Aquecimento limpo impulsiona esforço de desenvolvimento verde chinês

Um trabalhador da empresa termelétrica Xixia checa os equipamentos de aquecimento em Yinchuan, região autônoma de Ningxia Hui, noroeste da China, no 11 de outubro de 2021. A empresa iniciou o trabalho de manutenção de equipamentos para o próximo período de aquecimento. (Xinhua / Wang Peng)

 

Xinhua - Silk Road
Xinhua – Silk Road

Harbin, 1 Nov (Xinhua) – O inverno no norte da China costumava anunciar céus poluídos e qualidade do ar sufocante devido à extensa queima de carvão para aquecimento. Hoje em dia, com a adoção generalizada de energias renováveis, a situação mudou drasticamente.

O aquecimento centralizado no inverno foi acionado antes do previsto em muitas regiões do norte em resposta às constantes baixas temperaturas. Na segunda-feira, o município de Tianjin e a província de Hebei iniciaram o aquecimento do inverno. Beijing começou a depurar o sistema de aquecimento da cidade no final de outubro e iniciará oficialmente o serviço de aquecimento de acordo com as condições climáticas.

“O sistema de aquecimento em nosso bairro residencial usa o calor das águas residuais em vez de queimar carvão”, disse Li Shifu, morador de Harbin, capital da província de Heilongjiang, no nordeste da China.

O sistema de aquecimento dos resíduos foi desenvolvido pela KINT, uma empresa de energia limpa com sede em Harbin. Forneceu aquecimento dos reíduos para mais de 80 milhões de metros quadrados de edifícios em dezenas de cidades chinesas. Comparado com o aquecimento a carvão, o sistema reduz a emissão de poluentes como dióxido de carbono e dióxido de enxofre em mais de 4,7 milhões de toneladas por ano.

“Extraímos e utilizamos energia térmica dos resíduos. Não há mau cheiro nos radiadores”, disse Li Jinfeng, que trabalha na KINT.

A energia limpa e renovável faz parte dos esforços da China em busca de uma economia de baixo carbono.

A China fará mais esforços para promover o aquecimento limpo e garantir que a energia limpa seja usada para aquecimento em mais de 70% das residências no norte da China. O uso de aquecimento limpo no sul do país também será incentivado, afirma uma diretriz divulgada pela Administração Nacional de Energia em abril.

Dados da Associação Chinesa de Eficiência Energética de Edifícios mostraram que, no final de 2020, havia 8.200 empresas envolvidas em negócios relacionados ao aquecimento limpo na China, com um valor de produção total de 900 bilhões de yuans (cerca de 140 bilhões de dólares) e mais de 1,19 milhão de funcionários.

Em Huaibei, uma das mais importantes bases produtoras de carvão na província de Anhui, leste da China, bombas de calor de fonte subterrânea, que extraem calor do solo, estão sendo usadas para substituir a eletricidade movida a carvão.

Em um único distrito residencial, essas bombas devem ajudar a reduzir as emissões de dióxido de carbono em 32.000 toneladas, as emissões de dióxido de enxofre em 217 toneladas, as emissões de óxidos de nitrogênio em 205 toneladas e as emissões de fuligem em 127 toneladas a cada ano.

A Hongtong Heating é responsável por oferecer serviços de aquecimento para mais de 100 bairros residenciais em Harbin. Em 26 de outubro, iniciou as operações da segunda fase do projeto de geração de energia de biomassa da empresa, que deverá fazer uso de cerca de 600.000 toneladas de resíduos agrícolas e florestais todo ano.

“O preço do combustível de biomassa é de cerca de 300 yuans por tonelada, menos de um terço do preço atual do carvão”, disse Li Jianwei com a empresa. Fim

Xinhua Silk Road
Agência de notícias oficial do governo da República Popular da China.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

China toma medida para lidar com a inadimplência da Evergrande

Um passo crucial foi dado para abordar a recente inadimplência da incorporadora imobiliária China Evergrande Group, depois que o governo provincial de Guangdong realizou uma conversa regulatória com seu presidente e concordou em enviar um grupo de trabalho à empresa.

Indústria florestal floresce em Baise de Guangxi excedendo 15 bi yuans

A cidade de Baise, localizada na Região Autônoma Zhuang de Guangxi no sul da China, testemunhou a prosperidade da indústria florestal da cidade desde quando foi aprovada pelo Conselho do Estado para estabelecer uma zona piloto de desenvolvimento crítico e abertura em 2020, resultando em uma produção anual de mais de 15 bilhões de yuans no setor.

Cooperação China-Cingapura cria palcos para talentosos na China

Graças ao aprofundamento da cooperação entre China e Cingapura ao longo dos anos, a metrópole de Chongqing no sudoeste da China atraiu cada vez mais talentosos interdisciplinares a trabalharem juntos por um futuro melhor para os dois países.

Últimas Notícias

Lendas das small caps – market timing, recuperação e liquidez

O Monitor Mercantil publica a segunda parte do trabalho, iniciado no dia 18 de novembro, feito pela Trígono Capital sobre as sete lendas das...

Pesquisa mostra saúde financeira dos brasileiros

O brasileiro está “mais apertado” por conta da pandemia de Covid-19, com 6 em cada 10 pessoas reduzindo gastos neste período. E mais: 66%...

Recorde de retiradas líquidas da poupança: R$ 12,37 bi

O Banco Central (BC) informou, nesta segunda-feira, que as retiradas da caderneta de poupança superaram os depósitos em R$ 12,377 bilhões, em novembro. Essa...

Petrobras poderá se tornar uma empresa suja

A Petrobras anunciou no último dia 24 de novembro seu plano estratégico 2022-2026, com investimentos previstos de US$ 68 bilhões nos próximos 5 anos....

Empresas abertas na pandemia são 452% mais vulneráveis a fraudes

Com a chegada da pandemia e o aumento do desemprego, muitos brasileiros viram no empreendedorismo a oportunidade de conseguir uma renda mensal. A criação...