Aquecedores solares equivalem a uma Itaipu

636
Aquecedor solar de água (Foto: Cemig/divulgação)
Aquecedor solar de água (Foto: Cemig/divulgação)

A produção acumulada de eletricidade dos aquecedores solares de água instalados no Brasil é de 13,5 GW, o que equivale à quase totalidade da de Itaipu, de 14GW, calcula Oscar de Mattos, presidente da Abrasol (Associação Brasileira de Energia Solar Térmica). “O montante é exatamente igual ao déficit em relação ao que foi programado para o aumento da geração no País nos últimos 10 anos, apontado pela Empresa de Pesquisa Energética (EPE). Apesar da obviedade dos números, essa companhia ligada ao Governo Federal não reconhece oficialmente e desconsidera em seus planos anuais uma tecnologia nacional capaz de contribuir para evitar apagões, equilibrar a demanda e ajudar pessoas físicas e jurídicas a reduzirem o valor da conta de luz”, reclama Mattos.

Segundo a Abrasol, os aquecedores solares de água são cerca de 4 vezes mais eficientes do que os painéis fotovoltaicos e atendem a aplicações residenciais de baixa até alta renda, comerciais, industriais e serviços. Substituem em grande parte os chuveiros elétricos, que representam mais de 7% de toda a eletricidade gasta no País e cerca de 37% da residencial. A tecnologia é nacional e mais barata que os painéis fotovoltaicos (que transformam a luz do sol em energia elétrica), embora as tecnologias sejam complementares, não concorrentes.

O aquecimento de água é ideal para baixa renda, mas a troca não se faz sem percalços. A coluna lembra de um projeto bancado por uma distribuidora de energia elétrica, dentro de suas obrigações de estimular a redução do consumo. Foram instalados equipamentos em uma comunidade no Rio de Janeiro. Poucos meses depois, os sistemas já não funcionavam: o cobre das tubulações havia sido vendido em ferros-velhos, e os moradores voltaram ao “gato”.

 

Espaço Publicitáriocnseg

Supera RJ

O Alô Alerj, da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro, realizou 13.985 mil atendimentos em 2021, um aumento de 232% sobre 2020. O assunto mais demandado pela população foi o Supera RJ, programa de auxílio a pessoas e empresas durante a pandemia.

 

Conluio

O francês Le Monde publicou na segunda-feira ampla reportagem com o título “As milícias do Rio, um Estado dentro do Estado”. Segundo o jornal, “grupos armados controlam metade da região metropolitana do Rio. Seu conluio com o poder público enfraquece a democracia brasileira.”

 

Rápidas

Quais áreas devem ser priorizadas para que as cidades do Estado do Rio integrem a lista das smarts cities do mundo? Esse é o tema do estudo que a Rio Indústria e a Future Tank apresentarão durante a Rio Innovation Week, de 13 a 16 de janeiro, no Jockey Club *** A advogada e ex-juíza Ana Blasi lançará dia 14, na Rio Innovation Week, o livro Da Torre de Marfim ao Vale do Silício – o papel decisivo da tecnologia e da inovação para universalizar o acesso à justiça e criar os novos líderes do direito brasileiro (editora Appris) *** Nesta quinta-feira, a Colli Books lança o livro infantil Tatúlio em – Tá tudo bem agora, de Renato Oliveira e Marcelo Correia, em live no Instagram, às 19h, mediada pelos autores, nos perfis @omarcelocorreia ou @contatoria *** Música no Museu comemora 25 anos e abre a temporada 2022 nesta quarta-feira, às 12h30, no CCBB, com o Trio Movimento Musical.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui