Aprovado

Atenção catastrofistas e lobistas dos grandes laboratórios farmacêuticos: a gripe A não é mais fatal no Brasil do que em outros países. Além disso, a política do Brasil para a indicação do medicamento Tamiflu é acertada e segue o que determina a OMS. Os esclarecimentos foram feitos pelo diretor regional do Departamento de Doenças Infecciosas da Organização Mundial da Saúde na Europa, David Mercer. Para ele, Brasil e Estados Unidos registram os maiores números de mortes em decorrência da influenza H1N1 porque os governos são transparentes na divulgação dos dados.

Vão investir sim
Os nativos, fora e dentro da mídia tupiniquim, preocupados com o desinteresse de multis petrolíferas se associarem à Petrobras para explorarem as reservas de pré-sal brasileiras deveriam revisitar a pensata mais famosa do milionário Paul Getty: “O melhor negócio do mundo é uma empresa petrolífera bem administrada. O segundo melhor é a mesma empresa mal administrada.”

Aloprados
Investidores que não rasgam dinheiro deveriam pôr as barbas de molho antes de seguir as orientações de conselheiros aloprados que desaconselham a compra e ou a manutenção de ações da Petrobras em seu portfólio. Por confundir propaganda com realidade, muita gente não aproveitou o custo de oportunidade ao vender papéis do Banco do Brasil, quando da mudança da presidência do banco, anunciada em 7 de abril. De lá até o último dia 18, a cotação dos papéis, depois de recuar cerca de 10% em dois dias, fruto de movimentos especulativos, já tinha valorizado 41,5%.

Só na real
As concessionárias de telefonia móvel Oi, Tim, Vivo e Claro só poderão vender o serviço de banda larga 3G no Rio de Janeiro quando houver a garantia da real viabilidade técnica para a prestação do serviço, da certeza de cobertura do sinal e da comprovação da adequação do computador do consumidor. Foi o que determinou a juíza da 4ª Vara Empresarial, Fernanda Galliza do Amaral, em resposta à ação impetrada pela Comissão de Defesa do Consumidor da Assembleia Legislativa do Rio.
A presidente da comissão, deputada Cidinha Campos (PDT), explicou que a venda sem garantia de cobertura punia os consumidores antes mesmo que pudessem ter o serviço disponível, o que, na maior parte das vezes, não ocorria.

Leia e navegue
A XVI Bienal do Livro terá, pela primeira vez, a participação de editoras de livros para concursos públicos. Um dos lançamentos será Direito Constitucional – 21ª edição, do professor da Escola de Magistratura do Rio de Janeiro (Emerj) Sylvio Motta, diretor da Companhia dos Módulos. Especialista no setor de concursos, Motta apresenta uma novidade no livro: um PIN (tipo de código de acesso a determinada página da Internet) para que o leitor encontre um conteúdo exclusivo na Web, com informações complementares, além de video-aulas sobre variados temas. A Bienal acontece entre os dias 10 e 20 de setembro, no Riocentro.

Segura o Leão
Para que o contribuinte possa discutir seus créditos tributários, a Procuradoria Geral da Fazenda Nacional exige a garantia do débito. A fiança bancária ou o seguro garantia surgem como alternativa ao depósito judicial, informa Felipe Lückmann Fabro, advogado tributarista, que classifica a regulamentação da Portaria 1.153, que permite o seguro, como um avanço tributário. Lückmann alerta que, em algumas situações, o seguro pode ser menos vantajoso que a fiança bancária.

Eletrônica
“Análise de Ruído e Interferência” é o curso que o Crea-RJ realiza entre os dias 8 a 11 próximos, das 18h30 às 22h. Informações e inscrições pelo telefone (21) 2179-2087 ou pelo site www.crea-rj.org.br

Rambos verdes
Noves fora a Velhinha de Taubaté, haverá mais algum nativo capaz de achar ser mera coincidência que o surgimento de diatribes contra o petróleo, como o apologético relatório da WWF sobre o fim mundo, serem divulgados poucos dias após o Governo Lula anunciar que, pelo novo marco regulatório, o petróleo brasileiro permanecerá em mãos brasileiras?

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorTiro no pé-sal
Próximo artigoVerdadeira maldição

Artigos Relacionados

Não, a Petrobras não quebrou

Na época em que os preços dos combustíveis não eram descontrolados, caixa da estatal era superior ao atual.

Hood Robin e o ICMS nos combustíveis

Reduzir impostos tira da sociedade para dar a poderosos.

Governo sabota emprego doméstico

Desconto no Imposto de Renda, que acabou, incentivava a assinatura da carteira.

Últimas Notícias

Sindicatos defendem política pública para tratar dos combustíveis

Melhor alternativa é considerar todas as etapas e beneficiar o consumidor

Redução dos impactos socioeconômicos das mudanças climáticas

Engajamento necessário de todos os atores sociais, especialmente das empresas.

O cenário da construção civil para 2022

Por Victor Gomes.

Sai edital da primeira desestatização de portos no país

Em Vitória a capacidade de movimentação portuária é de 7 milhões de toneladas

‘Olhos de Água’, romance delicado e apaixonante

Por Paulo Alonso.