouro no próximo dia 19, véspera da posse de Joe Biden. Os EUA e o Reino Unido iniciam negociações sobre cooperação em serviços financeiros. Mike Pompeo, secretário de Donald Trump, anunciou sanções contra líderes do Irã por ligações com a Al Qaeda, com transito livre no país.

Também tivemos vários dirigentes regionais do Fed versando sobre expectativas da economia e, na visão de James Bullard, presidente de St. Louis, a perspectiva de recuperação de 2021 segue forte, com queda de desemprego para abaixo de 5% e inflação movendo para cima em 2021 e 2022. Já Loretta Mester, do Fed de Cleveland, entende que a fraqueza da economia e incertezas impõem pressão na inflação.

Eric Rosengren, do Fed de Boston, disse que a política de compra de ativos deve ser mantida até que a economia restabeleça. Chuck Schumer, líder pelos Democratas, disse que o primeiro trabalho será aprovar pacote fiscal, com aqueles US$ 2 mil para cidadãos necessitados.

Na Itália, só para variar um pouco, a expectativa é que a crise política piore e o premiê Giuseppe Conte tenha que renunciar para formação de novo governo. No mercado internacional, o petróleo WTI teve dia de alta de 1,74%, com o barril cotado a US$ 53,16, o euro tinha alta para US$ 1,22 e notes americanos de 10 anos com taxa de juros de 1,14%. O ouro praticamente estável e a prata em alta na Comex e commodities agrícolas majoritariamente em alta na Bolsa de Chicago. O minério de ferro negociado na China (Qingdao) registrou leve alta de 0,31%, com a tonelada em US$ 172,67, mas não foi suficiente para manter as ações da Vale em alta.

No segmento local, tivemos a divulgação da inflação oficial de dezembro pelo IPCA, com alta maior que a prevista de 1,35% (anterior em 0,84%), acumulando inflação em 2020 de 4,50%, também maior que a esperada. O índice de difusão também ampliou para 72,1%, de anterior em 66,6%. Habitação, alimentação e transportes foram responsáveis por 80% da variação do mês, enquanto alimentos e bebidas registraram alta em 2020 de 14,09%.

Houve alta da inflação em todas as regiões pesquisadas. Bolsonaro voltou a discursar em evento de ciência e tecnologia, voltando a defender a liberação de armas, dizendo que povo armado não será escravizado (?).

Já o diretor do BC, Bruno Serra, disse não haver percepção de que a economia global esteja entrando em crescimento forte e disse que por aqui há alguma desaceleração com a redução do auxílio emergencial. Diagnosticou que o câmbio está nesse nível por conta do quadro fiscal preocupante, do “overhedge” de final do ano e diferencial de juros.

Falando de câmbio, hoje o dia foi marcado por fraqueza do dólar no mercado internacional e também aqui. No fechamento dos mercados, o dólar mostrava queda de 3,29%, cotado a R$ 5,32. Bom mesmo tem sido a performance dos investidores estrangeiros na Bovespa. Até o último dia 8, já tinham ingressado com R$ 10,75 bilhões, continuando com os aportes iniciados em outubro.

No mercado acionário dia de queda na Bolsa e Londres de 0,65%, Paris com – 0,20% e Frankfurt com – 0,08%. Madri e Milão com quedas de respectivamente 0,14% e 0,33%. No mercado americano, dia de Dow Jones com + 0,19% e Nasdaq com + 0,28%. Na Bovespa, fechamento em alta de 0,60% e índice em 123.998 pontos, destaque negativo para Vale, com -2,74%.

Na agenda desta quarta, teremos o IPC da primeira quadrissemana de janeiro, o volume de serviços prestados em novembro, levantamento da produção agrícola e fluxo cambial da semana anterior. Nos EUA, sairá a inflação medida pelo CPI (consumidor) de dezembro, os estoques de petróleo na semana anterior, o resultado fiscal de dezembro, dados do Livro Bege (síntese da economia) e discursos de dirigentes do Fed.

.

Alvaro Bandeira

Sócio e economista-chefe do Banco Digital Modalmais

Leia mais:

Bolsonaro: ‘fechamento não é política correta contra a Covid’

Avanço da Covid-19 faz mercado ficar em cautela

Artigos Relacionados

Copom está alinhado com maioria da expectativa do mercado

Considerando foco na inflação de 2022, estamos considerando agora que BC começará a aumentar Selic em maio e não em agosto.

Primeira prévia dos PMI’s e avanço da Covid-19

Bolsa brasileira sucumbe ao terceiro dia de queda, mediante aos temores fiscais.

Exterior em baixa

Queda acontece em meio às preocupações com problemas para obtenções de vacinas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Copom está alinhado com maioria da expectativa do mercado

Considerando foco na inflação de 2022, estamos considerando agora que BC começará a aumentar Selic em maio e não em agosto.

Primeira prévia dos PMI’s e avanço da Covid-19

Bolsa brasileira sucumbe ao terceiro dia de queda, mediante aos temores fiscais.

Exterior em baixa

Queda acontece em meio às preocupações com problemas para obtenções de vacinas.

Más notícias persistem

Petróleo negociado em NY mostrava queda de 2,60% (afetando a Petrobras), com o barril cotado a US$ 51,75.

Mercado reagirá ao Copom e problemas internos

Na Europa, Londres teve alta de 0,41%. Frankfurt teve elevação de 0,77%. Paris teve ganhos de 0,53%.