Analistas norte-americanos estão menos pessimistas

Especialistas agora esperam queda mais suave em Wall Street.

Acredite se Puder / 19:22 - 1 de jun de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Recentemente, Donald Trump deu uma bronca nos gestores de fundo de hedge que estavam espalhando pessimismo. Parece o presidente atingiu o objetivo, deixando-os dormentes e, agora, os analistas estão revelando menos pessimismo para o futuro de curto prazo das ações. Pelo menos os especialistas do Goldman Sachs indicam ter abandonado as perspectivas de uma baixa de 25% num prazo curto em Wall Street, passando a admitir que a próxima queda, se acontecer, será bem mais suave do que a verificada em março.

Agora, o banco norte-americano estabeleceu que no pior dos cenário, o S&P 500 poderá reajustar para os 2.750 pontos, abaixo dos 3.044 pontos atingidos no final de sessão da passada sexta-feira, e não mais os 2.400 que estavam sendo combinados. Pelo novo nível mínimo pode haver uma queda de 10,69%, quando a anterior era prevista para 26,83% do patamar anterior ao terror.

Em março, quando a atual pandemia atacou os mercados de ações em todo o mundo, esse indicador caiu abaixo dos 2.300 pontos e perdeu 32,34%. No relatório distribuído aos investidores, o banco de investimentos afirma que a forte recuperação significa que o patamar mínimo de 2.400 pontos é improvável de ser alcançado e o índice ainda tem margem para crescer, podendo vir a negociar no patamar dos 3.200 pontos dentro de algum tempo, o que lhe significa uma subida potencial de 4,87% e mantém a previsão para o final do ano nos 3.000 pontos. O S&P500 já subiu 35%, desde os mínimos registrado no dia 23 de março.

 

Ibovespa vai aos 92.300 pontos

O Ibovespa pode chegar aos 92.300 pontos, nível que está aproximadamente 5% acima do ponto atual. Para a equipe do Itaú BBA, mais uma semana de alta e os mercados em sua maioria superaram resistências importantes marcando nova máxima. Segundo eles, este processo de recuperação está em curso desde o fundo registrado em março. Os mercados desenvolvidos, por exemplo, estão deixando para trás suas médias móveis de 200 períodos. “Este movimento abre caminho para mais uma onda de alta podendo levar às suas máximas do ano, como é o caso do Nasdaq. No caso dos mercados emergentes, a superação das resistências abrirá caminho para seguirem em direção às suas médias móveis de 200 períodos”, destacam.

 

Continua a euforia com o e-commerce

Os analistas brasileiros, porém, se mostram confusos, principalmente quando se referem ao comércio eletrônico. Por exemplo, os do Bradesco BBI reduziram as recomendações de Magazine Luiza e B2W para neutro, devido ao desempenho recente desses papéis, que deixou os múltiplos da relação entre o valor da empresa e a receita total de vendas acima dos picos históricos. Ao mesmo tempo que dizem existie riscos de queda, pois o crescimento das vendas totais deve diminuir com a reabertura das lojas no segundo semestre, aumentaram o preço-alvo dos papéis de R$ 56 para R$ 65, os primeiros e de R$ 78 para R$ 100, os do segundo. Os da XP Investimento revisaram as recomendações elevando para “compra” as das Lojas Americanas e rebaixando para neutro as do Grupo Pão de Açúcar e mantiveram nesse nível as da B2W.

 

Gás natural impulsiona Ebtida da Cosan

Para o Morgan Stanley, os dados trimestrais da Cosan foram mais fracos que o esperado, mas são explicados pelo atual cenário, sendo que o negócio de gás natural surpreendeu e mais uma vez impulsionou o Ebitda. E conclue que o trimestre mostrou a qualidade das operações da companhia e os benefícios de um modelo de negócios diversificado. A Cosan registrou no primeiro trimestre do ano um lucro líquido de R$ 102,2 milhões, queda de 74,2% na comparação com igual período do ano passado. O Ebitda no período foi de R$ 1,98 bilhão, alta de 36,7%.

 

CSN sinalizou longa demanda deprimida

A CSN paralisou o alto-forno 2 de Volta Redonda, quase dois meses depois que decisões semelhantes foram tomadas pela Gerdau, Usiminas e ArcelorMittal. Para os analistas do Itaú BBA, esse foi um sinal negativo para o setor, pois projeta demanda deprimida por período prolongado.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor