Aposentadoria defasada contribui para o retorno ao mercado de trabalho

A revisão de benefícios previdenciários concedida por medida provisória em 2007, garante que os aposentados, pensionistas e demais beneficiários da Previdência tenham suas remunerações corrigidas e atualizadas. Quando são constatadas quaisquer irregularidades no recebimento do benefício, essas são passíveis de revisão de seu valor.
Entretanto, com as recusas de revisão primária por parte do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), a renda de quem está inativo, que já é reduzida em relação aos rendimentos de quando inserido no mercado de trabalho, se encontra em defasagem pelos índices de correção da época em que o benefício foi concedido.
Com isso, muitos aposentados estão optando pelo retorno às suas atividades. Primeiro, pelo interesse das empresas – principalmente nos cargos relativos à liderança, em pessoas com mais capacitação e experiência de vida, que normalmente são pessoas mais inspiradoras no ambiente laboral. Além disso, eles têm a oportunidade de complementar renda, que normalmente eleva seu padrão de vida.
De acordo com o advogado Willi Fernandes, especialista em direito previdenciário e consultor jurídico do Centro Paulista de Apoio aos Aposentados e Servidores Públicos (Cepaasp), muitas vezes o aposentado ou pensionista não consegue manter sua qualidade de vida apenas com o valor de sua aposentadoria, diante de despesas que a cada dia ficam mais pesadas ao bolso, a exemplo de tratamentos médicos e alimentação.
– Com tantas reduções em suas economias, uma das opções mais seguidas pelos aposentados é a de retornar ao mercado de trabalho para buscar equilibrar as suas finanças. Mas por vezes o trabalhador se esquece de que a revisão de seu benefício pode ser uma saída para melhorar sua renda mensal, para que se busque uma justa aplicação das leis que regem seu benefício.
A revisão de benefício, mesmo que recente, é um tema importante para o futuro dos aposentados. Para o advogado Willi Fernandes, do Cepaasp, com os comprovados erros do INSS, se fazem necessárias as análises mais aprofundadas dos fatores que incidiram no processo administrativo que concedeu o benefício.
– Para que esta revisão ocorra, é muito importante que o aposentado apresente suas Carteiras de Trabalho, laudos técnicos, além da cópia do processo para que seja feito um levantamento preciso da situação do benefício – aconselha.
Willi Fernandes, consultor jurídico do Cepaasp, fala dos pedidos de revisão mais comuns em sua jornada no Centro:
– Uma das mais solicitadas é a revisão do IRSM (Índice de Reajuste do Salário Mínimo). Até fevereiro de 1994, os valores das remunerações eram baseados neste Índice. Acontece que, nos benefícios concedidos entre fevereiro de 1994 a março de 1997, não foram aplicados os cálculos do IRSM, que era mais vantajoso. Esses benefícios então se basearam na URV – comenta o especialista em direito previdenciário.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

XP amplia crescimento do PIB para este ano

Elevou a projeção de 0,8% para 1,6%

Carga tributária brasileira já corresponde a 35% do PIB

Mais de R$ 1 tri de impostos arrecadados só neste ano

Setor de telecom investiu R$ 35,6 bi em 2021

Com as licenças do 5G, valor chega a R$ 38,5 bi

Últimas Notícias

Leega lança solução de inteligência de dados marketing das empresas

Marketing Analytics combina arquitetura Cloud, engenharia de dados e machine learning.

Qyon Tecnologia planeja crescer 65% em 2022

Marca deve fechar ano com cerca de 100 franquias.

XP amplia crescimento do PIB para este ano

Elevou a projeção de 0,8% para 1,6%

Perfil de risco visto pelas corretoras

Uso do Questionário de Perfil de Investidor, chamado de suitability, que tem como função identificar seu apetite de risco

Diretor do Grupo Nubank cumpre novo mandato na Anbima

Permanecerá na vaga de conselheiro titular reservada à Anbima no Conselho de Recursos do Sistema Financeiro Nacional