Após Carnaval, oito em 10 brasileiros seguem endividados

Estudo aponta que 60% possuem débitos com cartão de crédito em aberto e 43% buscam negociações com banco

57
Carteira com cartões de crédito (Foto; Wilson Dias/ABr)
Carteira com cartões de crédito (Foto; Wilson Dias/ABr)

No primeiro bimestre deste ano, 12 milhões de brasileiros já fizeram no primeiro bimestre. Ao todo 17 milhões de dívidas foram “desnegativadas”, quitadas ou equacionadas e o total renegociado chega a R$ 35,6 bilhões, segundo dados obtidos através do programa Desenrola Brasil. Mas para 44% dos brasileiros o ano começa depois do Carnaval e os altos índices de endividados continuam em fevereiro. Segundo dados do Raio-X dos Brasileiros em Situação de Inadimplência, oito em cada 10 brasileiros encerraram o ano de 2023 com dívidas e destes um terço continuam com contas atrasadas. Débitos com bancos (64%) e cartão de crédito (60%) são as fontes dos débitos em aberto, segundo base de dados do Instituto Locomotiva e da Serasa.

Em janeiro, 76% dos brasileiros procuraram alguma forma de crédito, sendo o serviço de cartão o mais buscado. Em relação à finalidade do crédito solicitado em empréstimos pessoais, 41% afirmou ser para investimentos, 21% para pagar contas básicas e 26% para pagar dívidas de contas básicas.

Em sequência, aparece o setor de água e luz (11,33%), comércio (11,20%) e outros com 7,16%. Sudeste, Nordeste e Norte lideram o ranking das regiões com mais débitos é o que mostra os dados apresentados pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC).

A previsão é que para o mês de março aumente o número de brasileiros buscando negociações e acordos para sair da lista de inadimplência. Segundo a Serasa, todos os meses mais de 26 milhões de pessoas acessam o site e o aplicativo. A instituição afirma que com a nova parceria com o programa Desenrola do Governo Federal, o número deve aumentar e mais facilidades devem ser ofertadas.

Espaço Publicitáriocnseg

Em outubro de 2023, do total de dívidas que foram negativadas, 50,5% foram pagas ou renegociadas em até 60 dias após o mês de referência, segundo o Indicador de Recuperação de Crédito da Serasa Experian. Este foi o maior percentual dos últimos 12 meses. Na visão por valores das contas inadimplentes, aquelas acima de R$ 10 mil foram as que registraram maior porcentagem de pagamentos (67,7%).

A idade das dívidas mais contempladas em outubro de 2023 foram as que possuíam até 30 dias de vencimento (52,9%) e as com mais de 1 ano (50,5%). Em seguida, ficaram as dívidas com 60 dias (49,1%), depois as com 1 ano (46,7%) e as com 180 dias (37,7%).

Na visão por setores, bancos/cartões foi o que recebeu mais pagamentos (55,7%) e telefonia com o menor percentual (15,9%).

Ainda segundo o indicador da Serasa Experian, o Piauí registrou a maior taxa de recuperação de crédito em outubro de 2023 (73,6%), seguido pela Paraíba, Amapá, Roraima e Pernambuco como o top 5 do ranking.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui