Argentina volta a prorrogar quarentena

Algumas cidades passarão do 'isolamento' 'distanciamento'.

Conjuntura / 00:26 - 6 de jun de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

O governo da Argentina estendeu, mais uma vez, a quarentena social, preventiva e obrigatória no país. A medida, decretada no dia 20 de março, continuará valendo até 28 de junho, mas com flexibilizações. Saídas noturnas para prática de caminhadas e participação em reuniões de até 10 pessoas serão autorizadas em algumas cidades.

O presidente Alberto Fernández explicou que algumas cidades do país passarão do “isolamento”, fase em que todos (exceto os trabalhadores de atividades essenciais) deveriam ficar em casa, para uma fase de “distanciamento”.

 

Congresso quer derrubar veto

Oposição no Senado pede que Davi Alcolumbre coloque em votação o veto de Bolsonaro à destinação de R$ 8,6 bilhões para o combate à pandemia. “A revolta de todo mundo é que parece que o presidente quer mandar um recado para o Congresso dizendo que é ele que manda.O veto vai ser derrubado”, diz Luiz Miranda, relator da matéria na Câmara

O Congresso Nacional se articula para derrubar o veto ao projeto aprovado que previa a extinção do Fundo de Reserva Monetária, mantido pelo Banco Central, e a destinação dos recursos para o enfrentamento da pandemia. Para Miranda, o veto de Bolsonaro é uma quebra de compromisso assumido pelo governo. “Houve acordo com o governo, a gente consultou o Ministério da Economia e o Banco Central. O líder do governo no Senado foi o relator da matéria quando chegou ao Senado”, declarou ao site Congresso em Foco.

 

Professor afastado por defender democracia

Um professor do Colégio Militar de Brasília (CMB) foi afastado das atividades docentes após ter feito comentários sobre a abordagem da Polícia Militar (PM) durante o ato em defesa da democracia, convocado por torcidas organizadas, que ocorreu no último domingo (31), em São Paulo. Em uma live da disciplina de geografia para alunos do 9º ano do ensino fundamental, o docente criticou a diferenciação da ação policial entre os que participavam da manifestação pró-governo e pró-democracia, que ocorreram no mesmo dia.

 

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor