Além do ovo

O comércio lojista carioca estima vendas 10% maiores na Páscoa deste ano em relação à do ano passado. É o que mostra a pesquisa do Centro de Estudos do Clube dos Diretores Lojistas do Rio de Janeiro (CDL-Rio). Segundo Aldo Gonçalves, presidente da entidade, a data era limitada, até alguns anos atrás, à troca de ovos de chocolate; hoje, o comércio aposta na Páscoa como um novo filão, oferecendo outros produtos como bichos de pelúcia, brinquedos, criativos cartões e kits montados nas papelarias ao gosto do cliente, roupas (infantis e de adultos), jóias e bijuterias entre outros artigos.

Namorados
Não apenas para as crianças estão na mira do comerciante na Páscoa. Os adultos, especialmente casais de namorados, estão no alvo. Segundo a pesquisa do CDL-Rio, os lojistas estão preparados para uma demanda elevada: 71,4% acreditam em vendas maiores do que o ano passado; 57,1% aumentaram seus estoques; 14,3% aumentaram a variedade de mercadorias; e 28,6% investiram no treinamento para melhorar o atendimento. O preço médio dos presentes por pessoa deve ficar em torno de R$ 50.

Keynes vive
Economistas acadêmicos identificados com a matriz teórica keynesiana, interessados em discutir macroeconomia e os rumos da política econômica nos países emergentes, em especial o Brasil, resolveram criar a Associação Keynesiana Brasileira e realizar um encontro internacional para discutir, teórica e empiricamente, problemas como instabilidades financeiras, crises cambiais, volatilidades de fluxos de capitais e crises de demanda efetiva e de desemprego.
O I Encontro Internacional da Associação Keynesiana Brasileira será realizado de 16 a 18 de abril, na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), em São Paulo. A comissão organizadora do evento é constituída pelos professores Fernando Ferrari Filho (UFRGS), Frederico G. Jayme Jr.(UFMG) e Luiz Fernando de Paula (Uerj), além de Adriana Nunes Ferreira, Ana Rosa Ribeiro de Mendonça, Antonio Carlos Macedo e Silva, Daniela Prates e Simone Deos, estes cinco da Unicamp.

Mais que beleza
Capacitar as empresas do setor de cosméticos e higiene pessoal no desenvolvimento de produtos e na proteção dos investimentos em inovação é o objetivo do curso “Patentes e Gestão da Propriedade Industrial”, em São Paulo. A iniciativa do Itehpec e da Abihpec – duas entidades do setor – conta com o apoio da Sociedade Brasileira Pró-Inovação Tecnológica. O curso será dia 11. Os interessados devem se inscrever no site www.protec.org.br

Bric ou RIC?
Osvaldo Nobre lança nesta quinta o livro Bric ou RIC – Soberania ou Submissão. Se em seu livro anterior (Brasil, País do Presente), o autor mostrava o potencial brasileiro e apontava alguns entraves a serem removidos, neste ele mostra os enfrentamentos que as instituições brasileiras terão que fazer e dos quais dependerá nossa soberania ou submissão. Pouco se escreve e publica no Brasil sobre geopolítica. Este livro – com prefácio de um dos titulares desta coluna – faz uma abordagem geopolítica do mundo de hoje, em especial sobre o papel dos Bric.

Centenária
A Associação Brasileira de Imprensa (ABI) realiza, dia 3 de abril, sessão especial, na Academia Brasileira de Letras, para comemorar seu centenário, que se completa em 7 de abril. A solenidade dará o pontapé inicial das celebrações, que prosseguem, quatro dias, com um espetáculo de gala no Teatro Municipal do Rio de Janeiro, com a presença do presidente Lula e show de Paulinho da Viola.

Ainda um incômodo
Outro personagem cujo centenário será comemorado este ano é o ex-presidente do Chile Salvador Allende, que aniversariaria em 26 de junho. Curiosa e significativamente, enquanto será homenageado em vários países da América Latina, da Europa, da Ásia, no Canadá e até nos Estados Unidos, em seu próprio país Allende permanece um tabu. Prisioneira dos rancores do passado, a direita pinochetista continua hostil a seu governo e os integrantes da Concertação, convertidos ao neoliberalismo, mantêm silêncio sepulcral sobre a primeira experiência socialista pela via eleitoral na região. Com isso, o resgate de seu legado cabe aos movimentos sociais e aos partidos de espectro mais à esquerda.

Marcos de Oliveira e Sérgio Souto

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorAlmoço grátis
Próximo artigoBola fora

Artigos Relacionados

Rio manda R$ 2,4 tri para União e só recebe R$ 171 milhões

Estado é um dos mais prejudicados da Federação.

Não, a Petrobras não quebrou

Na época em que os preços dos combustíveis não eram descontrolados, caixa da estatal era superior ao atual.

Hood Robin e o ICMS nos combustíveis

Reduzir impostos tira da sociedade para dar a poderosos.

Últimas Notícias

Electrolux lança desafio para arquitetos e designers de interiores

A Archademy, primeiro Market Network de Arquitetura e Design de Interiores do Brasil, abre inscrições para a edição do seu Archathon Electrolux 2022. O...

Gestão do Hopi Hari ganha na justiça e se mantém no parque

A gestão do Parque Temático Parque Hopi Hari acaba de obter decisão favorável, proferida pelo Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, para...

Bancos chineses registram compra líquida de divisas em 2021

Os bancos chineses registraram uma compra líquida de divisas em 2021, pois a taxa de câmbio do iuan permaneceu geralmente estável e os fluxos...

RNI: Plano de negócio tem o melhor resultado dos últimos 7 anos

Prévia do 4T21 da construtora e incorporadora RNI, do grupo Empresas Rodobens, indica resultados superiores aos últimos sete anos. A empresa, que completou 30...

Chile quer renacionalizar cobre e bens públicos estratégicos

A campanha pela renacionalização do cobre e dos bens públicos estratégicos entregues às transnacionais durante o governo de Augusto Pinochet (1973-1990) tem sido impulsionada...