Amigo

O nome de Ahmed Chalabi, o preferido dos EUA para assumir o governo títere do Iraque, agrada Israel. No início de outubro de 2002, quando o governo de George W. Bush intensificava suas provocações contra Saddam Hussein, Chalabi fazia uma conferência para o Instituto Judaico para Assuntos de Segurança Nacional (Jinsa, na sigla em inglês). Segundo a publicação quinzenal Solidariedade Ibero-americana, Ahmed Chalabi não pisava no Iraque há 45 anos – saiu de lá com 13 – e foi condenado à revelia na Jordânia a 25 anos de prisão, por estelionato e fraudes financeiras.

Fusão
Após a fusão entre a Divisão Veterinária da Indústria Química e Farmacêutica Schering-Plough S/A com a Coopers Brasil Ltda, completa um ano este mês, a empresa terminou 2002 na vice-liderança do mercado veterinário e ocupou o primeiro lugar no ranking nos meses de junho, julho e dezembro. A Schering-Plough Coopers fechou o ano com uma participação de 8,7% do mercado brasileiro e um faturamento líquido acima de R$ 148 milhões. Registrou um crescimento de 19,5% em 2002, contra 14,1% da média do mercado da indústria de produtos para saúde animal, segundo dados fornecidos pela empresa.

Vida real
O “risco Brasil” para valer não é o calculado por banco norte-americano investigado pela Securit Exchange Commission (SEC) por suspeita de envolvimento em fraude, mas o de ver imagens com o ônibus da PM atacado por traficantes rodando o mundo.

Qualidade
Enquanto se investiga se o laboratório SmithKline teve alguma participação no escândalo envolvendo fiscais de ICMS no Rio de Janeiro, poderia se aproveitar e fazer uma ampla fiscalização na multinacional. A área de saúde, por exemplo, poderia conferir o controle de qualidade na produção de remédios. Um consumidor fluminense teve que devolver à farmácia quadro vidros – de cinco comprados – do medicamento Zentel. Mesmo lacrados, os vidros entornavam o remédio. O lote de fabricação é o DK0062.

Anti-social
Fazer trabalho social fica mais difícil com a Instrução Normativa 87 da Previdência Social, que obriga todas as empresas prestadoras de serviços e instituições do terceiro setor a recolher a contribuição dos profissionais autônomos, a partir de 1º de abril. “Não satisfeito em cobrar muito imposto, o governo federal quer agora que as instituições do terceiro setor façam o papel de fiscal de tributos, ironiza o advogado tributarista Arcênio Rodrigues da Silva. “Isso requer um investimento em informática, contratação de pessoal especializado ou escritórios de contabilidade, o que irá onerar as instituições beneficentes”, avalia. Empresas devem recolher 11% e o segmento do terceiro setor, 20%, da remuneração paga para os autônomos e profissionais liberais.

Dois pesos
A decisão do governo Lula de insistir na taxação de aposentados ressuscita curiosidade cuja gênese vem da era FH: quer dizer que cumprimento de contrato só vale para a turma do milhão? Quando o negócio é com trabalhador e/o aposentado não vale direito adquirido?

Hércules
O ex-governador Anthony Garotinho vai ter trabalhos inesperados como secretário de Segurança do Rio de Janeiro. No feriado fluminense, vários veículos tiveram seus vidros quebrados e aparelhos de CD furtados nas imediações do Banerjão, onde funcionam muitas secretarias estaduais. O agravante é que os funcionários não ficaram surpresos com os furtos.

Força
A decisão de Garotinho de aceitar a Secretaria de Segurança é um jogo de risco altíssimo, mas mostra que a governadora Rosinha não vai aceitar o cerco que tenta se impor ao seu governo.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorDemocracia sangrenta
Próximo artigoMalandragem

Artigos Relacionados

Não, a Petrobras não quebrou

Na época em que os preços dos combustíveis não eram descontrolados, caixa da estatal era superior ao atual.

Hood Robin e o ICMS nos combustíveis

Reduzir impostos tira da sociedade para dar a poderosos.

Governo sabota emprego doméstico

Desconto no Imposto de Renda, que acabou, incentivava a assinatura da carteira.

Últimas Notícias

Sindicatos defendem política pública para tratar dos combustíveis

Melhor alternativa é considerar todas as etapas e beneficiar o consumidor

Redução dos impactos socioeconômicos das mudanças climáticas

Engajamento necessário de todos os atores sociais, especialmente das empresas.

O cenário da construção civil para 2022

Por Victor Gomes.

Sai edital da primeira desestatização de portos no país

Em Vitória a capacidade de movimentação portuária é de 7 milhões de toneladas

‘Olhos de Água’, romance delicado e apaixonante

Por Paulo Alonso.