Ameaçadas de privatização, 3 estatais lucraram R$ 21 bilhões

Resultado mostra que venda não se dará por ineficiência.

Os balanços de três empresas públicas que estão na mira da privatização – Eletrobras, Correios e Caixa – desmentem o argumento do Governo Bolsonaro de que são empresas ineficientes, que não dão lucros aos cofres públicos e por isso precisam ser vendidas. Juntas, as três empresas, registraram lucros que somam R$ 21 bilhões somente no ano passado, como mostra reportagem de Tiago Pereira, da RBA.

De acordo com balanço financeiro divulgado em março, a Eletrobras registrou lucro de R$ 6,387 bilhões no ano passado. A direção da estatal afirma no relatório que esse resultado demonstra “a robustez e a liquidez da companhia mesmo em um ano marcado pela pandemia de Covid-19”. No ano anterior, os resultados foram ainda maiores, totalizando R$ 11,133 bilhões, segundo a reportagem.

O governo editou medida provisória para privatizar a Eletrobras, vendendo na Bolsa o controle da estatal. A privatização geraria um aumento nas tarifas de energia estimado entre 14% e 20%, de acordo com estudo do Dieese.

Os Correios tiveram lucro líquido de R$ 1,53 bilhão em 2020. Os números, que não foram divulgados oficialmente, constam de uma comunicação enviada pelo presidente da estatal, Floriano Peixoto Vieira Neto, ao Ministério da Economia. As receitas com encomendas, por exemplo, tiveram crescimento de 9% em relação ao ano anterior, por conta do aumento do comércio eletrônico em decorrência da pandemia. Desde 2017, a empresa fecha no azul.

A Caixa registrou lucro líquido de R$ 13,17 bilhões em 2020. Só no ano passado, o banco público pagou auxílio emergencial no total de R$ 293,1 bilhões para 67,9 milhões de pessoas. Também foi responsável pela liberação de R$ 36,5 bilhões do Saque Emergencial do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), valor pago a 51,1 milhões de pessoas. Além disso, a Caixa detém a liderança do mercado habitacional com 68,8% de participação no financiamento da casa própria.

Leia também:

Energia subiu 1.000% depois da privatização, ante inflação de 458%

Artigos Relacionados

Copom: ‘Retomada robusta da atividade’ no segundo semestre

Uma semana após a última reunião do Comitê de Política Econômica (Copom) que aumentou a taxa básica de juros, a Selic, em 0,75 ponto...

Urna eletrônica: TSE é acusado de ignorar a ciência

Ausência de um representante do Tribunal ao debate irritou deputados.

Comércio digital cresce e qualidade do emprego cai

Postos de trabalho precários são os mais criados.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

TR-BA de GNL só teve uma oferta

Somente uma empresa compareceu na Sessão Pública presencial para abertura das propostas comerciais dos licitantes interessados no arrendamento do Terminal de Regaseificação de GNL...

Conselheiro de Bolsonaro elogia Suécia sem lockdown

No seu depoimento à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pandemia, nesta terça-feira, o deputado federal Osmar Terra (MDB-RS), ao justificar ser contrário a...

Queda do bitcoin era um movimento esperado

A criptomoeda bitcoin teve uma queda abrupta e se aproximou de US$ 34 mil nesta terça-feira, pela primeira vez em cinco meses. O recuo...

MG lança consulta pública para concessão de rodovias

Minas Gerais, por meio da Secretaria de Estado de Infraestrutura e Mobilidade (Seinfra), abriu consulta pública para o processo de concessão dos dois primeiros...

Copom: ‘Retomada robusta da atividade’ no segundo semestre

Uma semana após a última reunião do Comitê de Política Econômica (Copom) que aumentou a taxa básica de juros, a Selic, em 0,75 ponto...