Anódino

Um dos raros candidatos a receber o apoio explícito do presidente FH, o senador Artur da Távola (PSDB-RJ) ficará de fora do Congresso. Távola não conseguiu renovar o mandato, amargando o quinto lugar na disputa por duas vagas para o Senado pelo Rio obtendo 11,52% dos votos.

Ostracismo
Há oito anos no governo, o presidente FH foi a grande ausência nessas eleições. Rejeitado pelo candidato de seu próprio partido, que engavetou sine die suas gravações para o horário eleitoral, FH não conseguiu emplacar um único feito de seu governo durante as eleições. Com a confirmação do segundo turno, ele agora nega que essas eleições representem um plebiscito sobre seu governo. Tem razões de sobra. Somados os votos de Lula, Garotinho, Ciro, Zé Maria e Rui Pimenta, cerca de 70% dos eleitores votaram na oposição.

Risco virtual
Rodrigo Azevedo, advogado especializado em Direito em meios digitais, alerta para perigos de acordos celebrados pela Internet. Segundo Azevedo, coordenador das áreas de Propriedade Intelectual e Direito de Informática da Silveiro Advogados, as empresas de comércio eletrônico ainda têm muita dificuldade em constituir prova dos contratos firmados no mundo virtual, podendo haver problemas jurídicos em caso de litígio. “Os contratos eletrônicos, a princípio, são válidos como quaisquer outros contratos. Contudo, diferentemente daqueles realizados no papel, nos quais há clara manifestação da vontade das partes através de suas assinaturas, na forma eletrônica a comprovação em juízo – se necessária – torna-se mais complexa”, afirma.
As soluções, segundo Azevedo, seriam a utilização dos modernos recursos de assinatura digital, juntamente com legislação que reconheça sua validade. Atualmente, existem dois projetos tramitando no Congresso Nacional com esse fim.
O alerta serve para aqueles que defendem o uso da Internet para fazer comunicações oficiais de empresas de sociedade anônima ou de resultados de fundos de investimento. Propostas desse tipo só servem para diminuir a transparência e os direitos de minoritários e investidores – vide a última “garfada” nos fundos de investimento de renda (teoricamente) fixa.

Perigo lucrativo
O mercado de destinação de resíduos industriais perigosos em aterros pode movimentar negócios da ordem de R$ 700 milhões por ano no Brasil. Hoje, o setor gera um faturamento de aproximadamente R$ 173 milhões, quase um quarto do seu potencial, de acordo com a Associação Brasileira de Empresas de Tratamento de Resíduos (Abetre).
Atualmente no Brasil, cerca de 850 mil toneladas de resíduos industriais perigosos e não perigosos são tratadas devidamente em 16 aterros licenciados no país. Aproximadamente dois milhões de rejeitos têm destino desconhecido, boa parte indo parar em lixões. “Temos tecnologia de ponta na área para tratarmos qualquer tipo de resíduo”, destaca Carlos Fernandes, presidente da entidade.

“Portunhol” em baixa
O Brasil é o segundo maior mercado consumidor de material didático em espanhol. O dado faz parte de um estudo realizado pela Espasa Calpe, editora espanhola com mais de cem anos de mercado, que avaliou o desempenho das vendas de material didático em espanhol pelo mundo. “Hoje, os brasileiros consomem 2% desse material. Em 2005, o número aumentará para 10%”, afirma Francisco Muñoz, diretor da Espasa Calpe.
Outro dado revelado por Muñoz aponta que 15% do ensino de espanhol no mundo em 2005 se dará pela Internet – especialidade da editora, que tem o EsHablar.com, curso de espanhol na rede que está representado no Brasil pelo CLL – Centro Latino de Línguas (www.cll.com.br) e pelo Portal Weblínguas (www.weblinguas.com.br).

Cima para baixo
Transformar planos em realidade é problema para as empresas brasileiras, que não conseguem envolver gerentes e empregados na implementação de suas estratégias de negócios. Pesquisa da pela consultoria Symnetics – Business Transformation junto a 45 empresas com faturamento acima de R$ 50 milhões mostra que apenas 63% dos gerentes participam da definição de novos negócios e novos mercados a serem explorados pelas empresas. Quando o assunto é definição de investimentos, apenas 47% dos gerentes são envolvidos nas discussões corporativas.
O resultado é que 40% dos gerentes entrevistados não souberam informar a estratégia da companhia à qual estão subordinados e 20% não souberam definir sequer a missão de suas empresas. Porém 69% dos gerentes das empresas participam da implementação de novos produtos.

Artes
A artista plástica Lilian Barretto apresenta seus trabalhos na mostra coletiva de reabertura das salas de exposição do Centro de Artes de Nova Friburgo. O evento estará ocorrendo até 2 de novembro e conta com apoio do executivo municipal e da Secretaria de Cultura de Nova Friburgo. A visitação pode ser feita de terça-feira a domingo, das 13h às 21h. O Centro de Artes fica na Praça Presidente Getúlio Vargas 71, Centro. Participam ainda da mostra os artistas plásticos Adair A. Costa, Alexandre Quintella, Ana Marins, Anair Miliosi, Angela Pietrobom, Bahary Branca Baêta, entre outros.

Artigo anteriorAmigo dos amigos
Próximo artigoA cavalo
Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Chile, Paraguai, Colômbia… e o Brasil?

Crises políticas e sociais nos países vizinhos acendem alerta.

Na pandemia, BNDES vendeu ações que agora valem o dobro

Em nove meses, banco perdeu R$ 8 bi só em 1 operação.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Conteúdo online voltado para o ensino e para ganhar dinheiro

Cada vez é mais possível aproveitar o conteúdo online para avanços desde a fluência do inglês das crianças a até aprender a operar como trader na bolsa.

Queda de faturamento atinge 82% dos MEI

Em Minas, 60% dos microempreendedores individuais formalizados na pandemia abriram o negócio por oportunidade.

Inflação oficial fica em 0,31% em abril

Grupo com alta relevante no mês foi alimentação e bebidas (0,40%), devido ao comportamento de alguns itens.

Manhã de hoje é negativa em quase todo o mundo

Em Nova Iorque, Dow Jones e S&P futuros cediam 0,10% e 1,04%, respectivamente.

Projeção da Selic é de 5% no final deste ano

Para o ano que vem, analista projeta 6,5%, dado o alerta do Copom sobre o ritmo de normalização após reunião de junho.