26.4 C
Rio de Janeiro
sábado, janeiro 16, 2021

AmBev acha difícil atingir meta de crescimento da Labatt em 2005

A AmBev anunciou que considera difícil atingir a meta de crescimento de 15% na geração de caixa medida pelo Ebitda em 2005 de sua subsidiária no Canadá, Labatt. No terceiro trimestre, a Labatt teve lucro Ebitda (antes de juros, impostos, amortização e depreciação) de US$ 233,5 milhões canadenses, o que representou crescimento de 13% na comparação anual.
O diretor-geral da AmBev na região, Carlos Brito, afirmou que o Ebitda na América do Norte no acumulado do ano (até setembro) cresceu 14,7%, “apesar do ambiente desafiador de preços”, avaliou. “A performance baixa de nossa linha principal de produtos, especialmente pelo ambiente de preços, certamente tornará mais difícil alcançar crescimento de 15% (no Ebitda) da Labatt este ano”, acrescentou.
A Labatt foi comprada pela AmBev em agosto do ano passado, como parte da complexa aliança da empresa brasileira com a cervejaria belga Interbrew que deu origem à InBev, maior cervejaria do mundo em volume produzido.
Brito informou que houve retração de 2,5% no volume de vendas da empresa no mês de outubro, após leve alta de 1,2% no terceiro trimestre. Para ele, a baixa reflete a política agressiva de descontos da rival Molson Coors, líder no mercado canadense, controladora da Kaiser no Brasil.
Como aspectos positivos no mercado canadense, ele destacou a elevação em 13% do preço mínimo da cerveja em Ontário, após anos de estabilidade. Brito apontou ainda que no segmento de marcas mais baratas, houve estabilidade nas vendas e preços, durante os últimos nove meses, com 30% de participação do mercado. “Ainda é um market share alto, mas pelo menos não está crescendo.”

Artigo anteriorIndústria gráfica
Próximo artigoBolívar
Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Grande produtor rural não paga impostos

Agronegócio alia força política a interesses do mercado financeiro.

Não foi a disrupção que derrotou a Ford

Mercado de automóveis está mudando, mas montadora sucumbiu aos próprios erros e à estagnação que já dura 6 anos.

Quantas mortes pode-se debitar na conta de Bolsonaro?

Se índice de óbitos por Covid-19 no Brasil seguisse a média mundial, teriam sido poupadas 154 mil vidas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Varejo sente redução no auxílio e alta da inflação

Comércio ficou estável em novembro e quebrou sequência de recuperação.

Senado quer que Pazuello se explique

Pedido de convocação para cobrar ação do Ministério da Saúde no Amazonas.

Lenta recuperação na produção industrial dos EUA

Setor ainda está 3,6% abaixo do nível anterior à pandemia.

Realização de lucros em âmbito global

Bolsas europeias e os índices futuros de NY operam em baixa nesta manhã de sexta-feira.

Desaceleração deve vir no começo do primeiro trimestre

Novo pacote de estímulo fiscal, bem como o avanço da imunização, deve garantir reaceleração em direção ao final do período.