Apoio dos governos cresce US$ 1 tri e soma agora US$ 9 tri

Ações para salvar economia representam em média 4,5% do PIB, mais que em 2008.

Internacional / 21:26 - 20 de mai de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Os pacotes anunciados pelos governos de diferentes países atingiram US$ 9 trilhões no total, o que significa US$ 1 trilhão a mais do que as estimativas de um mês atrás. O apoio direto ao orçamento é estimado em US$ 4,4 trilhões em todo o mundo, e empréstimos adicionais do setor público e injeções de capital, garantias e outras operações somam US$ 4,6 trilhões.

A revisão para cima foi em grande parte devido a uma segunda onda de medidas por parte dos governos, uma vez que as consequências econômicas da pandemia se mostram mais severas, analisa texto do Fundo Monetário Internacional (FMI)

Os Estados Unidos aprovaram um pacote fiscal adicional de US$ 483 bilhões em 23 de abril. O Japão revisou seu programa de transferências para universal e fornecerá US$ 83 bilhões adicionais em apoio às famílias. França e a Coreia do Sul introduziram outras medidas, como transferências para apoiar as famílias.

Como em abril, o G20, vinte economias mais avançadas e emergentes do mercado, responde pela maior parte do apoio fiscal global, no total de US$ 8 trilhões. As medidas adotadas pelos países do G20 representam 4,5% do PIB, em média, proporção maior que na crise financeira global (2008).

As estimativas excluem o adiamento de impostos e contribuições para a previdência social, porque envolvem um perda temporária da receita, que será cobrada no futuro (às vezes dentro do mesmo ano fiscal).

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor