AmBev acha difícil atingir meta de crescimento da Labatt em 2005

A AmBev anunciou que considera difícil atingir a meta de crescimento de 15% na geração de caixa medida pelo Ebitda em 2005 de sua subsidiária no Canadá, Labatt. No terceiro trimestre, a Labatt teve lucro Ebitda (antes de juros, impostos, amortização e depreciação) de US$ 233,5 milhões canadenses, o que representou crescimento de 13% na comparação anual.
O diretor-geral da AmBev na região, Carlos Brito, afirmou que o Ebitda na América do Norte no acumulado do ano (até setembro) cresceu 14,7%, “apesar do ambiente desafiador de preços”, avaliou. “A performance baixa de nossa linha principal de produtos, especialmente pelo ambiente de preços, certamente tornará mais difícil alcançar crescimento de 15% (no Ebitda) da Labatt este ano”, acrescentou.
A Labatt foi comprada pela AmBev em agosto do ano passado, como parte da complexa aliança da empresa brasileira com a cervejaria belga Interbrew que deu origem à InBev, maior cervejaria do mundo em volume produzido.
Brito informou que houve retração de 2,5% no volume de vendas da empresa no mês de outubro, após leve alta de 1,2% no terceiro trimestre. Para ele, a baixa reflete a política agressiva de descontos da rival Molson Coors, líder no mercado canadense, controladora da Kaiser no Brasil.
Como aspectos positivos no mercado canadense, ele destacou a elevação em 13% do preço mínimo da cerveja em Ontário, após anos de estabilidade. Brito apontou ainda que no segmento de marcas mais baratas, houve estabilidade nas vendas e preços, durante os últimos nove meses, com 30% de participação do mercado. “Ainda é um market share alto, mas pelo menos não está crescendo.”

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorIndústria gráfica
Próximo artigoBolívar

Artigos Relacionados

Os EUA lavam mais branco

Lavagem de dinheiro através de imóveis tem poucos obstáculos na pátria de Tio Sam.

Apagão já foi tragédia, volta como farsa

Modelo de mercantilização da energia é o culpado.

Volume de reservatórios pode cair a 6% em novembro

Quadro crítico poderá ser alcançado em 2 meses, mesmo com tarifaço.

Últimas Notícias

Reforma do IR trará impacto negativo para o caixa das empresas

O projeto de reforma tributária do Imposto de Renda aprovado na Câmara no início de setembro merece atenção especial do setor produtivo. O alerta...

A paz é o caminho

Por Paulo Alonso.

Setor farmacêutico ganha aliado para agilizar contratações

Farmácias e drogarias passaram a integrar o aplicativo Closeer, responsável por conectar empresas e trabalhadores autônomos. Oportunidades de trabalho no segmento devem crescer até...

Taxa de desemprego entre os mais pobres é de 36%

Queda em renda indica aumento na desigualdade durante a pandemia; jovens já são 42% dos empregos temporários no primeiro semestre.