30.5 C
Rio de Janeiro
domingo, janeiro 17, 2021

AntiBNH

Israel já destruiu 2.500 casas e deixou 16 mil palestinos sem teto, segundo levantamento divulgado, ontem, pela ONG  Human Rights Watch (HRW). Segundo a HRW, a destruição, que deve ser o maior programa de (desa)habitação mundial, foi levado a cabo nos últimos quatro anos de Intifada, iniciada em setembro de 2000.

Trazer à luz
O novo aumento da taxa básica de juros (Selic) perpetrado, quarta-feira, pelo Comitê de Política Monetária (Copom), desta vez de 0,5 ponto percentual, recoloca na agenda nacional a necessidade de abrir a caixa preta desta nomenclatura. Desprovido de voto e umbilicalmente ligado ao mercado financeiro, o Copom não pode continuar a pairar no ar como um organismo enquistado no aparelho de Estado brasileiro e cujos integrantes não devem explicações a nenhum setor nem sofrem sanção política ou legal por atos que decidem os destinos de milhões de brasileiros em questões-chave, como emprego, salário, violência e destino dos recursos para a infra-estrutura e para o social.
Se o presidente Lula decidiu manter a terceirização das atividades do Banco Central é preciso que seus eleitores sejam explicitamente informados sobre essa transferência de poderes não autorizada pelas urnas. Além disso, ela precisa ter consequência fundamental para permitir a extensão do espírito republicano a esse aparelho da tecnocracia: é hora de os capas-pretas do Copom irem ao voto popular. Poderão desfrutar, então, da oportunidade ímpar de defender junto aos seus súditos as excelências da política monetária que praticam, obviamente que com a devida tradução dos seus efeitos na vida nacional.

Diretas
Uma exposição com material jornalístico sobre os 20 anos das Diretas Já organizada pelo Museu da Imprensa, mantido pela Imprensa Nacional, está aberta à visitação no Palácio do Planalto até o próximo dia 29. O objetivo da mostra é homenagear o maior movimento de massas realizado no Brasil, garante a Casa Civil da Presidência, à qual está vinculada a Imprensa Nacional.

Com Chávez
Representantes de movimentos sociais homenageiam no próximo dia 4, no Rio de Janeiro, o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, que vem ao Brasil para participar da cúpula dos presidentes da América do Sul, que será realizado de 4 a 5 de novembro. O ato será, às 17h30, no Hotel Sofitel, em Copacabana.

Pré-Natal
No dia 10 de dezembro, duas semanas antes do Natal, a Prefeitura do Rio de Janeiro pagará a segunda e última parcela do 13º salário. Têm direito ao benefício servidores ativos e aposentados das administrações direta e indireta do município e pensionistas do Previ-Rio. O pagamento foi definido por decreto pelo prefeito Cesar Maia (PFL) e vai beneficiar, na administração direta, 88.724 servidores ativos e 50.511 aposentados. Sobre esta parcela irão incidir os descontos de Imposto de Renda e a contribuição previdenciária dos ativos. Já os inativos, pelo menos no município do Rio, estão a salvo da taxação aprovação pelo PT em Brasília.

Maquiagem
Se em lugar de definir o papel da educação e da universidade num país periférico como o Brasil como produtor de massa crítica e profissionais de bom nível, o governo petista insistir em transferir para o terceiro grau slogan tucano para o ensino básico de “Todo mundo na escola não importa para quê”, o Brasil, depois de gerar o analfabeto funcional, caminha para fabricar o analfabeto universitário.

Milagre do Ibope
Na última terça-feira, em livraria do maior shopping de Belo Horizonte, 200 botafoguenses, a maioria vestindo a camisa do clube, se reuniram para o lançamento do livro Botafogo – Entre o Céu e o Inferno, de Sérgio Augusto (Editora Record). Durante a festa, o hino do clube foi cantado várias vezes e até uma torcida organizada foi fundada. Será que o mesmo ocorreria com o Cruzeiro de BH, apontado em pesquisa do Ibope como tendo quase o dobro do número de torcedores do Botafogo (5,3 milhões contra 2,7 milhões de alvinegros), se o clube mineiro lançasse uma publicação no Rio ou em qualquer outra capital brasileira que não fosse Belo Horizonte?

Artigo anteriorRouba mas faz
Próximo artigoPrática&teoria
Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Grande produtor rural não paga impostos

Agronegócio alia força política a interesses do mercado financeiro.

Não foi a disrupção que derrotou a Ford

Mercado de automóveis está mudando, mas montadora sucumbiu aos próprios erros e à estagnação que já dura 6 anos.

Quantas mortes pode-se debitar na conta de Bolsonaro?

Se índice de óbitos por Covid-19 no Brasil seguisse a média mundial, teriam sido poupadas 154 mil vidas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Varejo sente redução no auxílio e alta da inflação

Comércio ficou estável em novembro e quebrou sequência de recuperação.

Senado quer que Pazuello se explique

Pedido de convocação para cobrar ação do Ministério da Saúde no Amazonas.

Lenta recuperação na produção industrial dos EUA

Setor ainda está 3,6% abaixo do nível anterior à pandemia.

Realização de lucros em âmbito global

Bolsas europeias e os índices futuros de NY operam em baixa nesta manhã de sexta-feira.

Desaceleração deve vir no começo do primeiro trimestre

Novo pacote de estímulo fiscal, bem como o avanço da imunização, deve garantir reaceleração em direção ao final do período.