Apoio à reforma vai só até a página 3

Análises rasas, de uma imprensa que tem interesses financeiros envolvidos, devem ser encaradas com dois pés atrás, ainda mais no caso da reforma da Previdência. O problema do Governo Bolsonaro no Congresso não se resume à dificuldade de articulação e à criação de um clima beligerante para chamar atenção.

O que dificulta a tramitação da emenda é a resistência dos parlamentares às propostas, que prejudicam eles próprios e seus eleitores. Tirando milionários como Paulo Guedes, que ganharão com as mudanças, todos os brasileiros perdem.

Declarações de apoio, como a do PSL, que fechou questão a favor da reforma, são apenas espuma. O diabo, todos sabem, mora nos detalhes. Integrantes da bancada do partido do presidente já declararam desejar mudanças em pontos que atendam a seus interesses e a suas bases. Inclusão das guardas municipais nas mesmas regras dos policias militares e defesa da aposentadoria rural são algumas delas.

À medida que as propostas são conhecidas pela população, maior a oposição à reforma, que mexe com quem está entrando no mercado de trabalho, com quem já contribui há alguns anos, com quem já está prestes a se aposentar e com quem já recebe pensões.

Não à toa, os 13 partidos que divulgaram nota de apoio à reforma, desde que retirado o bode da sala – o fim do BPC – e mantida a aposentadoria rural, assinalaram que não aceitam tirar a Previdência da Constituição. A proposta mal começou a andar no Congresso e já sofre de desidratação.

 

Sem-conta

Aproximadamente 1,7 bilhão de pessoas adultas não têm contas bancárias. Apesar de ser um número 15% inferior ao de 2014, ainda é impressionante. A maioria dos “desbancarizados” estão na China (225 milhões), Índia (190 milhões), Paquistão (100 milhões) e Indonésia (95 milhões). O que não é surpresa, pois os dois primeiros são os países com maior população, e os outros dois também são muito populosos.

Mas também estão na cabeça da lista Nigéria, México e Bangladesh. Nestes sete países está quase metade dos sem-banco – ou melhor, sem-conta. Até nos Estados Unidos há 8,4 milhões de “desbancarizados”.

 

Em defesa do FGTS

O Instituto Fundo de Garantia do Trabalhador (IFGT) lança no próximo dia 2 a campanha de abaixo-assinado “Não ao fim do Fundo de Garantia do trabalhador aposentado na reforma da Previdência”. Mario Avelino, presidente do IFGT, explica que o objetivo é sensibilizar os deputados federais e senadores para não aprovarem a proposta que fere os direitos constitucionais dos trabalhadores. Atualmente, são 5,2 milhões que se aposentaram e continuam trabalhando.

A adesão estará disponível em fundodegarantia.org.br

 

Embraer no mar

A Embraer deixa os céus brasileiros, mas assume posição na água. O Consórcio Águas Azuis, formado pela thyssenkrupp Marine Systems, Embraer Defesa & Segurança e Atech (subsidiária do Grupo Embraer), foi selecionado pela Marinha do Brasil para a construção de quatro navios de defesa no Programa CCT – Corvetas Classe Tamandaré – como concorrente preferencial. As empresas formarão uma sociedade de propósito específico (SPE) para a fase de execução do programa.

 

Início do fim

A comunicação de Jair Bolsonaro é muito deficitária, não tem um objetivo claro e não consegue articular com as diversas camadas da sociedade”, ressalta Gabriel Rossi professor de marketing da ESPM. “Se a reforma da Previdência não passar, pode-se considerar o fim do governo”, sentencia.

 

Para privilegiados

A promessa de incluir os brasileiros no programa de visitante frequente, feita pelo presidente norte-americano Donald Trump, já havia sido anunciada por Barack Obama, em 2015. Mas Dilma Rousseff recusou, pois os gastos com o desenvolvimento de uma plataforma para troca de dados com os EUA atingiriam R$ 500 mil, para beneficiar apenas 1,5 mil brasileiros de alta renda.

 

Pegadinha

Serginho Mallandro caiu na Pegadinha do Mallandro. É que ele era mais um dos correntistas da JJ Invest, cujo controlador, Jonas Jaimovick, sumiu do mapa. Salsifufu!

 

Rápidas

Henrique Luz é o novo presidente do conselho de administração do Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (IBGC) *** No próximo dia 7, o mundo comemora o Dia da Saúde. O Shopping Nova Iguaçu organiza a Semana da Saúde, de 1 a 7 de abril *** Nesta sexta-feira ocorre o ITC Rio, no Museu do Amanhã. O evento da consultoria Deloitte debaterá temas que vão de inovação a parceiras público-privadas.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Imposto maior sobre corporações poupa ricaços

Piketty calcula que tributação sobre grandes fortunas poderia render 10 vezes mais.

Governo quer reduzir indústria naval a desmonte de ferro-velho

Deputados cobram a utilização e a inovação do parque industrial instalado no Rio.

Juntar 2 meses e meio de auxílio para comprar cesta básica

Não só a pandemia, mas inflação é ameaça às pretensões de Bolsonaro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Para oito em 10, pandemia afetou planos de carreira

Levantamento feito com mais de 5 mil pessoas mostra que 73% sentem que suas carreiras estão estagnadas ou avançando lentamente.

Emirados Árabes e Líbano compraram arroz do Brasil em março

Segundo associação do setor, os dois países estiveram entre os destinos internacionais do arroz brasileiro no mês passado.

Indústria tenta se recuperar no primeiro trimestre

Setor de bebidas se destacou no trimestre, com 53,8% de crescimento no período e 16,7% no acumulado de 12 meses.

China produzirá 3 bilhões de vacinas até fim do ano

Sinovac, que produz a Coronavac, promete entregar 2 milhões de doses.

Rio aumenta incentivo para cultura e esporte

Restituição do ICMS aumenta para 2% e 0,5% .
Monitor Mercantil