As liberdades da mídia

Radialista de oposição impedido de levar programa ao ar e demitido da emissora que é a terceira em audiência no país; um grupo de comunicação ameaçado de fechamento pela cobrança de R$ 2 bilhões em impostos que não teriam sido pagos. Pensou na Venezuela de Maduro? No Equador de Rafael Correa? Esqueça os “bolivarianos”. Os fatos estão acontecendo na Argentina de Maruicio Macri, que está atacando meios de comunicação contrários a seu governo – classificados por jornais chapa branca, que prosperaram na longa ditadura argentina, de kirchneristas. Até agora não se viu protestos da entidades como a Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP) ou associações de jornais latinos, que talvez estejam ocupadas fustigando a Bolívia.

Na Argentina, o alvo preferencial de Macri é Cristóbal López, dono da C5N, uma das redes mais importantes do país. O principal apresentador da televisão, Roberto Navarro, provocou uma pequena manifestação diante da entrada do canal quando anunciou no Twitter que não lhe deixavam transmitir um especial de três horas sobre os negócios do grande sócio e amigo de Macri, Nicolás Caputo. Foi o suficiente para o jornal La Nación “vazar” uma operação da polícia sobre a cobrança dos supostos impostos sonegados, forma de asfixiar o grupo crítico.

Na empoeirada mídia tupiniquim, o assunto passa batido, ou então é tratado como um fim ao favorecimento dos governos Kirchner a grupos de comunicação amigos. Como se os jornalões e redes brasileiras não se apossassem da maior parte da verba publicitária estatal.

Murilo

Mais uma entidade se manifesta sobre a crise. A Associação Nacional dos Executivos de Finanças (Anefac): “Defendemos incondicionalmente, a liberdade de expressão e apoiamos de igual forma manifestações, desde que pacíficas, ordeiras e plurais, que objetivam melhorar e consolidar a democracia e a eficiência do estado em prol da sociedade.”

Repudiamos, de forma veemente, toda e qualquer prática que configure corrupção. Qualquer ato, que caracterize um crime de direito e vá na contramão da ética e da transparência, deverá ser punido de acordo com o que preconiza a lei, sendo necessária à sua aplicação a qualquer cidadão brasileiro”, prossegue. E finaliza: “Não podemos mais ser coniventes com qualquer ação que vá contra o crescimento do Brasil.”

Partido da Odebrecht

Análise feita pelo site Congresso em Foco na lista da Odebrecht mostra que, se os citados na papelada formassem um partido, ele superaria todos os outros em número de governadores (nove), teria a segunda maior bancada no Senado (16) e a terceira na Câmara dos Deputados (54).

Buraco na serra

Moradores da Av. Alziro Zarur, na aprazível Miguel Pereira (RJ), perderam o direito de ir e vir. Há mais de um ano um cratera impede a livre circulação pela via. Apesar de reiterados pedidos de providências, a prefeitura nada fez.

Quem segura a geração Y

A empresa de consultoria Capgemini divulgou o estudo “World Insurance Report 2016”, a partir de uma pesquisa com 15,5 mil consumidores em 30 países. Duas conclusões se destacam, segundo o consultor brasileiro Francisco Galiza. A primeira é que, embora tenha havido, de um modo geral, uma aumento de satisfação do cliente com o setor de seguros, a geração Y (hoje, pessoas na faixa de 30 a 40 anos) é a que aponta avaliação mais baixa. Segundo o texto, o segmento de seguros precisa compreender mais essa geração que, entre outros fatores, deseja interagir duas vezes mais com o setor, utilizando, por exemplo, novos canais de comunicação e mídias sociais.

O segundo ponto destacado por Galiza foi a nova tecnologia aplicada às coisas (denominadas IoT, “internet of things”), que irá crescer cada vez mais, conectando entre si aparelhos e objetos do dia a dia, e promete modificar em muito o setor de seguros. Isso levará a um aumento de transparência em todos os processos e negócios.

Rápidas

O Instituto Brasileiro de Hipnose Ericksoniana (Ibrhe) inaugurou ambulatório em Bonsucesso, zona norte do Rio, e abriu inscrições para tratamentos terapêuticos. Cerca de 30% dos brasileiros recorrem à hipnose para resolver problemas de depressão, dependências química, alcoolismo, dor e gagueira, entre outros. A clínica social atenderá a pacientes com renda de até dois salários mínimos. Mais informações no www.ibrhe.com.br *** A Feira do Livro está no Shopping Jardim Guadalupe (RJ) até 22 de abril. Há edições a partir de R$ 3 *** O Sindicato da Indústria da Construção Civil de São Paulo (SindusCon-SP) realiza o seminário Construção Civil e o Novo Código de Processo, dia 7 de abril, na sede da entidade. Inscrições pelo e-mail ahorvath@sindusconsp.com.br ou pelo telefone (11) 3334-5688, com Aline Horvath *** O advogado João Mestieri, presidente honorário do Instituto de Proteção das Garantias Individuais (IPGI) vai fazer o discurso de encerramento do primeiro dia do II Congresso Nacional do Instituto de Proteção de Garantias Individuais, que acontece nestas quinta e sexta-feira, no Centro de Convenções Bolsa Rio – Sala Arcos dos Teles, na Praça XV. Informações: www.ipgi.com.br/inscricao.php

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Governo pode – e deve – controlar progresso tecnológico

Tecnologias transformadoras do século 20 não teriam sido possíveis sem liderança do Estado.

Salário mínimo baixo, gasto do Estado alto

Nos EUA, assistência a trabalhadores que ganham pouco custa US$ 107 bi por ano ao governo.

Privatização da Eletrobras aumentará tarifa em 17%

Estatal dá lucro e distribuiu R$ 20 bi em dividendos para a União.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

ANS determina que planos cubram novos remédios, exames e cirurgias

Novos exames e tratamentos passaram a fazer parte da lista obrigatória de assistência, que deverá ser observada a partir de abril.

Ibovespa futuro sobe no momento, mas com muita cautela

No exterior, Bolsas globais recuam em meio a preocupações com a inflação nos EUA.

IPC-S sobe em seis capitais brasileiras em fevereiro

A inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) subiu em seis das sete capitais pesquisadas pela Fundação Getulio Vargas (FGV), na...

Trava política impede recuperação mais forte

Nesta segunda, mercados aqui foram na mesma direção do exterior em recuperação, mas sem mostrar maior tração. 

Sony deixará de vender áudio e vídeo no Brasil

Multinacional japonesa venderá aqui apenas consoles de games importados.