Amar é…

Passado o Dia das Mães, o comércio aquece as turbinas para o Dia dos Namorados. Os lojistas cariocas esperam um crescimento 10% sobre o movimento de 2009. É o que mostra a pesquisa do Clube dos Diretores Lojistas (CDL-Rio). O preço médio dos presentes por pessoa deve ser de cerca de R$ 100.

Apagando fogo com gasolina
Se é verdade que certas pessoas não levam a realidade em consideração, mas, em compensação, não são considerados por ela, choques de realidade também são capazes de abalar convicções profundas e remover dogmas, mesmo os mais empedernidos. É o caso da direção da União Européia (UE), que, após erigir a junção de povos distintos e países de economias extremamente assimétricas tendo como base o garrote fiscal alcançável por políticas monetárias rígidas, se vê às voltas com a dura provação de ver suas teorias negadas pela segunda fase da crise mundial, agora, se espraiando a partir da Grécia.
Como noticiou, na véspera, o MM, diante da gigantesca dívida impagável, inicialmente, dos integrantes dos Piigs (Portugal, Itália, Irlanda, Grécia e Espanha, na sigla em inglês), o ultra-ortodoxo Banco Central Europeu (BCE) já admite, ainda que de forma implícita, seguir os passos do Federal Reserve (Fed, o BC dos Estados Unidos) e emitir euros, garantindo liquidez a papéis sem mercado, a não ser por juros que impossibilitam seus credores de manterem o pagamento de suas dívidas.
Apesar de admitir romper as amarras monetárias, a UE, no entanto, insiste em determinar aos países do bloco, em particular àqueles de economias mais frágeis, os rigores do aperto fiscal, inviabilizando o crescimento que geraria as condições para arcar com os encargos da dívida e, principalmente, manter a relativa coesão social do continente.
Como em economia não existem movimentos isolados, essa esquizofrênica opção resultará em acenar aos especuladores estar aberta nova temporada de transferência de recursos para o setor financeiro, com o aval e o lastro dos Tesouros dos países, ao mesmo tempo em que a seus cidadãos e ao setor produtivo estariam destinados tempos de retrocesso e perversão social. Ou seja, estão criadas as condições para o fracasso do plano, com lançamento no atual incêndio europeu de quantidade de gasolina suficiente para deflagrar um gigantesco cataclismo social, compatível apenas com o visto às vésperas da II Segunda Mundial.

Compras
A multinacional Essilor comprou 70% das cotas de dois laboratórios de Porto Alegre, o Farol e o Sturmer. A empresa francesa vai destinar a este tipo de aquisição 50% dos investimentos previstos para este ano no Brasil, que somam R$ 75 milhões. “Esses acordos beneficiarão a produção de lentes oftálmicas e anti-reflexo”, explica Thomas Bayer, presidente da Essilor Brasil e América Latina.

Anulação
Diante da polêmica em torno do concurso para a Caixa Econômica Federal, a Associação Nacional de Proteção e Apoio ao Concurso (Anpac) tem orientado os candidatos a recorrerem ao Ministério Público Federal, exigindo a anulação integral do concurso em todo o território nacional, e não somente nos locais onde houve tumulto – nas Faculdades Metropolitanas Unidas (FMU), em São Paulo, no Centro Universitário Fieo, em Osasco (SP), e em todas as escolas da cidade do Rio de Janeiro.

Avanço
Os representantes do COB Fabio Staring, Paulo Rocha e Ricardo Trade visitaram na tarde desta quinta-feira o Centro Integrado de Ações Locais (Cial), sede de TI do RIO 2011, Jogos Mundiais Militares. Segundo Paulo Rocha, o “Cial é o avanço do que foi usado na segurança do Pan”.

Pré-sal
Palestra do senador Francisco Dornelles (PP-RJ) discute o pré-sal e a questão dos royalties do petróleo. O senador fará a palestra no curso de Direito da Faculdades Integradas Hélio Alonso (Facha), nesta sexta-feira, das 19h às 22h, no auditório da unidade Botafogo (Rua Muniz Barreto 51). A entrada é franca, mas é necessário se inscrever pelo e-mail [email protected]

Evasão
A superintendente do Instituto Unibanco, Wanda Engel, assina nesta sexta-feira, na Bolsa de Valores do Rio, termo de parceria com as secretarias estadual e municipal de Educação do Rio de Janeiro para levar os projetos Jovem de Futuro e Entre Jovens, respectivamente, a cerca de 100 escolas públicas. O objetivo é reduzir a evasão escolar.

Artigo anteriorA verdadeira gastança
Próximo artigoVá de navio
Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Moeda chinesa na mira dos bancos centrais

Participação como reserva internacional ainda é baixa… por enquanto.

Bolsonaro comanda pior resposta à pandemia da AL

Para formadores de opinião, Brasil foi pior até que a estigmatizada Venezuela.

Cem anos de Celso Furtado

A atualidade de um dos mais importantes intelectuais do planeta.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Mercado de fertilizantes especiais cresce 41,8% em 2020

Neste ano, a expectativa é de que o setor obtenha uma nova elevação de 24%.

Consumo nos setores de turismo e diversão cresce em junho no Rio

O consumo das classes C e D no Brasil recuou 5% em junho, depois de ter subido 8% em maio, de acordo com a...

População de países emergentes fica ainda mais pobre

Perda de renda foi 2x maior que nas nações ricas.

Pagamento indevidos: TCU encontra 11% de inconsistências no INSS

‘Falhas afetam a confiabilidade do banco de dados’ de benefícios previdenciários.

Investimentos de brasileiros em paraíso fiscal ultrapassam US$ 558 bi

Os ativos foram realizados principalmente em paraísos fiscais.